Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [LIVROS] RESENHA - A SELEÇÃO
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
 Para trinta e cinco garotas, a Seleção é a chance de uma vida. É a oportunidade de ser alçada a um mundo de vestidos deslumbrantes e j...
 Para trinta e cinco garotas, a Seleção é a chance de uma vida. É a oportunidade de ser alçada a um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás o rapaz que ama. Abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe - e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que nunca tinha ousado imaginar. 

 Estaria eu alguns (bons) anos atrasada? Talvez. Não por falta de vontade, uma vez que este livro é algo que quero ler faz bastante tempo. Talvez tenha sido a falta de oportunidade e o tempo foi passando, sequencias foram sendo lançadas e cá estou eu: lendo A Seleção somente em 2016.

Caso exista alguém como eu, ou seja, que ainda não leu esta obra gostosíssima, A Seleção é uma distopia futurista que irá se passar em Iléia, um jovem país (que um dia foi os Estados Unidos) dividido em oitos castas diferentes sendo que a casta Um seria a realeza e a casta Oito, a mais pobre delas. O grande diferencial destas castas é que cabe a cada uma delas uma profissão específica.


America Singer, nossa narradora e protagonista, pertence à casta Cinco (dos artistas e músicos) onde a comida é escassa e as economias são extremamente apertadas, embora não passe fome como acontece com muitas castas abaixo desta. América é apaixonada e mantém um romance secreto com Aspen, um jovem trabalhador da casta Seis, e sonha em passar o resto de sua vida com ele. Até que o destino, e sua mãe, resolvem entrar no caminho. 

O príncipe Maxon está à procura de uma noiva e para isso irá ocorrerá A Seleção. Trinta e cinco garotas, de 16 a 20 anos, irão entrar em uma disputa para ver quem ocupará o cargo de Princesa de Iléia, isso tudo em transmissão ao vivo através de um reality show. América não tem a mínima intenção de se inscrever, pelo contrário, ir para a seleção inclui se afastar de Aspen, alguém que ela ama muito. Para participar da seleção, as candidatas precisariam ficar no Castelo, porém, suas famílias seriam recompensadas financeiramente por isso. Além disso, estar entre as 35 garotas escolhidas, mesmo que sem ser a vencedora, acaba trazendo a elas uma visibilidade muito maior e pode significar uma melhoria de vida. Logo se pode perceber o motivo da mãe de América insistir tanto para que a filha se inscreva.


Se inscrever não garantia presença na Seleção como um todo, afinal, milhares de garotas se inscrevem tentando melhorar a condição que lhes foi imposta ao nascer. Aspen insiste para que América se inscreva, assim como a mãe da menina. América acaba sendo selecionada e entrar nessa competição colocará em cheque várias de suas  convicções e mudar completamente sua vida.

Os personagens do livro são absolutamente cativantes. América é típica personagem... Humana. Onde você consegue ver as suas inúmeras qualidades e, também, consegue se sentir mal quando ela faz algo de errado dentro da história. Talvez pelo fato da narrativa ser em primeira pessoa (algo que eu costumo não gostar), você se sente próxima de América entendendo seus dramas, medos e inseguranças. O príncipe Maxon é um personagem que se torna impossível não se encantar. Um amor de pessoa, gentil, educado, cavalheiro e charmoso. Então, não podemos julgá-la quando ela não sabe se deve ficar com a pessoa que América sempre julgou ser o amor da sua vida ou com aquela pessoa que vem conquistando cada vez mais espaço dentro do seu coração. 


Acho que o grande toque desta obra é justamente sua simplicidade. A história não precisa de muito. É uma história simples, contada de uma forma muito leve, com pitadas de comédia e bom desenvolvimento dos personagens. Ao longo da obra você vai aprendendo um pouco mais sobre as outras candidatas, aquelas que América é próxima e aquelas que...bem...não é tão próxima assim. 

Achei incrível o debate por trás da obra como um todo. Se o romance entre América e Maxon vem como o carro chefe, um debate politico vem sendo trabalhado de uma maneira quase sutil porém  eficaz.  Somos convidades a ver ataques rebeldes ao castelo, mas não é possível saber atrás de que estes rebeldes de fato estão. Além disso, a critica social ao redor  injustiça do sistema de castas é algo marcante. Estamos em um sistema onde grande parte da população passa fome, a diferença de acesso a cultura e ao conhecimento é algo que salta aos olhos. Kiera Cass vem à realidade de muitas pessoas e nos força a ver algo, a encarar as realidades e injustiças sem poder desviar o olhar. Este é um convite para pensar sobre o assunto, é um convite para observar realidade e refletir sobre ela. É algo atual. E isso é assustador, porém, mais que necessário.


Como um todo, a edição publicada pela Editora Seguinte é aquelas que saltam aos olhos devido a sua beleza. Lembro-me exatamente a primeira vez que vi esta capa na livraria e, então, quis ler a obra (o que veio a acontecer só agora, mas antes tarde do que mais tarde, não é mesmo?). A vantagem de começar uma saga quando ela já está terminada é justamente isso: Eu não preciso esperar mais nada para continuar a ler essa delicia e descobrir o que irá acontecer com América, Maxon, Aspen e com toda a Iléia. 

Livro cedido pela editora para resenha.

Título: A Seleção
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 363
Ano: 2012
Onde Comprar: Site Editora Seguinte


Reações:

Sobre o Autor

 
Top