Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [DDS NA CCXP] 3%, NEIL, SENSE8 E O AMOR E RESPEITO A DIVERSIDADE
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Para o último dia da CCXP -e mais intenso- eu cheguei o mais cedo que pude na fila, afinal, o tão esperado painel da Netflix iria aco...


Para o último dia da CCXP -e mais intenso- eu cheguei o mais cedo que pude na fila, afinal, o tão esperado painel da Netflix iria acontecer e muita gente escolheu este dia justamente para ir por isso. Como fui sozinha, mais uma vez, esperava que eu fosse dormir na fila aguardando o auditório abrir mas, as pessoas não deixaram isso acontecer. Conheci algumas pessoas muito bacanas na fila e ficamos jogando UNO e um StTOP bem seriador até a abertura dos portões acontecerem. Eu já tinha te avisado, não tinha? Você nunca está sozinho naquele lugar <3 

O dia de painéis começou com a Warner Bros focando no grande lançamento do próximo ano Kong: A Ilha da Caveira, em um painel que contou a presença do cineasta Jordan Vogt-Roberts. Jordan falou um pouco de como este King Kong está ainda maior no filme para que ele fosse visto exatamente como uma presença quase divina. Como se os homens ao olhar para cima vissem algo com um "Q" de divindade para adoração, exatamente como os nativos da ilha o veem. Ele também comentou sobre o filme King Kong de 2005, lembrando que ele era uma refilmagem do filme original e, então, porque trabalhar com King Kong mais uma vez? Segundo Jordan eles estão "trabalhando em um novo conceito" com esse filme. Jordan também ficou impressionado com o público brasileiro, é claro! "Três anos de evento e esse público? Esse tamanho? Obrigado por nos receber com tanto carinho"

A Warner também exibiu trailers de mais alguns lançamentos de 2017, como o LEGO Batman, Rei Arthur e Anabelle 2. Eddie Redmayne mandou um Oi para o Brasil e agradeceu a todos que assistiram Animais Fantásticos e Onde Habitam. Tom Hiddleston  e Samuel L Jackson mandaram recados também usando a frase "Vai ser Épico", o lema da CCXP. A Warner, em grande parte, não mostrou conteúdos exclusivos na CCXP, mas com toda certeza não poupou esforços para entregar ao público o carinho dos atores. 


Em seguida especialmente para pessoas como eu, que tem fobia de palhaços (não riam, o problema é sério) foi exibido um pequeno teaser de "Bingo: O rei das manhãs" num pequeno painel que contou com a presença de Vladimir Brichta, ator que interpretará o personagem de Arlindo Barreto no filme. Bingo contará a história conturbada do palhaço mais famoso do Brasil, o Bozo dos anos 80, que por não conseguir lidar com a fama e mais toda a disputa da mídia chegou a se envolver com drogas. Ver a empolgação tanto to ator quanto do diretor Daniel Rezende foi um dos pontos altos do painel. Foi visível o quanto eles amaram realizar esse trabalho e até eu, com minha situação complicada, fiquei com vontade de ver o filme. 

O painel seguinte foi uma doce surpresa para mim. Eu não assisto The Walking Dead (peço desculpas mas infelizmente essas coisas acontecem). O ator Ross Marquand (Aaron) foi uma mistura de doçura e carisma num painel que foi, para mim, um dos melhores dessa CCXP. O personagem Aaron entrou para a série na quinta temporada e caiu rapidamente nas graças do público. Aaron é, também, o primeiro personagem gay da série e, claro, Aaron falou sobre a importância disso para o ator e para as pessoas que o assistem, quando questionado sobre como a comunidade LGBT tem respondido ao seu personagem o ator disse que "Eles tem sido incríveis. Robert que escreveu os quadrinhos, disse 'Eu conheço inúmeras pessoas gays e lésbicas extremamente fortes, porque eles não estariam sendo representados na minha série?' É uma honra interpretar este personagem[...] muitas pessoas chegaram para mim e falaram 'Você é a razão para eu ter coragem de contar aos meus pais que sou gay. Eu assisto a série com meus pais e eu contei para eles que eu sou gay e eu me sinto mais forte por causa do seu personagem'. Essa é a maior honra que eu já tive como ator". 

O ator foi questionado sobre como ele lida com as redes sociais e ele disse que tenta manter sua pessoa particular distante da sua pessoa pública "Eu sou um cara extremamente discreto e tímido mas a grande questão sobre o twitter e o instagram é que você pode se conectar com seus fãs de uma maneira que antes você não poderia. Eu recebo tantas mensagens dos fãs brasileiros desde que eu entrei na série e as pessoas me pedindo para vir ao Brasil..e eu estou finalmente aqui!"


Roos, que acha que Stars Wars é a melhor saga, também é um grande imitador e ele deu um verdadeiro show durante o seu painel. indo de Harrison Ford à Anthony Hopkins, ele imitou os mais diversos atores exceto outros de TWD "Eu tenho uma política de não imitar atores com os quais eu trabalho junto, isso sempre termina mal". brincou o ator. 

Em seguida veio aquele painel que,para mim foi outra decepção. Eu estava MUITO ansiosa para o painel de 75 anos da Mulher Maravilha. E, para começar as coisas, não havia nenhuma mulher no palco neste momento. Só por ai as coisas já não estavam indo eu havia imaginado. Apesar da presença de Brian Azzarello e Yanick Paquette, o painel foi num ritmo tão monótono que era impossível manter sua atenção, principalmente, sendo apenas eles conversando sem nenhum material visual sendo apresentado. Mas tudo bem, nem todo evento pode ser perfeito. 

Logo após tivemos o painel de Mauricio de Souza acontecendo e com direito a esse grande nome da vida de todos nós sendo ovacionado em sua entrada. Foram anunciados o lançamento de 4 grafic novels para 2017:  Turma da Mônica 3, Chico Bento, Capitão Feio e Jeremias. Também foi mostrado a primeiro personagem do filme da "Turma da Mônica Jovem", que será lançado em 2018. A jovem Ramona já pode ser vista em seu mais novo canal no youtube (Ramona TMJ) e, além de tudo, se você quiser participar do elenco do filme você pode se informar no site do filme sobre como funciona a seleção. 

Neste momento eu preciso fazer uma critica séria as instalações do evento. Era IMPOSSÍVEL ouvir o que estava sendo dito no painel nesse momento. O próximo painel seria da Netflix e, claro, os atores passaram no pequeno palco lá fora para dar um "Oi" aos fãs que estavam fora do auditório. E os gritos eram ensurdecedores. Estava impossível entender algo que não fosse os gritos vindo de fora que atrapalhou, inclusive, quem estava presidindo o painel. O desconforto foi bastante visível. 


O painel da Netflix foi....existe uma palavra para descrever esse painel? Não, eu acho que não. Com uma exibição de um trecho do Punho de Ferro e ele se reunindo com Krysten Ritter (Jessica Jones) e Mike Colter (Luke Cage) e Charlie Cox (Demolidor), para dar um "Olá" diretamente dos Defensores para o público brasileiro, não teve como não se empolgar. Para completar, ali, naquele momento, Luke Cage foi renovada para sua segunda temporada. O elenco maravilhoso de Stranger Things mandou um "Oi" aos fãs com Millie falando em português, dizendo que queriam estar aqui mas as gravações da segunda temporada não permitiram. 

O público explodiu quando o elenco de Sense8 entrou no palco. Miguel Ángel Silvestre (Lito), Tina Desai (Kala) e Brian J. Smith (Will) levaram o público a loucura num painel que contou a exibição de uma cena exclusiva da segunda temporada da série. O tempo todo o elenco ressaltou a importância e  a qualidade do trabalho de Lana Wachowki na série, falaram sobre como é incrível gravar uma serie que te permite conhecer vários lugares, Miguel falou que “A Parada Gay [em São Paulo], que nós visitamos no início do ano, foi um dos momentos mais marcante da minha vida”. Brian completou em tom de brincadeira "Eu demorei uma semana para me recuperar de São Paulo". 

Eles também falaram que o clima de descontração sempre domina no set e independente do dia, quando eles saem para beber, Lana é sempre a última a voltar para casa. "Ela abre e fecha os lugares" brincou Brian. Sobre as mudanças malucas de fuso horários (devido as diferentes locações) Brian brincou "Eu levei sorte porque eu preciso parecer muito doente nesta temporada, as olheiras ao redor dos meus olhos, a barba por fazer, perdi peso...ou seja, eu parecia tão cansado quanto eu realmente me sentia cansado". Tina já lembrou que isso foi um sonho virando realidade já que ela ama viajar. 


A maior lição de Sense8 é o respeito a diversidade. Respeito as pessoas e, claro, isso não passou em branco no painel. Os atores falaram um pouco sobre a grande homofobia presente no mundo e, claro, aqui no Brasil “É mesmo muito triste que isso aconteça. Ainda mais em um país como o Brasil com a maior parada gay no mundo, onde as pessoas expressam como amam. O que eu admiro em Sense8 é como ele mostra que por mais diferentes sejam as culturas e as pessoas, no final somos muito semelhantes [...] Acredito que a Lana quis passar [com Sense8] a mensagem do que ela já viveu. São problemas vistos na modernidade e no mundo todo. Acho que Lana quer mostrar também que somos todos um só e estamos todos em busca de amor.”

O painel seguinte foi, digamos, puro amor. Viviane Porto, Bianca Comparato, Rafael Lozano, Vaneza Oliveira, Rodolfo Valente e Michel Gomes, atores de 3% (primeira série brasileira com transmissão mundial pela Netflix), foram ovacionados no painel e ficaram completamente emocionados. Quando os atores estavam se apresentando ao público, Vaneza Oliveira que interpreta a (RAINHA) Joana não conseguiu falar. Ela foi COMPLETAMENTE calada pelo público que a aplaudia e gritava pela atriz que, não aguentou a emoção e foi levada as lágrimas, sendo consolada pelos colegas de elenco <3 

O elenco falou de como é importante a diversidade presente na série "Como é importante ver esse palco lindo, cheio de atores de vários estados, gêneros, cores e estilos. A série é sobre isso. Sobre o Brasil. A gente não teve que fazer nenhum trabalho de equalização de voz pra equalizar sotaques [...] A ideia era fazer esse retrato, exatamente como é. Sem hipocrisia", disse Bianca. Já Viviane Porto destacou a importância do destaque para a mulher negra dada na série. "Eu estou fazendo uma personagem que tá ali no topo da cadeia alimentar, é tubarão! Uma mulher negra e elegante, isso é algo que não se vê todo dia no audiovisual brasileiro de maneira geral". 

Os atores falaram do futuro dos seus personagens e Veneza deixou claro o que quer para o futuro de Joana: "Espero que ela quebre a porra toda". Já Viviane brincou "Brinco que minha personagem começa no '3%' e termina no 'Orange is the New Black'. A gente não tem ideia do que vai acontecer, espero que ela bote pra quebrar". 



Mas o momento mais emocionante foi quando Aline Diniz (que comandava o painel) chamou o vice presidente de marketing da Netflix na América Latina. Ele foi recepcionado aos gritos de "Renova, Renova, Renova!" e, aparentemente, os pedidos foram atendidos. A série foi, para a surpresa dos atores, renovada ali, no palco. Naquele momento. Ver a alegria dos atores presentes foi algo maravilhoso!

Enquanto eu estava na fila lá na entrada, eu já havia percebido que os fãs de Shadowhunters estavam em peso na CCXP. Eu não assisto a série, então, não era algo particularmente empolgante para mim, mas com certeza era para os fãs da série que recepcionaram os atores com muitos e muitos gritos. "Desde quando descemos do avião nós recebemos a mais calorosa recepção, obrigada galera", disse Katherine McNamara que também falou da presença feminina dentro da série “É um privilégio interpretar uma garota forte e empoderada, em uma série em que todas as mulheres estão na liderança”. 

Katherine e Alberto Rosende foram os únicos integrantes a lerem todos os livros da aclamada saga de Cassandra Claire e afirmaram que puderam, assim, pegar algumas características dos personagens e incrementar na sua visão e interpretação dos mesmos.


Mas, não poderia ser outra pessoa para encerar a CCXP. O final precisava ser...Legendário. 

Primeiro a gente precisa conversar que eu ainda estou tendo dificuldades em acreditar que vi este homem pessoalmente,  mesmo que não tão perto assim. Neil foi OVACIONADO quando entrou no painel. Neil foi OVACIONADO sempre que surgia uma chance para que isso acontecesse. Quando ele pegou o celular e gravou um vídeo de todas as 3.500 pessoas mandando "Oi" para os seus filhos porque o "Papai estava viajando e estava com uns amigos" foi algo mágico. Verdadeiramente mágico. 

Neil falou um pouco de como é, de certa forma, estranho fazer uma série por uma plataforma como a Netflix na nova série que estréia em 2017, Desventuras em Série. "A Netflix tem essas ideias e o divertido delas é que eles fazem uma temporada inteira antes que alguém veja a série. Então você não faz 3 ou 4 episódios e, então, te dizem que você precisa mudar alguma coisa. Você só faz de maneira criativa. Eu fiquei muito animado com o projeto porque os livros são incríveis, eles são sombrios, misteriosos, com reviravoltas, é inteligente, é para crianças mas também é para adultos". 

Neil também falou como será o modelo da série "Nós estamos fazendo dois episódios por livro. Então fizemos os quatro primeiros livros. Eu nunca havia lido os livros até receber o projeto e, então, eu li direto o primeiro livro. É uma leitura rápida mas inteligente [...] Vai ter muitos easter eggs para os fãs dos livros na série". Aline Diniz (que conduzia o painel) perguntou sobre como a divulgação do filme lida com a psicologia reversa de "Não assista essa série. Só existe tragédia. Fique longe dessa série" E Neil disse que adora justamente isso. "Esse é justamente o senso de humor da série. Ele diz exatamente isso nos livros. 'Se você quiser ler um livro feliz, não leia este livro', então, é o mesmo com a série. Mas isso faz com que as pessoas queiram ver ainda mais". Questionado se ele deixaria os filhos assistirem, ele disse que as crianças tem seis anos, então, elas seriam um pouco novas para ver para isso,  mas que elas estavam no set de algumas gravações e ele falava com elas por facetime o tempo todo e elas achavam aquilo tudo muito engraçado.

Sobre as diferentes caracterizações de Conde Olaf na série, Aline perguntou se ele havia assistido a interpretação anterior do personagem e se baseado nela de alguma forma. "Eu assisti o filme e achei muito engraçado. Mas o filme foi feito apenas para comédia e os livros são um pouco mais sombrios do que isso. Então eu estava tentando ser o mais obscuro e mal quanto o possível. Mas o Olaf é um ator horrível que se acha incrível, que acha que tem sucesso em tudo e na verdade falha em todas as vezes". 


Neil também mandou uma mensagem para quem quer que estivesse perdido em sua vida e precisando de conselhos. "Vocês estão aqui porque decidiram gostar do que vocês gostam e ponto final. É por isso que vocês estão aqui. Se você gosta de Vampiros e Lobisomens? Beleza, vocês gostam do que gostam. Ponto. O melhor que se pode fazer é perceber quem você realmente é e ser orgulhoso de quem você é. E se as pessoas ao redor não concordarem com isso, elas não terão outra escolha a não ser te ver ser orgulhoso por ser quem você é. Não há como negar que isso é impressionante. Então, mesmo que você não concorde com alguém ou não acredite em algo, você ainda pode ser testemunha de alguém sendo imensamente corajoso. Quando as pessoas escondem quem elas são, estão com medo, isso muda a sua postura, isso muda a sua vida, e enche ela de arrependimentos de tantas formas. E isso não é uma forma de viver. É muito melhor encontrar pessoas nas redes sociais, a gente não é só um país, a gente não é só um bairro. Nós somos um mundo inteiro, nós podemos nos conectar em segundos. Então, encontre pessoas que são parecidas com você, independente de qual aspecto. Encontre pessoas que você goste e que respeite quem você é e a pessoa que você quer ser". 

O ator comentou também, rapidamente sobre a aclamada série How I met Your Mother e seu personagem ''Ele era um cara legal. Me ensinou a ser destemido [...] Eu gosto da forma como a série terminou. Achei madura. Barney sempre seria daquela maneira'', disse o ator que encerou o painel mostrando um teaser exclusivo de Desventuras em Série para o público. 

Eu procuro palavras para explicar o que foi viver tudo isso. Mas não consigo encontrar. Essa CCXP foi uma experiência magica e, claro, épica. Ter a oportunidade ver ídolos de perto, painéis exclusivos, conhecer pessoas, rever amigos, tudo isso faz da experiência algo único. Eu jamais vou poder agradecer o suficiente a oportunidade de ter estado presente neste evento tão espetacular. Obrigada CCXP, foi épico sim, e eu mal posso esperar pelo ano que vem. Obrigada a todos que fizeram parte desses dias maravilhosos e, claro, obrigada você leitor do DDS que sempre nos ajuda e nos apoia. Sem vocês, nada seríamos.

Beijo grande e que 2017 seja ainda mais épico. 
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top