Comentários
Pamella Melo Pamella Melo Author
Title: [REVIEW] THE ORIGINALS - SEGUNDA TEMPORADA
Author: Pamella Melo
Rating 5 of 5 Des:
Olá, olá, pessoal! Tudo certo com vocês? Primeiramente, eu gostaria de me apresentar como nova colaboradora aqui do site e dizer que...


Olá, olá, pessoal! Tudo certo com vocês? Primeiramente, eu gostaria de me apresentar como nova colaboradora aqui do site e dizer que sou a nova responsável pelas reviews de The Originals. Então para começar as coisas bonitinhas e com o pé direito, vou fazer resumo com os principais momentos da segunda temporada (já que a última review publicada foi sobre o último episódio da primeira temporada).

Bom, começando então o papo sobre a série, já exponho logo de cara que eu considero o segundo ano de The Originals um pouquinho abaixo daquilo que nós pudemos ver na primeira temporada da série, mas nada que tenha me deixado frustrada, até porque os escritores conseguiram manter um bom nível de ação e desenvolvimento das storylines, além de introduzirem personagens novos que tinham potencial e deram um up na história.

Sendo assim, gostaria de falar sobre alguns dos pontos que tiveram maior destaque positivo durante os 22 episódios. A meu ver, um dos primeiros foi a introdução da principal vilã da temporada: Dahlia, a irmã mais velha da mamãe Original. Apesar de eu ter sido extremamente contra o retorno de Ester, Finn e Mikael para a segunda temporada - porque esses personagens já foram apresentados e consideravelmente desenvolvidos em The Vampire Diaries e ver eles na série dos vampiros originais meio que me cansou -, devo dizer que a volta de Ester foi de extrema importância para que pudéssemos conhecer Dahlia. E, mesmo com as minhas constantes reclamações enquanto Ester e Mikael viviam perseguindo seus filhos, a série conseguiu fazer com que os fãs conhecessem esses dois personagens que não poderiam não ser apresentados e seguiu em frente com a morte dos dois.

Outro ponto positivo, para mim, e que mereceu bastante destaque foi a volta de Kol, interpretado pelo ator Daniel Sharman, e o fato de termos visto este Original no corpo de um bruxo, ou seja, totalmente envolvido com os aspectos mágicos. Além disso, falando sobre outros atores interpretando personagens antigos, também tivemos que aprender a ver Rebekah com outra cara, porque a atriz Claire Holt desistiu de ser regular na série, entretanto, para minha surpresa, a nova atriz conquistou seu espaço e agregou a storyline da personagem, novamente por causa de plots envolvendo magia.

Por fim, fazendo um resumo geral, o que eu mais gostei, e acredito que teve o melhor desenvolvimento durante a segunda temporada da série, foi a mitologia e apresentação dos principais novos personagens.  É extremamente gratificante para um seriador estar assistindo uma série que sabe como apresentar novas histórias e, além disso, sabe explicar o motivo pelo qual elas estão acontecendo. Para mim foi extremamente positivo ver como a bruxa Freya foi introduzida na história, como os poderes dela foram explicados, assim como os poderes da principal vilã desta temporada. 

Mas, como uma temporada de nenhuma série consegue atingir o nível da perfeição, devo dizer que algumas coisa me incomodaram ou irritaram ao longo dos 22 episódios. A primeira foi em relação aos lobos, apesar desta storyline ser interessante para desenvolver a Hayley, colocar a personagem em um outro cenário que não envolva exclusivamente os originais e permitir que a sua história seja explorada, os lobos em si não me agradam. Acredito que tenha sido uma questão de empatia, algo que não tive com eles, além do fato de terem forçado um casamento entre Hayley e Jackson, o que fez com que um personagem não muito querido por mim tivesse mais tempo de tela.

Por fim, outro aspecto que me incomodou foi a inconsistência de Klaus durante toda a temporada. Apesar de saber todos os traumas e todos os problemas de confiança com os quais o personagem tem que lidar, em alguns momentos eu fiquei decepcionada, pois, depois de mais de uma temporada, seria normal que Klaus não cometesse os mesmos atos que ele cometia quando estava em The Vampire Diaries, onde ele era um vilão, ou que ao menos houvesse uma reflexão quanto a isso. Prova disso é ele matando o próprio pai no meio da temporada e transformando Hayley novamente em lobo. Foram ações que poderiam ser evitadas e, quem sabe, reformuladas para mostrar a evolução do híbrido.

Então é isso, pessoal! Esse foi meu balanço geral sobre a segunda temporada de The Originals, que, apesar de boa, teve seu erros e foi um pouco pior do que a temporada anterior. Atualmente a série está finalizando a sua terceira temporada, e, assim que ela acabar, volto aqui para fazer outro balanço também. Vejo vocês em breve!
Reações:

Sobre o Autor

 
Top