Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [DDS NA CCXP] TERCEIRO DIA: EVANNA, SHOW DE JAMES GUNN E AZUL
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Para o terceiro dia de CCXP e, eu fui preparada para enfrentar fila gigantesca. Entre as muitas atrações do dia estava Evanna Lynch e e...

Para o terceiro dia de CCXP e, eu fui preparada para enfrentar fila gigantesca. Entre as muitas atrações do dia estava Evanna Lynch e eu como Potterhead não perderia esse momento mágico por nada! Eu e todos os Potterheads do Brasil que, inclusive dormiram na fila para tentar pegar o melhor local possível no auditório. E com isso percebi um padrão, a cada dia eu estava chegando cada vez mais cedo na fila e isso acaba ficando cada vez mais fácil. 

Acabei vendo os painéis do dia ao lado do Edu e, mais tarde, da Pâmela que, acreditem, são pessoas absolutamente maravilhosas para assistir um painel junto. O auditório Cinemark encheu rapidamente, mas tão rapidamente que a velocidade chegou a assustar. Que Harry Potter possui um amplo público no país não é novidade, mas ver todo mundo junto é outra história. Era aquele mar de pessoas ansiosas para entrada da Evanna, que abriria os painéis naquele dia, pessoas que conversavam sobre Harry Potter e seu universo. Pessoas de Cosplay. O universo de HP estava muito bem representado naquele evento. E foi...mágico. 

Quando Evanna pisou naquele palco, o auditório explodiu. Assim como meu coração com a fofura dessa mulher fantástica. Ela começou o painel de forma bastante tímida, afinal, tudo que ela falava era motivo para gritos e comemorações da platéia. “Vocês sabem que eu não sou uma popstar? Se soubesse que seria assim, teria feito uma canção”, brincou Evanna que também disse "Eu já esperava que eles fossem ser animados, mas isso aqui é outro nível". 


Uma das coisas mais fantásticas sobre Evanna Lynch é que, antes de qualquer coisa, ela é fã de Harry Potter e essa saga ajudou a ela, assim como a tantas outras pessoas de mitas formas. Quem acompanha a atriz sabe que a história criada por J. K. Rowling ajudou a Evanna (assim como muitos fãs) a se sentirem incluídos em um universo único, onde você não se sentia mal por ser, simplesmente, você. E no painel isso foi algo que Evanna fez questão de frisar dizendo que Harry Potter foi algo que a ajudou a superar muitas das inseguranças que a atriz tinha. 

Evanna também afirmou que queria muito poder fazer parte de "Animais fantásticos e Onde Habitam" e que ela voltaria com 100% de certeza, para este universo novamente. Além disso, a atriz ama Game of Thrones (mas lembrou que a série é as vezes muito violenta para ela) "Eu desisti de ter raiva nessa série. Agora eu só torço pelo Tyrion" porque ele é bom e tem interesses que divergem muito dos interesses dos outros dentro da série. A atriz também ressaltou que a sua personagem em Hary Potter, a amada Luna, é na verdade um enigma e que, embora seja um pessoa estranha é 100% ela mesma, algo que ela admira muito na personagem. Evanna também disse que depois de tantos anos sendo fã da saga era muito estranho set de filmagens falar com esses personagens e a única coisa que ela consiga pensar era "Não seja demitida, não seja demitida" concluindo que nenhuma saga nunca será comparável ao universo criado pela J. K. Rowling. E não pensem que ela deixou esse universo de mãos vazias! Ela ainda guarda todos os roteiros e uma pena de Fênix que ela levou do set! 

Em jogo rápido de perguntas e respostas, com a Aline que mediava o painel, Evanna também falou um pouco mais de si mesma.


"Livro favorito? Lolita".
"Criatura favorita em Harry Potter? Dobby". Aline questionou nessa parte, também, se ela havia chorado com a morte dele e ela respondeu  da forma mais maravilhosa possível. "No Livro sim. No filme foram apenas longas horas de gravações e tudo que eu queria era falar era 'Dobby vamos logo acabar com isso'"
"Morte em Harry Potter que mais te chocou? Dumbledore. Eu chorei mais com a morte dele do que com qualquer um dos meus avós [...] Eu entreguei o livro para minha mãe e disse 'Esconde isso que eu nunca mais quero ver esse livro de novo'"

Para quem é fã da saga, assim como eu, o painel foi absolutamente maravilhoso principalmente pela forma como ele foi conduzido. Evanna ao ver que estava falando com uma fã da saga também, conseguiu se soltar mais. Por muitas vezes ela perguntava a opinião da Aline sobre as coisas, como numa grande conversa informal sobre esse universo mágico de Harry Potter. Foi um painel maravilhoso como um todo mas deixarei para o final uma grande mensagem que Evanna nos deixou lá. E que sempre, sempre, será válida. 

"Existem muitas formas de tentar se esconder, tentar se encaixar no mundo, no que as pessoas esperam e querem de você. Mas você nunca ficará em paz com você mesmo fazendo isso. Eu aprendi isso por meio do meu ativismo [sobre o veganismo]. Mas você encontra pessoas com a mesma mentalidade, pessoas que vão te deixar melhor, vão te ajudar a chegar na sua plenitude e vão promover as suas melhores qualidades. Eu sempre penso nisso, quando você esconde a sua verdade a única coisa que você está fazendo é atrasar o seu desenvolvimento, deixa de ser quem você realmente é e o que você deveria fazer no mundo. Embora seja difícil, é extremamente gratificante encontrar pessoas que combinam com você e que te animam". 


Depois do painel da Evanna, foi a vez de David Wenham (300, O Senhor dos anéis) falar um pouco com os fãs brasileiros. O ator é extremamente divertido e falou um pouquinho dos mais diversos trabalhos que realizou, mas manteve o máximo de sigilo quando o assunto era "O Punho de Ferro" com medo de que a Marvel viesse atrás dele depois! 

Sobre "O Senhor dos anéis", o ator contou que a primeira cena que ele gravou no filme foi a última do personagem, o casamento de Faramir com Eowin. Ele, até então, não conhecia ninguém do elenco, mas para sua sorte já conhecia a intérprete de Eowin, a atriz Miranda Otto. Mas o ator também lembrou que sofreu em nome da sua arte. Na cena em que o pai de Faramir quase queima o filho, o ator comentou que olho utilizado na cena era de verdade! "A cena em que o Faramir é quase queimado vivo pelo seu amável pai, olhem que relacionamento maravilhoso eles tinham. O pior ali não era ser queimado vivo, é que antes dele tentar queimar o Faramir ele coloca um tipo de óleo em cima do corpo, e a gente estava usando um óleo de verdade e ele ficava entrando no meu olho! Claro que não foi agradável, né? Mas demorou alguns dias para eu me recuperar de fato dos meus olhos. Eu sofro pela minha arte". 

Já em 300, David falou do seu medo inicial em relação ao personagem. Ele viu o personagem pela primeira vez nos quadrinhos [de Frank Miller] e pensou "Ele é alto, está nu, tem um olho e conta histórias... é isso que eles querem? Vou ter que ficar nu no inverno de Montreal?", mas o ator disse que todas as cenas foram gravadas dentro de um estúdio, então, sem maiores problemas. 

Sobre o inimigo número um do Punho de Ferro [nova série da parceria Marvel/Netflix] o ator não revelou absolutamente nada, apenas como foi gratificante ouvir o "Seja Bem vindo à Marvel" vindo de Jeff Loeb. E ao som dos clássicos urros de 300, o ator deixou o painel. 


Em seguida foi transmitida a Premiere de "Moana: Um mar de aventuras" e o quão incrível é essa animação eu não poderia explicar em palavras. Eu sou fã de animações, sempre fui, e meu encantamento com essa foi beirando ao absurdo. O empoderamento feminino e personagens femininas não mais atreladas a relacionamentos românticos está em alta e é exatamente isso que Moana nos trás, uma personagem independente e muito, muito, cativante. E a mensagem mais clara e mais bela do filme que fica para você é: Até você descobrir de onde você veio, você não sabe quem você é.  

Moana, desde muito jovem, se sente ligada ao mar. Ela sonha, mais do que tudo, em fazer uma viagem para desbravar o oceano que "a chamava". Mas, ela tinha como destino ser líder da sua aldeia e eles precisavam dela para governá-los. Mas e se para ajudá-los ela precisasse se aventurar pelo oceano? Contando com a ajuda do semi deus Maui ela irá em busca da solução para os problemas da sua aldeia através de uma visita a histórias do seu passado e muita, muita confusão. Além do filme ser de uma beleza singular nós precisamos conversar sobre a produção do mesmo.

Criatividade e pesquisa na mão de quem sabe, vira mágica. E isso é algo que a dupla responsável pela direção do filme fez. John Musker e Ron Clements estavam presentes na CCXP para mostrar para a gente um pouqinho do processo de produção do filme e, gente, que processo de produção!! Envolveu muita pesquisa e preocupação em manter todos os detalhes da cultura local para que nada fosse deixado de lado ou passado por cima. Foram 5 anos pesquisando ilhas como Fiji, Samoa e Taiti para chegar na sua produção final. Eles lembraram que todas as vezes que conversaram com moradores locais, eles falavam do mar como algo com personalidade e isso fica refletido no filme que transforma o mar em um personagem durante o film todo. Os diretores também foram avisados que as coisas mais dificeis graficamente de se produzir eram o mar e o cabelo. Exatamente os dois elementos que marcam Moana. E ver cada detalhe desse processo foi algo mágico. 

A dublagem do filme é absolutamente fantástica e os quase dois minutos de música interpretados por Moana passam como se fossem segundos de tão mágico que se tornou. Moana é maravilhoso e já vive entre meus queridinhos nos filmes de animação, sim. 


A grande surpresa dessa CCXP para mim foi o painel que veio em seguida. Eu não tinha muitas expectativas sobre o elenco de "Power Rangers" no evento e ele se tornou rapidamente um dos meus painéis favoritos porque eles foram absolutamente maravilhosos! Dacre Montgomery (vermelho), Ludi Lin (preto), Naomi Scott (rosa) e, principalmente, R.J. Cyler (azul) deram um show de simpatia no palco. Os atores lembraram que é uma grande responsabilidade interpretar personagens que são ícones da infância de qualquer pessoa, também comentaram que vai ter muitos elementos novos no filme, mas elementos clássicos de Power Rangers também estarão lá! Cyler lembrou que “Eu quebrei várias lâmpadas de casa brincando de Power Rangers como uma criança”.

Naomi aproveitou para lembrar que Power Rangers também é Girl Power “Becky (Ranger Amarela) e eu vamos mostrar neste filme, o quão fortes as mulheres podem ser quando eles se reúnem.”. Ludi  também aproveitou momentos antes do inicio do painel para fazer uma homenagem ao time do Chapecoense “A tragédia de Chapecoense realmente me tocou. Este lenço [de um time da China da cor verde] é para representar a China e o Brasil se unindo em solidariedade, um mundo". 

Mas o Ranger que mais ganhou o público foi, sem dúvida, Cyler que aprendeu rapidamente a falar "AZUL" e usava a palavra em cada oportunidade que aparecia. Quando os atores embarcaram na brincadeira de dizer o clássico "É HORA DE MORFAR", sim em português mesmo, Cyler fez uma encenação que arrancou gritos de "AZUL, AZUL, AZUL"  por todo o auditório. Spoiler: o grito de azul ocorreu em várias situações dentro do auditório Cinemark no dia seguinte também. 


Os painéis seguintes dividiram opiniões entre amantes e pessoas que não conseguiram assistir a eles por completo. Spoiler: eu sou do segundo grupo. Danilo Gentili falou e mostrou um pouco do seu filme, baseado no livro, "Como se tornar o pior aluno da Escola". Mas grande atração deste painel ficou por conta do incrível Carlos Világran que faz parte do elenco do filme. Aos gritos de "TESOURO, TESOURO", Carlos foi ovacionado pelo público e rapidamente começou a mostrar o seu lado "Quico" no palco deixando todos absolutamente extasiados. Mas ele também não pode evitar de lembrar a tragédia que atingiu recentemente o Brasil e pediu um minuto de palmas para os atletas do Chapecoense mortos no desastre de avião que aconteceu com a equipe. Foi como um todo, um momento extremamente emocionante, de verdade. 

Aqui a parte que divide opiniões. Começou a parte do painel que se direcionava a falar dos youtubers. Christian Figueiredo fez o anúncio do seu novo filme, também baseado em seu livro,  "Eu Tô Loko". E, ao que parece, focar em youtubers é a tendência para o próximo ano, afinal, logo depois Rafinha Bastos, Felipe Castanhari, Cauê Moura e Paulinho Serra vieram comentar um pouquinho filme "Internet: O Filme" que falará sobre esse universo da internet e das pessoas famosas através dele. Sinceramente sei pouco sobre esse painel. Acredito que a CCXP é um local maravilhoso porque existem os mais variados gostos lá dentro. Particularmente, este não é um assunto que me agrada, mas agradou muitas pessoas lá dentro, os gritos já denunciavam. Eles eram o público alvo e não eu. Ponto. 


Logo em seguida, a Universal Pictures nos trouxe trailer dos maus diversos filmes: Fragmentado, Penetras 2: Quem dá Mais?, A Grande Muralha, e foi exibido também um teaser do filme do Pica Pau, com lançamento previsto para 5 de outubro de 2017. Vanessa Camargo apareceu para promover o filme Sing: Quem canta seus males espanta, e foram exibidos 20 minutos de filme com exclusividade e, acreditem, eu fiquei absurdamente curiosa para descobrir o que acontece. Obrigada, CCXP, obrigada. 

Pouco depois o painel "Dando Vida a Rogue One: Uma História Star Wars" nos trouxe o homem por trás do amado e idolatrado BB-8: Brian Herring. Contando detalhes sobre a criação desse personagem que tão rapidamente caiu nas graças do povo, ele relembra que nem tudo foi fácil, afinal, na primeira cena onde o BB-8 aparece correndo não é efeito gráfico não! Era o próprio Brian controlando! Ele contou um pouco do processo trabalho para a montagem das criaturas do universo de Star Wars e contou de um especifico, sem muitos detalhes, que precisou de 17 pessoas para ser controlado! Brian falou um pouquinho sobre o processo para desenvolver Moroff e como para este personagem os olhos foram absolutamente tudo. E acreditem, os olhos do personagem chamam um atenção absurda e isso é resultado de um trabalho gigantesco!!


E, para encerrar este dia épico de forma épica, nada como James Gunn. O que falar desse painel? Posso dizer que existe minha vida antes de James Gunn e depois de James Gunn. Foi algo de outro mundo. Acreditem. A sensação e a emoção das pessoas foi algo tão espetacular que nem mesmo ele saiu imune aos efeitos dela "Essa é melhor Comic Con que eu já participei na minha vida". Se James falou, quem somos nós para discordar?

Para começo de painel, James já fez uma entrada triunfal ao som de "Cherry Bomb" e ele foi OVACIONADO com o público em pé. Não havia como não se abalar com a sensação de 3.500 pessoas gritando e aplaudindo a genialidade desse cara. Ele falou um pouco de como foi transformar a história de "Guardiões da Galáxia" num sucesso e comparou um pouco dos dois filmes "Eles me permitiram criar um filme diferente de todos, com um alto nível de conexão entre os personagens. O primeiro é como se apaixonar e o segundo é como formar uma família. Esse segundo é sobre ser uma família, com todos os prazeres e problemas disso. Eles não sabiam o que era amor, e estão aprendendo”.  Ele também comentou sobre porque acha que o filme faz tanto sucesso entre as pessoas "É um filme sobre forasteiros, para forasteiros".


Trazendo material exclusivo para a CCXP, mostrando o trailer em primeira mão, os gritos que tomaram conta do auditório eram inacreditáveis. 2017 será o ano do Baby Groot e essa é única certeza que eu tenho na minha vida. James ainda falou que "Dave Bautista (Drax) é incrível, e vocês vão se surpreender ainda mais. Ele deveria ser indicado ao Oscar, e isso não é uma piada!”. Um James emocionado fez questão de afirmar "Ver a reação de vocês a isso me emociona. Obrigado do fundo do coração! Amo vocês!”.  

E assim se encerrou o terceiro dia de CCXP no seu mais Épico modo. Depois de muita emoção e de eu ficar praticamente sem voz eu pensei que nada poderia me abalar mais do que esse painel. Mas eu não contava com a Netflix no dia seguinte, contava? 

PS: Se você, por algum milagre. ainda não viu o trailer de "Guardiões da Galáxia: Vol.2", corre pra ver logo!


Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top