Comentários
Mariana Ribeiro Mariana Ribeiro Author
Title: [REVIEW] PRETTY LITTLE LIARS: S07E08/09: EXES AND OMGs/ THE WRATH OF KAHN
Author: Mariana Ribeiro
Rating 5 of 5 Des:
Nem preciso dizer que o destaque do oitavo episódio foi o comportamento de Hanna em relação à possibilidade de Noel ser AD. Claro que, ...

Nem preciso dizer que o destaque do oitavo episódio foi o comportamento de Hanna em relação à possibilidade de Noel ser AD. Claro que, como era de se esperar depois de tudo pelo que passou, Hanna queria arrumar o bode expiatório o quanto antes para colocar um ponto final em toda a situação. O comportamento prometeu, e entregou no episódio nove, ainda que daquele jeito meio inverossímil de ser de PLL: todo mundo achando que iria rolar a maior tortura e sabemos, com o décimo episódio, que esse plano todo passou longe disso.

Enfim, Page reaparece, assim com Noel, do fundo do baú. A princípio, achei que não tinha sentido, mas dado os anúncios recentes de esta sétima temporada ser a última – como se também já não tivéssemos ouvido isso tantas outras vezes – faz sentido quererem reaproveitar todo mundo. Além disso, Page foi a relação mais longa e importante de Emily, além da Maya. 

Ainda provando a onda de ressurreição da galera, depois de Noel e Page tivemos inclusive a sinistra mor: Grunwald. E como se não bastasse ser sinistra o suficiente, vem com uma tal profecia cheia de coisa ruim e tal. Nem preciso dizer que esse foi um daqueles momentos que passam batido, e, antes mesmo do final do episódio, já havíamos esquecido de todo esse papo sobrenatural que ficou, ou deveria ter ficado, em Rosewood. 


Fora isso, tivemos Alison e a vida real, e Ezra e a vida real. Em outras palavras, tudo o que ninguém – ou ao menos eu – não preciso para minha vida, que de realidade já está saturada. Sejamos sinceros, queremos mais é ser enganados pelo mundo da ficção e esquecer do que se passa no âmbito do cotidiano, não é? Então alguém me explica o porquê de cenas com alunos mau comportados, e Nicole desaparecida, e casamento que não acontece, e médico esdrúxulo que ajudou no parto de Mary mas que, na verdade, não ajudou em absolutamente nada – a não ser na construção de uma cena à la anos 80 (na verdade me pareceu 50, mas whatever). Afinal, quem não aderiu ao pacto ficcional até agora, considerando as pontas soltas e enrolações de 6 temporadas, não aderirá mais, não importa o quanto de realidade que nos seja entregue. 

Ah, estava quase esquecendo. No episódio anterior à nossa summer finale, o tal Detetive Marco resolve se manifestar em relação à Spencer. Resumo meu comentário à: sinceramente, já não faço questão de interpretar o que se passa com a personagem, nesse vai e vem. Outro vai e vem é de Emily com sua nova namorada e agora com essa aparição de Paige. E aliás, o que foi aquilo de empatar o ganha pão da menina do Brew? Pelo amor, não se pode nem mais encomendar e entregar um bolo, que isso gente. 


Para ir encerrando, parece que alguém está se passando por Archer mesmo, AD está deixando claro esse esforço na série. E logo descobrimos quem pode ser esse alguém: Noel Kahn, com seu pendrive incriminador, celular roubado da morta – também incriminador – e comportamento mega incriminador. Isso basta não? Não, porque pendrive sumiu e celular foi recuperado por Noel, graças à atitude impulsiva de Hanna. O que pretendia a liar em questão com tudo isso? O que exatamente se passou ali, além de um surto mental? E o surto durou o episódio todo, para somente nos frustrarmos no final, com Hanna perdendo tudo o que encontrou que incriminava Noel. E depois, acabou agredindo-o. Enfim, reclamo aqui, mas a verdade é que já está na hora de alguém tocar o terror e dar uma agitada nas coisas. 

Obs.: Parece que o pai de Noel teve relação com o processo de adoção do bebê de Mary. Será Noel o bebê? Será seu irmão? Não será nada disso? Vejamos nos comentários finais da próxima review.

Reações:

Sobre o Autor

 
Top