Comentários
Ayla Aguiar Ayla Aguiar Author
Title: [REVIEW] ONCE UPON A TIME S05E22/23 – ONLY YOU/AN UNTOLD STORY
Author: Ayla Aguiar
Rating 5 of 5 Des:
Olá lindinhos, como vocês tão pós essa season finale doida? Tudo bem? Só pra vocês não estranharem, eu entrei em projeto de monografia...

Olá lindinhos, como vocês tão pós essa season finale doida? Tudo bem? Só pra vocês não estranharem, eu entrei em projeto de monografia esse semestre, e junta as três ultimas cadeiras da faculdade, resume-se em: estava cheia de coisa pra entregar semana passada. Desculpem a demora. Então fica aqui a review final da temporada.

Um resumo básico desses dois episódios: Henry foge com a namoradinha para tentar destruir a magia, por que na logica dele, ela só trouxe coisa ruim (sentiram a cagada detected?). Rumple, que está com o cristal de Zeus (o que restou dele), quer atar toda à magia de Storybrook em si mesmo, para assim tentar acordar a Belle, já que o beijo de amor verdadeiro dele não resolveu. A historia do Médico e o Monstro é colocada em ação para a sexta temporada. E graças a isso, eu ri do outro plot final inserido ao final do episódio. Enquanto isso, rola toda uma coisa linda e maravilhosa: família Swan Mills, onde a Emma e Regina vão atrás do filho fugitivo antes que o mesmo faça besteira. E por ultimo: de novo a Zelena, com os Charming e o Hook caem num portal rumo a terra do Jekyll. Enfim, bola de neve que tá todo mundo tentando se resolver e ajudar um ao outro.



Agora por favor, me deixem logo começar a esbravejar, pois começou com a pior ideia possível do Henry. Como que se planeja acabar com a magia, enquanto uma das suas mães tá sofrendo o diabo no velório da pessoa amada? Me diz! Henry tem horas que nossa hein amigo! Além de claro, existir a Emma com o Hook, por que enquanto todo mundo apoiava a Regina, inclusive os pais da Salvadora, essa ultima tá com o Hook passeado pela cidade. Se eu disser que ódio e nojo já não definem mais, eu vou apanhar? Já que a única coisa menos violenta que existe aqui é revolta. Essa cena deles dois: nojo, apenas. Eu não vou mentir, eu quis sim que a Regina arrancasse a garganta dele fora. Era o mínimo viu. Libertasse a Queen só nesse momento, não ia reclamar. (vou apanhar).

Enfim, nesse episódio vemos também, como sempre, o Rumple escolhendo o poder em vez do amor ao salvar o cristal, em vez da Belle, o qual é um dos plots do episódio 22. Esse foi um dos motivos de o beijo do Senhor das Trevas não ter funcionado na Belle, já que né. A maior diferença dele para quase todos os outros vilões da serie. Ele sempre vai querer poder em primeiro lugar. E agora ele quer tanto isso quanto amor, e não tem como. Ou é um, ou é outro. O que me leva a conversa da Emma e da Regina, enquanto essa ultima acha uma carta não enviada do Robin.


Eu sei que pra mais da metade do fandom de Once, a Regina é uma das personagens favoritas, e pra metade ela é A Favorita certo? Como é pra mim. E que sim, eu por isso eu digo que ela foi uma das personagens que mais evoluiu desde a primeira até essa season finale. Tanto que o discurso dela para a Emma, enquanto elas estão no antigo apartamento do Neal, é de rasgar um coração. Ela se abriu completamente pra Salvadora, de como se sente em relação à mudança que ela vem tendo, sobre sempre dá alguma coisa errada, e ela tá em cima do muro, mesmo que já seja uma heroína. Mas ela nunca conseguiu realmente se assumir de um dos lados, por que ela teria que assumir basicamente todos os riscos dos dois lados. E ela tem medo, já que de um lado tem a Evil Queen, com toda a carga de maldade, e que está ali sempre querendo ressurgir, e do outro o lado totalmente bom, que basicamente só tá tomando na cara. Mentiu quem disse que não chorei e aplaudi. Senti um orgulho dela tanto nessa cena, quanto no final.

Enquanto isso, Henry tá a procura de como deter a magia, Rumple tá meio doido querendo a caixinha de pandora em que a Belle está, e entre o outro mundo em que o pessoal tá preso, esse episódio foi corrido, cheio de pequenas reviravoltas e amor. Esse episódio teve algumas das cenas mais amorzinhos da serie, como por exemplo a do Roland, antes de ele ir para a Floresta Encantada com os Homens Alegres (é isso mesmo?), e que ele tem uma cena linda com a Zelena, que foi outra coisa que me fez chorar feito doida. E o que mais me revolta depois disso é que o Roland teve que ir com o pessoal do Robin. Por que diabos ele não ficou com a Regina? Que loucura foi essa? E não ficou perto da irmã? Gente, que lógica doida é essa?


Enfim, o episódio se resume a isso: Henry achando que tá abafando (e eu acho que uma das motivações dele foi pra impressionar a namoradinha), mães tentado impedir a cagada, Rumple sendo ele mesmo e historia do Médico e o Mostro rolando solta e neguinho sendo preso no mundo dele. Já no episódio 22, já é os que foram para o outro mundo tentando fugir e voltar para Storybrook, enquanto Regina, Emma e o filho tentam impedir o Rumple de terminar o intento dele: conseguir a magia toda para acordar a Belle e trazer o lado ruim do médico para NY e consequentemente, Storybrook. E esse episódio foi baseado hein: bizarrice de separar o Jekyll do Médico, uma intensa vergonha pelo Henry (já que ele mesmo não teve), mas não nego que achei fofa a reação dele, e eu rindo até agora do plot twist final.

Então, enquanto o Henry consegue acabar com a magia, com a brilhante ideia de ter achado a antítese do Santo Graal, pois foi por ele que a magia entrou nesse mundo (bem, de acordo com a serie), então, com o outro cálice, a magia ia embora. Preciso parabenizar o Henry pela ideia ridícula e esdrúxula do Henry, parabéns criança, você mais uma vez fez besteira, por mais nobre que tenha sido sua intenção. Só foi de uma maneira errada, mas tudo bem. E falando nisso: não minto que achei vergonhoso, porem fofo a cena em que ele pede pros cidadãos de NY acreditem na magia, por que a família dele tá em perigo, e eles precisam daquilo. A cena da fonte foi fofo, pela Emma, Regina, a namoradinha do Henry e todo mundo na hora ter acredito, para restaurar o cristal e conseguir abrir o portal para trazer o grupo de volta. Mas gente, eu comecei a rir, desculpa.


Então, chegamos onde eu queria: eu sinceramente estava morrendo de medo de estragarem 5 anos de desenvolvimento da Regina e jogarem no lixo, ao fazer ela voltar a ser a Evil Queen para a 6 temporada. Mas não, ela usou a mesma tática e poção do Jekyll em se separar do Monstro: tirou a Evil Queen de dentro dela, por finalmente aceitar toda a bagagem emocional de ser uma heroína. E não minto que eu estava a um passo de pelo menos não vem nem a premier da 6 e maratonar a primeira parte.

Mas depois do final e da frase “The Queen is back!” nem eu querendo deixo de ver. E é por isso que to rindo, vai ser foda e hilário ver essas duas em Storybrook. Sério. Imaginem as brigas! Eu to rezando pra não estragarem um plot que pelo menos tem tudo para ser digno e bom. No decorrer dos dois episódios, os personagens que eu mais ri, amei e chorei foram a Regina, a Zelena e o Roland, por que olha, coisas amorosas do meu coração. E eu achei tão lindo quando o Henry pergunta como ela está se sentindo, e ela fala que livre, sem peso. E o que dá a entender é que ela finalmente está sendo ela mesma, aquela garota boa quando ela era crianças e adolescente.


Esses dois episódios foram uma mistura de te deixar sem folego, vergonha alheia, vontade de jogar o Rumple no ultimo circulo do inferno, e abraçar a Zelena e a Regina, com esse amor mais lindo de irmãs. Inclusive, no começo do episódio, mais uma cena das mais fofas entre elas duas. Zelena protegendo a irmã, lindinha! 

P.S: Finalmente deram final pra Merida, ela voltou pra casa. Amém! Pra logo depois os outros se lascarem por causa da magia tá loucona. hahaha

P.S 2: Deixo aqui um "Até a próxima temporada." Por que ainda não quero deixar de descrever, se eu não sei como vai tá minha vida com monografia no fim do ano. Qualquer coisa eu aviso. Brigada pelo carinho e atenção gente. *_* 

Reações:

Sobre o Autor

 
Top