Comentários
Jéssica Ohara Jéssica Ohara Author
Title: [LIVROS] RESENHA - A INVENÇÃO DE MOREL
Author: Jéssica Ohara
Rating 5 of 5 Des:
Romance publicado originalmente em 1940, foi considerado por Jorge Luis Borger “uma trama perfeita”. Um cidadão venezuelano torna...



Romance publicado originalmente em 1940, foi considerado por Jorge Luis Borger “uma trama perfeita”. Um cidadão venezuelano torna-se recluso em uma ilha deserta para fugir de uma condenação judicial.  Enquanto se alimenta de raízes psicotrópicas, o expatriado vê se apagar cada vez mais o limite entre a imaginação e a realidade.

Histórias com ilhas são sempre boas um salve pra Lost , para mim, quando leio algo nesse cenário, é inevitável ter a sensação de estar em uma prisão, principalmente por não saber nadar. Mas vai além da continência física, a sua mente não pode fugir de si, não há entretenimento, não há possibilidade de mudança de ares. Há só você, lembranças e autojulgamento.

Em a Invenção de Morel não partimos de um começo propriamente dito. Somos jogados dentro de um ambiente que permeia a loucura (ou está inserido nela?), as páginas são devoradas em busca de uma resposta sobre o que verdadeiramente está acontecendo. O personagem principal causa medo pela sua personalidade e pelas coisas que ele descreve.

Nós sabemos que ele foge de algo ou pelo menos se sente perseguido. Na verdade, o livro todo flerta com a possibilidade de ser outra coisa, sempre tem um “ou”, o protagonista parece lutar para distinguir o que é a realidade, e depois de um tempo, o próprio leitor  se percebe incapaz de fazer essa diferenciação também. 

Na ilha há três lugares, a capela, o museu e a piscina. Em princípio, o narrador se encontrava sozinho a vagar por esse ambiente vazios, mas depois outras pessoas, que ele chama de turistas aparecem. Em constante paranoia, ele tenta se esconder da vista deles, e aos poucos começa a observar suas vidas e rotinas. 

Eu achei as observações dele me remetendo um pouco a Os Outros e Em algum lugar do Passado. Há muita melancolia e nostalgia envolvendo toda a história, além de uma nítida impressão de que alguma coisa está errada, pior, que algo terrível foi feito, que coloca em risco o que se entende por moral e humanidade.

O que move toda a trama na superfície é o mistério da ilha, como aquelas pessoas apareceram lá. Mas abaixo disso, há uma discussão em torno do que é realmente viver, basta apenas respirar, se mexer, pensar quando não há ninguém para ver todas essas ações? Quando só há solidão? Ou viver está em ser lembrado? Mas lembrado por quem? Ou são só momentos que precisam ser gravados a todo custo? No fim, é um livro sobre memória.



AUTOR(A): Adolfo Bioy Casares
PÁGINAS: 112
EDITORA: Editora Globo - Biblioteca Azul
LANÇAMENTO: 2016
ONDE COMPRAR: Submarino
Reações:

Sobre o Autor

 
Top