Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [LIVROS] RESENHA - O MUNDO PERDIDO
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Seis anos se passaram desde os terríveis acontecimentos no Jurassic Park. Seis anos, desde que o sonho extraordinário, nos limites ent...

Seis anos se passaram desde os terríveis acontecimentos no Jurassic Park. Seis anos, desde que o sonho extraordinário, nos limites entre a ciência e a imaginação humana, acabou se tornando um trágico pesadelo. A Isla Nublar não era o único lugar usado por John Hammond em suas pesquisas genéticas de ponta. Agora, o matemático Ian Malcolm e uma equipe de cientistas – além de certos “pequenos clandestinos” – devem explorar outra ilha na Costa Rica, repleta dos mais perigosos dinossauros que já caminharam pela Terra.


Me lembro a mais de um ano atrás, quando a Editora Aleph lançou a nova edição de Jurassic Park. Me lembro que li em questão de dois dias e que fiquei esperando ansiosamente quando poderia ler “O mundo perdido”. Me lembro de ficar pensando em como seria a edição. 

Olá, velociraptors, eu senti sua falta.

Quando carcaças de estranhos animais começam a aparecer em ilhas da Costa Rica, o governo logo se apressa a queimar e destruir qualquer evidências do ocorrido. Mas a comunidade cientifica não deixaria passar despercebidas essas possíveis evidências cientificas de algo fantástico: Os dinossauros poderiam, ainda, existir. Não se o cientista em questão fosse o jovem Levine, apaixonado pelos dinossauros e completamente crente de que estes ainda existiam.


Os eventos do parque dos dinossauros não são esquecidos. E nem poderiam. Malcolm é um dos personagens principais dessa obra. Ainda com sequelas da sua experiência de quase morte passada, ele se nega a acreditar em qualquer vestígio de vida dos dinossauros. O parque dos dinossauros foi destruído, os animais estavam mortos, a história foi acobertada. Tudo estava bem. 

Até Levine ir até a Costa Rica e mandar um pedido de socorro através do rádio. Algo estava errado. Aqui descobrimos que o universo perfeito, onde os dinossauros conseguiam ser recriados sem maiores problemas no parque criado por Hammond, era uma fachada para algo bem maior. Existia um grande laboratório em outra ilha, escondida, onde os dinossauros eram efetivamente criados, tendo ali toda a estrutura necessária para acobertar os possíveis erros. E o pior: aquela área não havia sido destruída. 


Malcolm vê sua vida novamente em risco ao se deparar com novos dinossauros, juntamente com jovem paleontólogo Levine, a especialista em comportamento animal Sara Harding, o doutor Thorne, Eddie, e os jovens Kelly e Arby. 

Preciso dizer, de imediato, que meu coração de bióloga queria saltar pela boca a cada página que eu virava. Geralmente reflexões biológicas, teorias como a da Rainha Vermelha, discussões sobre a evolução e Charles Darwin não são tema de interesse da comunidade em geral. Mas a forma quase mágica da narrativa de Crichton, coloca tudo isso em diálogos entre personagens tornando o assunto perfeitamente claro até mesmo para os mais leigos, aproximando o leitor da ciência e trazendo para nossa vida conhecimentos que nem imaginávamos que poderíamos ter antes de ler a obra.


Mais do que explicar, o autor se corrige. Em Jurassic Park o autor afirma que o Tiranossauro só poderia ver suas presas em movimento, uma informação errada que incomodou o próprio Michael. Incomodou a ponto de ele corrigir esse erro cientifico nessa nova obra. Tornando o assunto tema de algumas discussões e, claro, mortes. 

Mas não é só de ciência que é feito o livro. Temos a ação de sempre, marcadas por incríveis perseguições de dinossauros e claro, com vilões e mocinhos uns contra os outros. Se Dodgson foi mero coadjuvante em “Jurassic Park” ao tentar roubar os embriões da InGen, aqui ele é vilão principal. E tive um pequeno prazer com o final do personagem. Pequeno, juro. 

Livro e filme de “O mundo perdido” são dois estranhos. Muita coisa foi alterada para a obra cinematográfica, inclusive a retirada de dois personagens cruciais para a obra como Levine e Dodgson. Além disso, Sarah na obra literária é apenas ex - namorada de Malcolm e essas são apenas algumas mudanças feitas entre as duas obras. Mas deixando  filme de lado e focando no livro, devo dizer que fiquei apaixonada pelos personagens apresentados.


O jovem paleontólogo Richard Levine, tinha uma autoconfiança quase irritante durante a obra, um pouco egoísta talvez, julgava conhecer absolutamente tudo sobre estes animais, a ponto de fazer loucuras para poder observar de perto e aprender mais sobre eles. Porém, a personagem que ganhou absolutamente meu coração foi Sarah Harding, a bióloga especializada em comportamento animal. Ela é o perfeito exemplo de mulher independente, apaixonada pelo que faz, boa no que faz e com senso de liderança. Acostumada a vida na selva ao estudar os leões e as hienas na África, Sarah é o mais puro exemplo daquilo que a pequena eu queria ser quando crescesse. Ian Malcolm, pelo qual tem uma admiração gigantesca desde a obra anterior, continua o mesmo. Tendo um vasto conhecimento sobre as coisas e propondo diálogos inteligentes e que te obrigam a pensar nas coisas, de uma forma muito natural. As duas crianças dessa vez conseguem ser extremamente úteis dentro da história, sendo as peças chaves para várias descobertas e por salvar, literalmente, a vida dos humanos presentes na ilha. 


A riqueza intelectual da narração, choca tanto quanto a narração das cenas de ação. Aceitei o fato de cada livro de Michael Crichton funcionar da mesma forma: você lê 100 páginas como se fossem 10 e fecha o livro ao seu final antes mesmo de se dar conta da velocidade com a qual você leu a obra. A edição da Editora Aleph é um primor maravilhoso. As cores dessa capa se contrapõem com a capa de Jurassic Park e as duas edições juntas são perfeitas para nenhum colecionador botar defeito.


E para que vocês também possam dar um mergulho nessa história mágica, o Diário de Seriador e a Editora Aleph vão sortear um exemplar do livro para vocês. Fiquem ligados na nossa página do facebook (divulgaremos detalhes em breve) e boa sorte. O sorteio ocorre dia 04/09.   


Livro cedido pela editora para resenha
Título: O mundo perdido
Autor: Michael Crichton
Editora: Aleph
Páginas: 479
Ano: 2016
Onde comprar:Compare aqui

Reações:

Sobre o Autor

 
Top