Comentários
Dessa Piccinini Dessa Piccinini Author
Title: [PRIMEIRAS IMPRESSÕES] SWEET/VICIOUS
Author: Dessa Piccinini
Rating 5 of 5 Des:
Sweet/Vicious é uma série estreante da fall 2016 do canal MTV e, se por essa razão, você já acredita que ela é uma série meio teen, b...


Sweet/Vicious é uma série estreante da fall 2016 do canal MTV e, se por essa razão, você já acredita que ela é uma série meio teen, bem você esta mortalmente certo. 

A série utiliza-se de um tabu que, infelizmente, ainda faz parte do nosso dia-a-dia (principalmente feminino): abusos sexuais dentro dos campus de universidades. E, talvez, por esse exato motivo, eu consiga deixar passar os dramas teens existentes na série e consiga apreciar o que ela está tentando nos ensinar: sororidade. 

Juls é uma bolsista da universidade, faz parte de uma das casas de fraternidade, é uma garota meia e, de certa forma, certinha. Contudo, ela esconde um trauma do passado assustador e, movida pelo ódio e pelo medo, transformar-se em uma vigilante: ataca alunos que cometeram estupros dentro do campus da universidade e não sofreram as consequências. Ophelia é seu oposto: uma garota de cabelos verdes, traficante de maconha que vive alta ou bêbada, inteligente e excelente hacker, ela acaba encontrando o esquema de Juls ao acaso e decide que precisa ajudá-la. Um acontecimento terrível as une de uma vê só e ambas transformam-se na dupla de vigilantes que protege as garotas da universidade. 


E um primeiro momento eu foquei nos dilemas juvenis que já não me atraem mais: amigas que não lhe entendem, ser quem não é, pais que não gostam do jeito que você é, garotos... Mas a série joga em nossa cara que, ao mesmo tempo que essas garotas precisam lidar com todo o drama juvenil de estar na faculdade, ambas precisam lidar com acontecimentos maiores que isso. Juls precisa ver seu agressor todos os dias, a matando pouco a pouco. Ophelia, poe tentar enganar e parecer durona, mas mostra-se solitária e acolhe instantaneamente Juls como uma nova amiga. A dinâmica das duas garotas é divertida e Ophelia é constantemente o alívio cômico de uma série que deseja trabalhar um assunto sério de uma forma leve.

Estupros que são jogados para debaixo do tapete, traições, a descoberta da própria força feminina e da irmandade entre mulheres. Uma lista enorme de assuntos de "gente grande" que são apresentados de forma interessante e, algumas vezes, instigantes, por parte do canal MTV. E foi isso que me chamou a atenção e é por isso que escrevo essa 1ª impressões: deixando de lado um drama adolescente clássico, S/V aborda temas pesados e retratada a sociedade atual: machista, onde o consentimento não é uma palavra compreendida por todos os homens. A ideia boys will be boys é clara dentro da série, mesmo que não seja abertamente declarada e, a própria Juls parece se culpar pelo estupro, consequência comum para uma vítima de abuso sexual.  


Eu falo encarecidamente que, como eu, deem uma chance ao que pode se tornar uma série interessante. Ela não promete ser a nova PLL ou algo parecido, é despretensiosa em seus 5 episódios já lançados. O que ela promete - e entrega - é uma pitada de feminismo, ainda pequeno. É sororidade, é uma aula sobre consentimento, uma aula sobre como NÃO agir. 

Sweet/Vicious pode ser grande e, melhor ainda, importante. De maneiras diferentes, talvez tão importante quanto outra série que deseja tratar de um assunto pertinente da sociedade atual. É uma série sobre girl power, sobre não se culpar e, principalmente, sobre ter o controle de sua vida. 

Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top