Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [LIVROS] RESENHA - MAS VOCÊ VAI SOZINHA?
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
"'Mas você vai sozinha?' Que mulher nunca ouviu essa pergunta logo depois de anunciar que faria uma viagem solo? Seja em...



"'Mas você vai sozinha?' Que mulher nunca ouviu essa pergunta logo depois de anunciar que faria uma viagem solo? Seja em outro continente ou numa cidade do interior de São Paulo, é sempre um ato de coragem decidir conhecer um lugar por conta própria. Geralmente, sentimos como se devêssemos aos outros motivos e porquês de tomar uma decisão tão prazerosa como a de se jogar no mundo. Neste livro, a autora Gaía Passarelli conta com sinceridade e bom-humor sobre suas aventuras sozinha pelo mundo afora. Ela não vai nos dizer para largar tudo e sair por aí, nem sobre sermos cool em Nova York. Estas são histórias sobre ser consolada por um xamã andino, molhar os pés nas águas do mar no extremo sul da Índia e dormir debaixo de uma mesa de bar no Texas. Acima de tudo, este é um livro que fala sobre ser mulher e, ao mesmo tempo, ser livre para viajar por aí sem companhia, sem medo e sem preconceito. O livro traz ilustrações da artista paulistana Anália Morares". 



Sempre que eu viajo, e não que eu viaje muito – sempre bom dizer, eu escuto essa frase. Algumas vezes com entonação de surpresa, outras de aviso, outras de pura reprovação. “Mas você vai sozinha?” Está facilmente listada entre as primeiras coisas que ouço quando o assunto é viagens. 

O livro, como a própria autora afirma, não é um livro sobre largar tudo e seguir seu caminho viajando, ele é um livro sobre tudo que viagens podem te proporcionar tanto de conhecimento sobre si mesmo e sobre o mundo. Sempre enxerguei o ato de viajar como uma das formas mais bonitas de conhecer o outro. Conhecer sua cultura, seus hábitos e seus costumes torna você outra pessoa e, por consequência, você acaba conhecendo mais de si mesmo dentro desse processo. O famoso “se perder para se encontrar”. 


Gaia vai contar pra gente um pouco das suas viagens, das situações inusitadas, difíceis, complicadas, divertidas e até românticas que ela viveu. A vontade que te dá é sair procurando as passagens para conhecer esses lugares e todas as situações que você pode passar neles. A autora ainda, para deixar tudo redondinho, te dá dicas das melhores coisas para se fazer nesses lugares, te conta um pouquinho da história local e, claro, te dá dicas caso você vá sozinha.


A leitura é leve, uma vez que a escrita de Gaia é assim. Ela não faz firulas nas histórias e vai contando todas as situações de uma forma tão simples e maravilhosa que é impossível não se imaginar vivendo aquelas situações. As ilustrações da artista plástica Anália Moraes dão um toque a mais de leveza na obra, cada ilustração é de um encanto absurdo (passei tanto tempo admirando essas ilustrações quanto lendo a obra). Se eu pudesse definir esse livro em uma palavra eu diria “aconchegante”. Parece que você está sentada no sofá da sua casa conversando com uma velha amiga compartilhando histórias de viagens por aí. Os lados bons e também os ruins.


Existe algo que sempre tive como objetivo na minha vida: aumentar tanto quanto for possível minha bagagem cultural. E, ao ler livro como este, essa minha vontade apenas aumenta. Gaia compartilha conosco algumas de suas experiências e eu, mesmo depois de ler a obra, não consigo imaginar quanta coisa ela já viveu. Quanta bagagem cultural ela possuí. E isso, de certa forma, inspira você a querer expandir os seus horizontes, expandir seu conhecimento de mundo. Te faz ter vontade de pegar suas malas e ir, para qualquer lugar, apenas ir. Um livro que te faz ter vontade de viver mais, é sempre um livro que vale a pena ser lido. 

E o mais bacana é que Gaia não vai te contar apenas as partes bonitas, como se viajar o mundo sempre desse certo. As coisas que saíram errado, que fugiram do planejado e que deram medo também estão ali para te lembrar que nem tudo sairá como o itinerário que você planejou e que, mesmo assim, cada segundo vale a pena. 


Mas não podemos deixar de fazer uma reflexão. Gaia jamais deixou de viajar e aproveitar cada momento dessas aventuras por ser mulher e estar sozinha e você também não deve se privar disso. No fim das contas, nós mulheres não podemos ter medo de fazer o que quisermos e vivermos nossos sonhos devido a nossa natureza feminina. O questionamento “Mas você vai sozinha?” as vezes vem com entonação de preocupação porque sabemos, exatamente, que nem sempre é fácil ser mulher e ser livre. A própria autora já te dá as dicas: tome todo o cuidado que for possível tomar e aproveite. 



Somos mulheres e livres e, sim, vamos sozinhas para onde quisermos. Sem medo de se jogar de cabeça em cada aventura que nosso coração pedir para ir. 

Medium_1686
Livro cedido pela Editora para resenha.

AUTOR (A): Gaía Passarelli
NÚMERO DE PÁGINAS: 176
EDITORA: GloboLivros
LANÇAMENTO: 2016
ONDE COMPRAR:Globo Livros
Reações:

Sobre o Autor

 
Top