Comentários
Lilian Zin Lilian Zin Author
Title: [REVIEW] NCIS NEW ORLEANS - S03E03 ATÉ S03E09
Author: Lilian Zin
Rating 5 of 5 Des:
  “There's a right way to handle this, Christopher. Find it” – Dwayne Cassius Pride Sim, novamente fiquei enrolada com as reviews...
  “There's a right way to handle this, Christopher. Find it” – Dwayne Cassius Pride

Sim, novamente fiquei enrolada com as reviews. Além do óbvio motivo da faculdade, devo admitir que não estava tão empolgada com NCIS NOLA como estava temporada passada. Não sei se foi por conta da mudança de cast ou se simplesmente os casos não me convenceram, mas decidi ir deixando para depois. Ainda bem que minha empolgação mudou ao longo da maratona dos episódios atrasados.

Houveram casos muito interessantes, outros mais simples, porém a qualidade se manteve. Alguns personagens foram muito mais desenvolvidos do que outros, porém estou contente com a forma como os escritores resolveram lidar com todas as coisas que inventaram ao longo da temporada. Se senti falta de uma visita da Laurel ou de uma história maior para Loretta e Triple P? Claro. Mas o que veio compensou por isso.

 “Down in these here parts we're CSI, SWAT, SVU all rolled into one.” – Sonja Percy

Para começar, Man on Fire trouxe o sequestro de Drew Clarkson e toda a história de ir ou não ao México para resgatar o mesmo. Se fosse há algum tempo atrás, tudo isso já teria sido resolvido bem cedo no episódio e teríamos mais tempo para apreciar o Mario Lopez de farda. Porém, como temos Tammy Gregorio na equipe, isso não funciona muito bem.

Ela questiona tudo. Desde a forma como as evidências são coletadas até o final do caso. Sim, eu que já estava irritada com ela antes, fiquei ainda mais depois desse episódio. É claro, as tretas entre ela e Sonja continuam ótimas, mas, mesmo assim, já fica difícil gostar de uma personagem cujo único motivo de estar ali é encerrar uma investigação e ficar atazanando o resto da equipe.

 “Badass? I like how that sounds.” – Sebastian Lund

Escape Plan foi, sem sombra de dúvidas, o melhor episódio da temporada. Eu pedi uma história para o Sebastian e recebi a melhor possível. Não sei se foi porque comecei a ver Prison Break semana passada, mas eu simplesmente amei tudo. Quer dizer, não foi uma coisa tão Michael Scofield assim, porém foi interessante ver um personagem que pouco tinha destaque ser o dono do episódio.

Além de ter se tornado um badass, fiquei extremamente feliz de ter visto que ele seguiu em frente depois da saída de Brody, criando coragem e pedindo o telefone da garçonete. Outra pessoa que garantiu boas risadas nesse episódio foi a mãe de Sebastian, tentando proteger seu Peach de tudo e todos. Não posso me esquecer de mencionar Triple P ficando todo preocupado e louco para trazer Sebastian para casa. 

 “Aren't you tired of running?” – Dwayne Cassius Pride

Course Correction veio com a queda de um avião transportando o contador do Ciudad Natal, ou seja, mais Isler para infernizar a vida de todo mundo. Acredito que tenha sido esse episódio que me fez mudar de opinião sobre a Gregorio, principalmente depois de ela ter contado para King sobre o seu passado e o motivo de querer sair de New Orleans o mais rápido possível. O problema é: ela acabou tomando as atitudes do ex como se fossem dela. E isso, diga-se de passagem, tirou várias coisas boas da vida da mesma.

É o clássico caso de que as aparências enganam. Quem achava que Tammy era a vilã de toda história, assim como eu, acabou quebrando a cara depois desse episódio e, consequentemente, com os que vieram em seguida. Outra pessoa que também me surpreendeu foi Sebastian, que continuou comentando sobre sua incrível fuga da prisão e, mesmo sem saber o que vinha em seguida, já havia começado a imaginar que ele poderia acabar mudando sua perspectiva sobre o que fazer na equipe. 

 “Just got to tell her how you feel. Case today two young men struggled to speak their truth. Speak yours.” – Dwayne Cassius Pride

One Good Man poderia muito bem ser uma continuação de RadioSilence (S02E17), porém com um pouco menos de questionamentos vindo da parte da pessoa que queria seguir um rumo diferente na vida. Dessa vez foi Danny quem teve um pouco mais de destaque quando decidiu não seguir o futuro que Loretta havia planejado para o mesmo, decidindo se juntar à Marinha. Admito que ele teve coragem para enfrentar o furacão Wade e seguir com sua decisão, até mesmo quando King decidiu não apoiá-lo. Foi lindo ver como Danny chama Loretta de “mãe”.

Paralelo a isso, tivemos a ilustre presença do prefeito Hamilton, como sempre despertando a raiva de Pride. Sim, Douglas consegue ser insuportável e fazer as maiores babaquices do mundo, mas não consigo odiar ele. Não sei o motivo, mas simplesmente não consigo. Acho que esse caso foi a amostra de que sempre temos que atender à ligações, afinal, nunca se sabe o que pode vir de uma delas. Você pode acabar prevenindo um assassinato ou então descobrindo que tem um filho, não é mesmo Christopher?

 “When's the "Pride talking to" scheduled?” – Sonja Percy

Outlaws voltou ao assunto do episódio passado, ou seja, Lasalle continua ficando cada vez mais perdido com toda a situação envolvendo o pequeno Tucker e como vai conseguir esconder isso dos outros membros da equipe, uma vez que Gregorio já sabia da existência do bebê e da relação que o mesmo tem com o Bama boy. Mas é claro que ele iria falhar miseravelmente em esconder o segredo, ainda mais porque ele não iria conseguir segurar a boca e não falar nada com o King, o que, aliás, deveria ter acontecido antes.

Além disso, ainda tivemos uma dinâmica ótima entre Percy e Gregorio, além de termos descoberto mais sobre o passado de Sonja e seu envolvimento com um antigo informante, Ramon. Gostei bastante do caso, entre as gangues e o problema que eles têm uns contra os outros e todos contra Pride. Novamente um caso de que as aparências enganam. E muito.

 “I don't know if I'm ready for it, but I know I I need to give it a shot. I want to be part of the team” – Sebastian Lund

Music to my Ears já começou com Sonja finalmente descobrindo sobre Tucker e ficando calma – porém playing it cool – com Chris. Sim, ela tinha toda a razão de ter ficado com raiva dele, principalmente porque os dois são parceiros e ele decidiu omitir um “detalhe” tão importante de sua vida com ela. Eu sei que é uma situação complicada e tal, mas como ela vai poder confiar no parceiro que não confia nela? Ainda bem que tudo foi resolvido.

Além disso ainda tivemos a “despedida” de Gregório. Sim, entre aspas porque é claro que ela ainda vai ficar por aí, mesmo tendo desistido de entregar a ficha de inscrição para Pride, depois de ver que Sebastian decidiu se tornar um agente. Amei essa decisão de Lund: sim ou claro? Meu awkward baby vai virar agente e eu não poderia estar mais orgulhosa dele. E não posso me esquecer de King, que finalmente teve um pouco mais de destaque nesse episódio, enquanto ajudava um garoto a descobrir quem havia sido responsável pela morte de sua tia. Admito: quando o Scott Bakula começa a tocar piano, eu me derreto toda. Coisa linda.

 “I got to imagine myself being a daddy.” – Christopher Lasalle

Por fim, Overdrive trouxe um possível acidente de carro, que acabou se revelando como homicídio. É claro que, ao longo do episódio, Gregorio iria vir ajudar. Afinal, você pode sair do NCIS, mas ele nunca sai de você, mesmo quando Isler coloca uma “vigia” para te impedir de compartilhar informações com a outra agência além do caso que você deveria estar trabalhando. Por um lado, fico feliz de ver que ela ainda começou a gostar mesmo de New Orleans (não NOLA, como ela mesma frisou várias vezes durante o episódio), porém fico triste com a possibilidade de ela não conseguir mais ser feliz, como a Lee disse.

A única coisa que me fez não gostar tanto do episódio foi Chris. Já imaginava que Tucker não era filho dele, mas não estava preparada para ver meu baby transtornado com a notícia. Ok, Melody recorreu a ele para tentar fugir do verdadeiro pai do menino, mas poderia pelo menos ter falado alguma coisa. Deixar o coitado acreditando que era pai por mais de um mês e depois ter que ir embora? Foi de partir o coração ver meu baby sofrendo. Tive, como sempre, vontade de enrolá-lo em um cobertor e proteger de tudo e todos.

“You're family, after all.” – Dwayne Cassius Pride
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top