Comentários
Yngrid Oliveira Yngrid Oliveira Author
Title: [LIVROS] RESENHA - O SOL É PARA TODOS
Author: Yngrid Oliveira
Rating 5 of 5 Des:
Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulhe...





Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça.
O sol é para todos, com seu texto “forte, melodramático, sutil, cômico” (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações.
• Com nova tradução e projeto gráfico, este clássico moderno volta à cena, justamente quando a autora lança uma continuação dele, causando euforia no mercado.
• Desde o anúncio de sua sequência, O sol é para todos é um dos livros mais buscados e acessados no site do Grupo Editorial Record.
• Já vendeu mais de 30 milhões de cópias nos Estados Unidos e, no último ano, ganhou a recomendação do presidente Barack Obama, que proferiu o seguinte elogio: “Este é o melhor livro contra todas as formas de racismo”.
• Vencedor do Prêmio Pulitzer.
• Escolhido pelo Library Journal o melhor romance do século XX.
• Eleito pelos leitores de Modern Library um dos 100 melhores romances em língua inglesa.
• Filme homônimo venceu o Oscar de melhor roteiro adaptado.




Este é um livro maravilhoso no qual assuntos polêmicos são inseridos nas vidas de crianças e como elas o entendem ou não e como  amadurecem diante deles. Diante destes temas refletimos:  será que ainda há motivo para ter esperanças? Será que direitos são para todos?  Com tanta falta de coragem de alguns diante das injustiças humanas ainda podemos tirar lições e mudar alguma coisa? Então a história deste livro me faz acreditar que algumas pessoas ainda podem fazer a diferença neste mundo cheio de crueldade.
O livro é narrado por Jean Louise, ou apenas Scout e dividido em duas partes: a primeira conta o cotidiano e travessuras da infância de Scout, 6 anos de idade, que  tem um irmão, o Jem, de 10 e de um vizinho recém descoberto, também criança, o Dill. Scout é órfã de mãe e vive com seu pai Atticus, seu irmão (todos brancos) e a governanta Calpúrnia (uma mulher negra).
Todo mundo sabe que criança pode ser muito cruel, mesmo que de uma forma inocente. Porque toda criança é preconceituosa com o que é diferente, devido ao que ouve dos adultos com quem tem convivência em cada um dos locais que frequentam. Com a Scout, Jem e Dill não é diferente e uma de suas diversões no verão era atormentar o Boo ou Arthur Raddley, um vizinho recluso e esquisito do qual ouviam várias invencionices, criadas muitas vezes para fazer medo e ameaçar as crianças a fim de obedecerem aos adultos. As crianças fazem tipo desafios para chegar o mais próximo possível da casa deste vizinho.  Esses preconceitos tem que ser corrigidos por algum adulto sensato, no caso principalmente por seu pai, a pessoa que representa o equilíbrio racional. Dessa forma a autora faz uso do dia a dia dessas crianças para  traçar o perfil da sociedade de Maycomb uma cidade do sul dos EUA.



Fora isso a vida segue de maneira muito pacífica na cidade , porém essa história infantil é o pano de fundo de uma história maior que se passa no século 30, quando a filha de uma família muito pobre é teoricamente estuprada por um negro e que mostra como uma sociedade racista pode influenciar a vida de um inocente. 
Porém sempre deve haver esperança da existência de pessoas boas  como o pai de Scout, o Atticus . Um pai forte e advogado correto, que vê o que antes era um povo com quem sempre se relacionou bem , assim como sua família, virar as costas por estar defendendo um negro, pois ele acredita que este está sendo acusado injustamente.


"A única coisa que não deve se curvar ao julgamento da maioria é a consciência de uma pessoa". (Atticus, página 135) 


O julgamento é a segunda parte (onde está a maior parte dos conflitos: ameaças ao Atticus, bulliyng com Scout por causa do pai, a vingança contra o negro). Toda a história se passa em 3 anos e as crianças vão amadurecendo, vão vendo o pai enfrentando a família e a cidade para defender uma causa que ele acha muito justa. 
Podemos ver pela visão das crianças que elas ainda não desenvolveram o racismo e nem entendem muito bem o que está acontecendo com o pai, mas que já tem o preconceito natural do humano com o que é diferente dando a ideia que as coisas no futuro ainda podem mudar.
A autora inventou a cidade, porém se inspirou na cidade que a autora nasceu e cresceu. Além disso existem outros aspectos de sua vida que se “confundem” com os da história, por exemplo a idade de Scout ser a mesma que a sua nos anos 30 e o fato de seu pai também ser um advogado que chocou por defender dois homens negros em outro tipo de processo. 
Curiosamente depois deste livro de sucesso, publicado na década de 60, Harper Lee infelizmente não escreveu mais nada depois  pelo menos  até o ano de 2015, quando ela escreveu um segundo volume com os mesmos personagens depois de  20 anos.
  
Minhas impressões:
1- Perfeito;
2- Favoritei? Favoritei;
3- Muito bem escrito;
4- História muito envolvente
5- Amo a inocência de personagens crianças descrevendo situações difíceis;
6- O livro fala muito mais que apenas sobre racismo;
7- Em muitas situações senti meu coração apertar com tanta tristeza e impotência para resolver as questões polêmicas.


Foto de como meu livro ficou quando acabei a leitura




Título: O sol é para todos
Autor:  Harper Lee
Editora: José Olympio
Páginas: 364
Ano: 2015 (1962)
Onde comprarAmazon
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top