Comentários
Jéssica Ohara Jéssica Ohara Author
Title: [LIVROS] RESENHA - EU RECEBERIA AS PIORES NOTÍCIAS DOS SEUS LINDOS LÁBIOS
Author: Jéssica Ohara
Rating 5 of 5 Des:
Pungente: a2g. 1. Que punge, fere com ponta aguçada e no fundo. 2. Que dói muito, que atormenta; 3. Que toca a fundo o ânimo, as paix...




Pungente: a2g. 1. Que punge, fere com ponta aguçada e no fundo. 2. Que dói muito, que atormenta; 3. Que toca a fundo o ânimo, as paixões; 

Se você está tentando entender essa palavra, tem duas opções: pode usar essa definição do Dicionário Aulete ou simplesmente pegar para Eu Poderia Receber as Piores Noticias dos Seus Lindos Lábios, a diferença é que com esse livro, o efeito e significado dessa palavra marcariam para sempre. Assim que li as duas primeiras páginas e bateu aquela paixão, eu fiz uma promessa: "Vou ler aos poucos, saboreando cada palavra, cada personagem." E após isso descobri duas coisas:
-Eu faço promessas impossíveis de cumprir.
-Posso amar e querer um livro com a mesma urgência que Cauby ama Lavinia.

E consequentemente, no final do livro, fiquei me culpando por ter sido rápida demais, mas o que eu esperava de um história sobre desejos incontroláveis, fome de algum sentido na existência e dor?
Se eu não sabia como uma pessoa podia ser quebrada e cheia ao mesmo tempo passei a saber, tal como conheci pessoas com grandes desilusões disfarçadas de saudades, efeitos que só aquele tipo de vida dura pode causar. Aquino não me deu um mistério só pelo mistério, não, ele não deixaria as coisas tão fáceis, ele me fez entrar em cada alma e me mostrou suas mazelas.
     
E ele também deu um presente a Literatura, ele deu Lavínia, sensível e doente que num lugar mais justo não teria sofrido tanto(ou não, afinal que lugar é realmente justo?), fácil de se identificar, pelo menos com alguma faceta dela, porque seria muito fácil ser uma só, ele deu várias. A depressão e as dificuldades de se amar a envolvem de um jeito que impede de distinguir a realidade e os sentimentos.

Essa dualidade na personalidade dela veio também nos amores. Temos Cauby, como o cantor, mas um fotógrafo com uma existência vaga, mas bom a sua maneira e também temos o Pastor Ernani, a abnegação em pessoa, que comete um dos piores pecados contra sua própria fé, o politeísmo, ele adora a Deus, mas mais Lavínia.

Com esse trio vem uma série de conclusões: não é possível se curar com o amor dos outros, é preciso se amar antes(como diria Mama Ru), é preciso saber o momento de dizer adeus e voltar atrás.

Eu queria escrever uma resenha objetiva, na qual contaria o enredo e puxaria alguns ganchos para manter o leitor interessado. Mas para quem estou mentindo? Estou escrevendo é uma carta de amor, despedida, reencontro e encanto para esse livro. Queria abraçar cada personagem, principalmente de uma certa pensão, da onde o homônimo do cantor conta a sua história, de onde o careca fala sobre amores únicos, de onde o menino observa e de onde Dona Jane, olha as estrelas esperando por alguém.

Mas com a incapacidade de tirar todas essas emoções fisicamente, eu escrevo essa resenha, para que ao menos alguém leia e resolva viver também esse caso de paixão que está em algumas dessas páginas.


AUTOR(A): Marçal Aquino
PÁGINAS: 232
EDITORA: Companhia das Letras
LANÇAMENTO: 2005
ONDE COMPRAR: Submarino







P.S.1: Para a minha surpresa, pesquisando sobre o livro, descobri que Marçal de Aquino é o escritor 
de vários livros da sempre amada Série Vagalume, iniciando muitos no mundo da leitura. Para conhecer mais sobre o autor aqui
P.S.2: Não resisti e peguei uma música do Cauby



P.S.3: Trailer do filme baseado no livro.
Reações:

Sobre o Autor

 
Top