Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [REVIEW] CASTLE - UMA CARTA ABERTA AOS FÃS
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Olá, todos os leitores estão vivos nessa terra sem review , sem explicação e sem, ouso dizer, consideração por vocês que sempre estiver...

Olá, todos os leitores estão vivos nessa terra sem review, sem explicação e sem, ouso dizer, consideração por vocês que sempre estiveram ao meu lado me apoiando, me lendo e comentando minhas reviews com tanto fervor? Alias, vocês se lembram de mim? Sim, eu...Michelle. 

Gostaria de vir aqui e fingir que nada aconteceu. Ou então gostaria de ser Richard Castle e dizer que me fui feita de refém por ninjas até uma organização misteriosa vir me salvar e por isso não pude fazer as reviews. Gostaria de muita coisa, como por exemplo publicar as inúmeras reviews que não existem por aqui e fingir que tudo está bem. Mas isso não seria justo. Não seria justo comigo e, muito menos, com vocês. Que estiveram comigo....Always?

Gostaria de dizer que foi apenas uma coisa de prazo. O que era... Em seu inicio. Mas a coisa é um pouco mais complexa, então, peguem seus cafés e tenham paciência: LÁ VEM TEXTÃO.


Quando a faculdade começou a entrar em sua reta final, com a chegada do TCC, formatura, final dos meus outros projetos, resenhas de livros aqui para o blog, uma vida...eu simplesmente não soube lidar. Porém, todos sabem, Castle é um dos maiores (se não o maior, a quem estou tentando enganar?) amores da minha vida. Não queria abandonar completamente e, então, tomei a decisão de me afastar e deixar alguém em meu lugar para falar com vocês sobre essa série maravilhosa. Acontece que a Bia (que assumiria as reviews) estava em seu intercâmbio e acabou não assistindo Castle também. O que aconteceu? Exato. As reviews sumiram do blog sem ninguém prestar uma explicação a vocês. O que foi extremamente insensível de nossa parte e peço, infinitas e incontáveis desculpas. 

Quando a faculdade desafogou e eu poderia voltar a escrever, aconteceu aquilo que eu mais temia que pudesse acontecer ao longo dos anos: a série já não me empolgava mais. Eu já não sentia aquela ânsia de ver os episódios assim que eles saiam (sem muitas vezes nem esperar a legenda) e os episódios foram se acumulando sem que eu muito ligasse para isso. Para mim seria cômodo  assistir tudo correndo e vir até aqui, digitar meias palavras sobre o episódio para as coisas não passarem em branco. 

Mas, caros amigos, eu não sou uma pessoa de comodismos. Ou faço algo porque gosto, porque sai do meu coração e as palavras que preenchem o papel em branco que tanto me incomoda são escritas com carinho, sinceridade e, principalmente, porque tenho algo verdadeiramente útil e bom a dizer a respeito. Caso contrário, dou dois passos para trás e não faço. Não faço porque quem me lê merece meu eu 100% aqui, como estou hoje, e não meu eu que estava mais focado em outras coisas e outras séries e que a muito vinha negligenciando Castle.

Posso ter uma forma errada de pensar. Nunca disse que estava certa. Talvez vocês preferissem minhas palavras, mesmo que vazias, a palavra nenhuma. Peço desculpas se esse for o caso, mas não lutarei contra minha natureza aqui. Não escrevi e não direi que me arrependo. Palavras vazias que não te transmitem nada não é algo que eu me orgulharia de ter publicado. Palavras vazias que em nada traduzissem o que a série nos passa, não seria justo e digno desse fandom completamente apaixonado por essa série que hoje, eu sei...Eu sinto falta.

Não mentirei. Castle ainda não me empolga mais como me empolgou outrora. Ainda falo de outras séries que me propõe mais pautas para discussão e dias para pensar. O plot do sumiço de Castle não conseguia despertar minha atenção. Para mim nenhum caso e nenhum plot conseguiram se equiparar ao caso Johanna Beckett. E não me sinto mal por isso. Em meu lugar de fã, me dou a direito de achar plots bons, ruins ou mornos. Me dou ao direito de criticar algumas coisas porque eu amei e, ainda amo essa série com todo o meu coração. Ela me deu muita coisa para ser grata por toda uma vida, e não é fácil você ver algo que um dia você não podia viver sem, se tornando aquela presença constante mas, para você, aos poucos indiferente.

Hoje, depois de assistir os 10 episódios (sim, eram 10 episódios em atraso) e colocar a série em dia, eu percebi que não. Eu não consigo me imaginar sem Castle. Porque mesmo depois da série dar um 360º, mesmo depois de muita coisa mudar...Beckett ainda é Beckett, Castle ainda é Castle e essa é ainda a minha série. Assistir Castle e perceber que senti falta, mesmo com tudo meio torto, me deu um sentimento bom de voltar para casa. Me deu um sentimento de rever aquele velho amigo que você pode passar anos sem falar e tudo ainda será igual. 

Hoje percebo que vocês mereciam mais. Hoje, aceito humildemente que falhei com vocês e que não fui uma pessoa com sensibilidade o suficiente para ter uma conversa honesta. Nunca fui boa em assumir erros ou pedir desculpas. Mas vocês merecem tantas desculpas que aqui vai a mais sincera do fundo do meu coração: ME DESCULPEM. 

Gostaria  que vocês soubessem que, do fundo do meu coração, seu sinto falta de escrever para vocês e me sentir compreendida. Afinal, nesse mundo particular a gente se entende bem. A gente se sente. A gente sente Castle e mesmo que as coisas estejam meio tortas, a gente se ajuda achar um sentido. Seja numa criticas, seja num elogio, seja em um pedido de desculpas ou em um “CASTLE, ME AJUDA A TE AJUDAR”.

Afinal, amigos, não vamos negar: quem é essa season 8 na fila do pão perto das season 3 e 6, por exemplo? Não se sinto culpada por ter perdido o interesse, porque eu já não sentia as coisas iguais a muito tempo. Hoje sinto falta e acompanharei em dia, deixando aqui as reviews (ah, esqueci de mencionar...voltei de vez , tudo bem? Vocês ainda me aceitam por aqui?) e tudo mais. Mas sinto uma atmosfera diferente daquela que antes dominava a série. Não me perguntem porque, eu apenas sinto.

Eu não tinha e não tenho a intenção de vir aqui e fazer review de 15 episódios, porque gente.. vocês ainda lembram o tamanho das minhas reviews, né? Seriam umas mil páginas ai sem nem pestanejar. Mas, vamos fazer algumas considerações:
Me assustou de certa forma, ver lá no inicio Beckett se fechando para o Castle para protege-lo em sua investigação contra a LokSat. Beckett, minha eterna amada, começou a série fechada em seu mundo, com medo de deixar as pessoas entrarem até Castle burlar todas as barreiras possíveis e conseguir conquistar essa pessoa tão maravilhosa e tão misteriosa, afinal de contas, eu sempre sinto que Becks tem uma nova faceta para nos mostrar ainda depois de todos esses anos.


Ao mesmo tempo que fiquei orgulhosa (pareço meio mãe? Talvez, talvez..) de ver depois de um longo tempo ela (voltar) a entender que trabalhar sozinha não levará a lugar algum. Além, disso, não serviria nem mesmo para proteger Castle, uma ver que todo o plot do sumiço dele tem ligação direta com LokSat também. Algo que achei muito bacana, afinal, fecha isso em um único plot onde os dois podem trabalhar como trabalham melhor, JUNTOS, para desvendar todos os perigos e entender tudo que existe por trás deste simples nome. 

Existe algo mágico em Caskett. Uma atmosfera única, baseada em amor, carinho, compreensão e se dar pelo outro. Existe algo único nesse relacionamento que não fazia sentido nenhum no papel e que agora a gente não consegue imaginar mais um sem o outro. Existe algo mágico em um relacionamento dessa magnitude, onde problemas não deixam de ser problemas, onde a dor continua presente, onde o medo ainda é marcante, mas que no outro você encontra aquele ombro, você encontra aquele porto seguro onde o mundo para e tudo fica pequeno. Tudo fica mais suportável e as dores já não doem tanto. Juntos eles são o que há de melhor um no outro e é de uma beleza inigualável que eles sejam capazes de reconhecer isso.

Não é fácil reconhecer que você precisa do outro. Não é fácil colocar o outro ao seu lado e pensar em todos os riscos que isso vai acarretar. Mas, é ainda mais difícil ver o outro passando por tudo sozinho. Aguentando as dores e o desconhecido sozinho. Juntos é mais fácil, nenhum desconhecido dá tanto medo assim. Existe beleza e segurança em estar junto. Existe dois em um ao estar junto. E nada no mundo substitui esse sentimento. 

Castle e Beckett junto e eu vocês também. Podem esperar review toda vez que sair legenda do episódio, podem me esperar porque agora eu venho. Agora eu prometo não falhar com vocês.

Desculpas novamente e até breve.

PS: Ainda me lembro de Alexis jogando laser tag..QUANDO FOI QUE ELA CRESCEU ESSE TANTO? 
PS1: Minhas atualizações de orientação sexual foram atualizadas para Stana falando russo (na real acho que sempre foi essa minha orientação sexual, mas seguimos em frente)
PS2: Aquele episódio do jogo foi MARAVILHOSO.
PS3: EITA SAUDADE DE VOCÊS. 
PS4: COLOQUEM A STANA DE TOALHA NESSA SÉRIE MAIS VEZES, EU IMPLORO
PS5: Se você quiserem que eu faça review isolada (poderia ser de a cada dois episódios por vez) me avisem que eu prometo ver se é viável. Me deem a opinião de vocês, afinal, a gente só pode caminhar se soubermos onde estamos parados neste momento ;) 

Reações:

Sobre o Autor

 
Top