Comentários
Mariana Ribeiro Mariana Ribeiro Author
Title: [REVIEW] FAMILY GUY - S15E04/05/06: INSIDE FAMILY GUY/ CHRIS HAS GOT A DATE, DATE, DATE, DATE, DATE/ HOT SHOTS
Author: Mariana Ribeiro
Rating 5 of 5 Des:
Pois bem, retornemos aos nossos comentários da nova temporada de Family Guy . Falamos, no texto anterior, dos três primeiros episódios,...

Pois bem, retornemos aos nossos comentários da nova temporada de Family Guy. Falamos, no texto anterior, dos três primeiros episódios, que nos deram uma ideia de como a série seguiria. Quanto a isso, ainda acredito que os episódios quatro e cinco deram ênfase às mesmas personagens dos três primeiros, mas o episódio seis realmente surpreendeu. Não foi tão original, nem tão engraçado, mas fluiu muito bem, isto é, foi um daqueles episódios que quando você menos vê, já acabou, deixando uma vontade de ver mais. 

Assim sendo, comentemos rapidamente o quarto episódio, Inside Family Guy. Parece que, na mesma onda de American Horror Story: Roanoke, a série decidiu fazer uma metaficção, isto é, mostrar um behind the scenes que revelou todos os segredos dos camarins, da produção e dos atores de Family Guy, que não deixam de ser a própria família Griffin, se auto-interpretando. Pois bem: a babaquice de Peter, já tensa nos episódios anteriores, extrapola: é a estrelinha do show. Além disso, aparentemente não sabe ler, seja que tipo de livro for, uma vez que não sabe que por trás de uma capa, temos todo o restante do texto.

Porém essa não foi a melhor parte do episódio. O ponto é que a equipe da série decide matar Peter, uma vez que não aguenta mais seus desejos absurdos. Aqui se dá um paralelo com a história do Brian e sua substituição temporária por Vince, uma vez que Peter é substituído pelo tio Ricky, que foi ainda mais chato e ineficiente que Vince. Na verdade, gostava de Vince. 

Ah, e detalhe final: James Woods volta para apresentar o episódio documentário, depois de ter morrido em sua própria mansão em temporadas anteriores. Assim, o quarto episódio não foi muito forte em referências e nem nas sacadas, mas teve um tema original, o que definitivamente contribui para sair do lugar comum. 


Já o quinto episódio, Chris Has Got a Date, Date, Date, Date, Date, envolve, como o próprio título invoca, se pensarmos em Shake It Off, de Taylor Swift, a própria cantora. 

Em poucas palavras, Chris arruma um encontro para um baile da escola, e é nada mais nada menos que Taylor Swift. Mas pera lá, como isso aconteceu??? De acordo com Stewie, Taylor gosta de estar em contato com os fãs, o que colaborou para que seu vídeo, filmado juntamente com Chris, e que pedia um encontro ao estilo You Belong With Me, fosse visualizado pela cantora, e atendido. 

Achei bacana o fato de que o episódio apostou na carreira de Taylor para fazer, ao mesmo tempo que uma piada, uma crítica ao próprio público: porque Taylor só canta músicas de sofrimento amoroso por homens? Será porque as pessoas esperam isso dela? Não sei, mas o fato é que essa questão, por mais que possa não parecer, fica latente no episódio, e gera algum pensar a respeito. 

O plot paralelo do episódio não pode faltar: Peter quer dirigir um Uber. Não contarei mais, porque realmente não aconteceu tanta coisa, e, pois, arruinaria o que aconteceu. Enfim, em relação ao quarto e sexto episódio, foi o mais morno, mas teve seus pontos altos, como Stewie flagrado enforcando Rupert e outras cenas memoráveis. 


Já o sexto, o melhor, pelo menos desses três, e acredito que também entre os anteriores, com algumas ressalvas, foi o Hot Shots. Devo confessar que esse título não é muito revelador das intenções do episódio, ao menos a princípio. Acontece que, como história inicial, temos um morcego que surge na casa da família Griffin. Como consequência disso, vemos Peter tentando de tudo para se livrar do morcego, o que foi bem típico de Peter: construir um helicóptero de brinquedo com uma arma nele acoplada, que, por sua vez, dispara a partir de um timer... cuja configuração Peter não se lembra. Já deu para imaginar né?

Mas o melhor mesmo foi a referência aos vampiros: Peter fazendo sua própria ficção e bancando o Lestat, apelidando o morcego de Bat Demon, etc. Sim, definitivamente esse episódio aproveitou o máximo a referência aos vampiros e morcegos dessa vida. 

Quanto à segunda, e principal história, esta envolve Lois, que decide não vacinar Stewie depois de ler sobre vacinas na internet. Peter também apoia o movimento, e, inclusive, faz uma propaganda para TV com o dinheiro da faculdade da Meg. Além disso, tivemos a referência à cena de Batman, aquela do coringa explodindo o prédio, e, mais uma vez, sem deixar barato para quem se foi, a série invoca a morte de Heath Ledger; à John Goodman e sua péssima saúde, à Sean Penn, e à Game of Thrones, opção oferecida por Stewie ao telespectador, caso não queira ver uma história de Lois. 

Por fim, esse episódio foi bem gostoso de assistir, passou rápido e trabalhou com bastante informação. Creio que foi um dos melhores até agora, porque variou o personagem protagonista, e trouxe, apesar de uma história um tanto simples, uma quantidade e organização ideiais de referências, cenas cômicas e também reviravoltas. 

Obs.: Stewie do futuro é viciado em cheirar cola. 
Reações:

Sobre o Autor

 
Top