Comentários
Rayssa Rayssa Author
Title: [REVIEW] PERSON OF INTEREST - S05E02E03: SNAFU/TRUTH BE TOLD
Author: Rayssa
Rating 5 of 5 Des:
Poderemos confiar na Machine 2.0? Acho que esta foi a grande questão levantada nesta semana por Person of Interest. Foi só em &q...

Poderemos confiar na Machine 2.0?

Acho que esta foi a grande questão levantada nesta semana por Person of Interest.

Foi só em "SNAFU" que eu percebi o quanto ficamos dependente da Machine. Especialmente nas suas boas intenções. No final das contas sempre esperemos que ela agirá como uma bussola de moralidade e salvará o dia. Tínhamos nela uma cega confiança, igual a Root.

Por isso foi extremamente interessante experimentar o completo oposto: a Machine se voltando contra nossa amada equipe.


Porque se analisarmos friamente as condutas do John, Root, Harold e Fusco, eles não parecem ser os mocinhos na história. Especialmente porque tem gente tentando matar os quatro o tempo inteiro, o que gera uma resposta geralmente violenta, explosiva e até mesmo vingativa.

Se minha fé ficou abalada, a da Root estava esperançosa. E por isso foi muito comovente ver o Finch tentando argumentar com a Machine, que utilizou de todos os seus recursos para ferrar com nossa amada equipe.

Porque sério, é golpe baixo tentar matar o Reese. E eu até desconfiei da tal turista, porque no momento em que o John saiu ela parou de sorrir. Mas obviamente eu imaginei que fosse obra do Samaritano, então achei rotineiro a tentativa de assassinato.


Mas eu estou um pé atrás com a Machine a partir de agora. Não podemos ter certeza de quanto código ela realmente guardou, se as lições éticas e morais que ela aprendeu ainda estão lá, guiando todas as suas ações.

E foi só neste episódio que percebi o quão perigoso a Machine pode ser e finalmente compreendi todas as relutâncias do Finch. Claro que a gente sabe que o Samaritano faz o Valdermort parecer um cara legal, mas a relação de confiança e sentimento que tínhamos com a Machine era bem inquestionável, sabe?

"SNAFU" veio para inverter conceitos e mostrar que estamos em uma nova realidade, com bugs, desconfianças e reconhecimento facial ainda debilitado.

Com "Truth Be Told" voltamos ao formato original, com a equipe salvando números. Confesso que a história do Duncan estava me dando sono. Até que eu percebi que ele foi inserido na história justamente por causa da ligação que ele tinha com o John.


Como esta temática já foi longamente abordada nas temporadas anteriores, confesso que não gostei do episódio, especialmente porque estamos em temporada final reduzida. Não precisava de toda esta cena para explicar porquê o John resolveu terminar com a Iris.

Vi tudo do mesmo: John sendo assombrado por fantasmas de seu passado, ele agindo contra tudo o que ele faz hoje, um chefe da CIA tentando encontrá-lo, ele tentando proteger a mulher que ama afastando-a do perigo. Só valeu mesmo pela participação da Kara, que é uma psicopata que todos amamos!


A incógnita da vez é o notebook do Samaritano, que está rodando um programa de busca por alguma coisa. Neste ponto eu concordo com o Finch e acho extremamente perigoso pagar para ver. O Samaritano é uma mega Inteligência Artificial sem escrúpulos e todo cuidado é pouco. Mas espero que este gancho sirva para trazer a guerra de novo ao centro do episódio e Shaw de volta a nossas vidas!

Até semana que vem!

OBS: Mais alguém aí congelou com o recrutamento do Jeff Blackwell? Samaritano usando a mesma fala do Finch: um absurdo! E viram a quantidade de agentes ativos? 704 e contando...

Melhores momentos:

"-Elas são perfeitas. Adorei, Harry. E o Bear também."

"-Uau, um sistema aberto. Eu nunca vou entender por que você trancou toda esta informação em uma caixa, Harold."

"-Detetive, como anda a sua busca?
-Suas cartas de tarô estão com defeito.
-Sim, eu temo que não esteja jogando com o baralho completo."

"-Esse olhar. Você está com ciúme.
-O quê?
-Está com ciúme porque ele não te cumprimentou. Me diz uma coisa: qual o nome dele?
-Não estou com ciúme.
-Não acha que deveria saber informações básicas dos seus colegas de trabalho? Como uma pessoa normal?
-Finch te falou alguma coisa?
-Não preciso de um gênio para perceber que você está solitário. Olha, eu entrei para a liga de boliche da polícia. É bom para dar umas risadas. Você deveria vir.
-Sem ofensa, Fusco, mas prefiro bater a bola de boliche na minha cabeça.

"-Boa notícia, o CPF é legítimo. A má notícia é que eu sou a vítima."

"-Ela apenas agiu defensivamente.
-Nós não sabemos disso. É possível que a Machine tenha enviado a assassina atrás do John."

"-Você tem muito potencial. Ninguém vê como você um é um bom recurso, não é? Mas nós vemos. Você precisa de um propósito. Mais especificamente, você precisa de um emprego."

"-Fora isso, é bom ver você tentando ter uma vida normal. Quando não está arriscando sua vida para salvar pessoas.
-Ou tentando ficar um passo à frente de uma inteligência artificial que está empenhada em dominar o mundo.
-Ou isso."

"-Temos que estar dispostos a fazer o que tivermos que fazer agora, senão já perdemos. Sem riscos não há recompensas, Harry."

"-Você sabe por que Beale escolheu você entre os recrutas?
-Então não foi pela minha pontuação nos testes?
-Foi de onde você veio. Você não tinha família, pelo menos não uma de verdade. E após perder sua mãe adotiva, ficou por conta própria. Beale sabia que você daria tudo para a Agência, porque você não tem ninguém ou nada para voltar. Exceto a namorada, mas você não hesitou em abandoná-la.
-Só porque eu tive que fazer.
-Exato, porque nós não temos vidas normais e você não pode sentir falta do que nunca teve."

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO

Reações:

Sobre o Autor

 
Top