Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [REVIEW] THIS IS US - S01E07 - 01E12: THE BEST WASHING MACHINE IN THE WORLD - THE BIG DAY
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Antes de qualquer coisa quero começar pedindo desculpas pelo atraso colossal nas reviews da série. Sei que algumas pessoas procuraram p...

Antes de qualquer coisa quero começar pedindo desculpas pelo atraso colossal nas reviews da série. Sei que algumas pessoas procuraram para ler sobre os episódios e acabaram não encontrando nada e a culpa disso é minha mesmo, não tem muito o que falar a respeito. A segunda coisa que acho importante mencionar é que a série foi oficialmente RENOVADA alguns dias atrás e teremos não apenas mais uma, mas DUAS temporadas de This is Us vindo por ai!  Dito isto, sentem que lá vem resumão de tudo que aconteceu na série até aqui. 

Já havíamos percebido que a relação de Randall e Kevin era um pouco conturbada e "The Best Washing Machine In The World" nos deu uma ideia de como as coisas foram (e continuam sendo) entre esses irmãos, estamos acostumados a ver a relação dos três irmãos na infância, e este episódio nos trouxe um pouco da adolescência deles. Rebecca tinha uma preocupação tão grande que Randall se sentisse incluído na família, uma preocupação tão grande para que o que fato dele ser adotado nunca abalasse a relação dele com a família e vice versa, que acabou fazendo com que Kevin se sentisse um pouco de lado nesse contexto, como se toda a atenção da família estivesse no seu irmão. Ao mesmo tempo, Randall queria se aproximar de Kevin e criar com ele um verdadeiro laço familiar mas não conseguia, já que Kevin parecia não querer muito a proximidade do irmão. 

Agora adultos, os dois saem juntos pela primeira vez e, então, descobrimos algo pesado quando se pensa a respeito. Eles acabam brigando feio em praça pública e no meio dessa briga, pela primeira vez, Kevin chama Randall de irmão, dizendo isso para todos em alto e bom tom. Eu não consigo imaginar como foi para Randall tentar de todas as formas se aproximar de Kevin e querer ele por perto e nunca conseguir ter isso. E é importante que ambos entendam e digam como se sentem para que a relação dois dois possa finalmente melhorar.

Toby e Kate acabam enfrentando alguns problemas no relacionamento quando ela descobre que seu namorado na grande realidade não tem feito a dieta como ambos haviam combinado para emagrecer. E descobre também que, mesmo assim, ele acaba perdendo 3Kg enquanto ela perdeu apenas 500g. Kate luta para emagrecer desde o começo e ver o namorado não se esforçando e, mesmo assim, emagrecendo mais que ela, foi um baque forte para ela. Enquanto Kate e Toby lidam com esse dilema, nós temos uma conversa importante gerada através de um "brownie para adultos". Willian acaba contando para Beth que conhecia Rebecca a bastante tempo e Beth não fica nada feliz em saber que a mãe de Randall mentiu para ele a vida inteira. Beth acaba por mudar o rumo das coisas e algumas difíceis decisões precisam ser tomadas.



Em "Pilgrim Rick" nós temos o feriado de ação de graças acontecendo e mostrando o quão importantes tradições são para a família. Randall acorda mais do que animado (e acordando a família toda juta - ou tentando) para organizar as coisas de ação de graças ao mesmo tempo que vemos como esse feriado americano tão importante era na infância dos três irmãos, a marca registrada de This Is Us intercalando presente e passado.  Quando ainda crianças o feriado de ação de graças não era algo que a família apreciava muito, afinal, eles precisavam passar na casa dos avós e Rebecca, que deu para perceber vem de uma família exigente demais, não queria decepcionar os pais e queria que tudo fosse perfeito. Sabe a velha história de que quando você quer muito uma coisa, tudo sai o contrário? Pois é. Essa ação de graças dá absolutamente errada e, então, a família acaba criando uma nova tradição familiar. Sem exigências com roupas e comidas. Apenas a família junta comemorando um feriado como este e, vamos combinar, não é este o real significado da ação de graças? A família encontra tudo que precisa quando está junta e assim se instala uma nova tradição que eles valorizam mais do que tudo.

Mas as coisas atingem um nível complicado quando Randall descobre acidentalmente uma carta de Rebecca no apartamento de Willian e descobre que mentiram para ele a vida toda. Randall sempre quis saber quem eram seus pais biológicos e ele poderia ter convivido bem mais com Willian se as escolhas tomadas tivessem sido outras. Acho que a situação é complicada demais para se apontar certos ou errados, mas Randall se sente traído pela mãe e isso o machuca demais.

Kate e Toby acabam dando um tempo no relacionamento quando ela descobre que não conseguiria de fato emagrecer vendo o namorado comer todo o tipo de pocarias o tempo todo. Ela está tentando se controlar, emagrecer de verdade e, neste momento, isso é a prioridade dela o que faz com que ela decida se afastar dele. Kevin é outro irmão metido em um relacionamento complicado com Olivia, uma personagem que entrou na série como quem não quer nada e acabou se tornando um arco na história de Kevin e mostrando que ela ainda tem muitas facetas para nos mostrar.


Em "The Trip" vemos um pouco os efeitos que as descobertas de Randall tem sobre ele e como os irmãos o ajudam a tentar compreender as coisas por outro angulo. Claro que ele está chateado com Willian e com Beth pois eles sabiam do segredo e não contaram para ele, mas Randall joga a culpa praticamente de forma integral sobre Rebecca pela mentira de 36 anos. Kate decide que seria bom para os irmãos irem para a antiga cabana da família para pensar um pouco nas coisas e, de certa forma, relembrar os bons momentos da família, para que Randall assimilasse melhor tudo que havia acontecido com ele. Porém Kevin, brilhante como sempre, resolve levar Olivia e esta, por sua vez, acaba levando alguns amigos junto para a a cabana. O que não agrada Kate nem um pouco.

Um dos amigos de Olivia havia levado um shake de cogumelos que acaba sendo ingerido acidentalmente por Randall e é através dessa (pequena e bizarra) viagem, que ele consegue encontrar as respostas que procurava, conseguindo ver mais do que a racionalidade dele havia permitido. Jack é quem guia Randall nessa visita a antigos momentos da família que mostram o quanto Rebecca tentou de todas as formas manter a família unida. No fim, Rebecca estava desesperada com medo de perder Randall, essa era uma perspectiva que ela não conseguiria suportar e, então, ela tomou as decisões que tomou. E guardou sozinha esse segredo por anos e não consigo imaginar como ela se sentiu, todo o peso nos ombros carregado sem ajuda e o medo de que Willian pudesse aparecer e levar Randall dela de alguma forma. No fim, até Randall consegue compreender o fardo carregado pela mãe e sabe que vai perdoá-la, não hoje (afinal, a mentira ainda dói muito), mas um dia.

Em paralelo temos Kate realmente decidida a fazer a cirurgia e tendo que aprender a lidar com a ausência de Toby (que está visivelmente arrasado) na sua vida. Kevin se irritou com a postura de Olivia e acabou jogando todas as verdades na cara da moça de uma vez só e terminou dormindo com a escritora da peça na qual ele e Olivia eram protagonistas. Podemos dizer que Kevin é alguém que realmente não perde tempo.



Natal é aquela época onde o amor parece tomar conta de tudo e todos. Aqui não é diferente e temos em "The Last Christmas" a família unida novamente. No passado nós temos Kate passando mal na véspera de Natal e indo parar numa cirurgia quando a família acaba reencontrando no hospital o Dr. K e eu adoro quando ele aparece fazendo uma pontinha no episódio como esta! No presente, vemos que Randall acaba tendo que lidar com uma situação nada fácil na festa da empresa quando alguém decide se matar e Randall percebe a situação e, acredito, que ele ao tentar (e conseguir) convencer o colega a não se matar acaba enfrentando um pouco dos próprios demônios também.

A família deveria passar o natal separada já que todos haviam desmarcado, afinal, cada um estava na sua luta interna por seus próprios problemas. Kate vai com Rebeccca ao médico para se informar sobre a cirurgia de redução de estômago de fato e Rebecca acaba tendo um choque ao descobrir que não conhece a filha como um todo. Kate come compulsivamente, tomava anti depressivos entre mil outras coisas que fugiam do conhecimento de Rebecca. E é sempre um choque para a mãe descobrir que conhece pouco dos filhos e é também normal que surja nela o sentimento de culpa por tudo que a filha enfrenta neste momento. Kevin e Sloane parece que estão realmente juntos e o relacionamento deles me parece muito mais saudável do que era o com Olivia, resta saber como as coisas realmente ficarão entre este triângulo que se formou na história.

É sempre mais fácil enfrentar os problemas em conjunto, certo? Contando com aquele apoio da família. Então, é assim que todos aparecem para celebrar o Natal juntos e para surpresa de todos Willian acaba trazendo alguém que ele reencontrou no encontro do AA também: Jessie, um antigo relacionamento de Willian que, assim, se revela bissexual. Sem alardes, sem nada. Exatamente como deve ser. E, então, para a surpresa de Kate, Toby também aparece para falar que não consegue ficar sem ela, numa cena linda de se ver. E, finalmente, todos comemoram o natal juntos e tudo parece estar caminhando um final mágico quando Toby desmaia na sala e o desespero toma conta de toda a família e, principalmente, de Kate.


"The Right thing to do" nos trouxe a explicação do mal súbito de Toby. Não foi um ataque cardíaco como todos haviam previsto e, sim, um arritmia. Algo que poderia ser tratado com remédios ao longo da vida ou, para "cortar o mal pela raiz" poderia ser realizada uma cirurgia, algo que Toby não quer fazer e acaba irritando Kate, de certa forma, que não se conforma com a escolha do namorado. Gosto muito da relação dos dois que mescla o humor e a seriedade de uma forma muito gostosa e foi bom ver Toby tomar a decisão de fazer a cirurgia no final das contas para ficar realmente bem.

O flashback que tivemos nos fez ver como foi a descoberta da gravidez de trigêmeos e como os pais lidaram com isso, ao mesmo tempo que pudemos ver um pouco da família de Jack e Rebecca. Rebecca, deu para perceber, vem de um família controladora e financeiramente estável, a mãe logo oferece a filha soluções para lidar com a gravidez tão inesperada de trigêmeos, mesmo que Rebecca saiba que não é necessariamente o ideal, ainda assim é bom ter uma possibilidade com os pais. Jack, por outro lado, vem de um lar desestabilizado e com um pai agressivo, presencia as agressões sofridas pela mãe diariamente e promete a ela não ser igual ao pai quando crescer. Quando a situação financeira aperta por causa dos filhos, Jack acaba recorrendo ao pai para pedir dinheiro mostrando que ele havia cumprido a promessa feita para a mãe anos atrás. Ele é o pai que faria tudo e qualquer coisa pela esposa e pelos filhos, inclusive recorrer a pessoa que ele mais odeia no mundo. Ele consegue o dinheiro e compra uma casa  maior onde ele, Rebecca e as crianças poderiam viver juntos da maneira mais perfeita possível.

Kevin segue sendo o personagem imaturo da série e, confesso, não consigo desenvolver nenhum tipo de empatia por ele (e olhem que venho tentando ao longo desses episódios). Quando Olivia retorna e quer ficar com ele, ele solta que vai ficar com Sloane porque é o certo a se fazer, mesmo que ele não queira. Isso machuca Sloane de uma forma absurda, obviamente, só alguém imaturo como o Kevin poderia falar essa frase sem pensar em como ela poderia machucar a outra pessoa. Pode ter sido uma escolha infeliz de palavras mas, ainda assim, ele terá que lidar com as consequências delas. Randall está tentando lidar com a presença de Jessie na vida deles e aprendendo a dividir Willian, coisa que até então, não havia acontecido. Numa conversa dura, mas necessária, precismos enfrentar o o fato de que Willian vai morrer e, então, dele escolhe desistir da quimioterapia. É uma escolha difícil para Randall também, mas ele apoia o pai nesta decisão num momento muito bonito entre eles.


E finalmente (podem dizer amém, eu deixo) voltamos ao começo da série com "The Big Day". Quando a série começou, nós estávamos no aniversário de Jack, com Rebecca grávida fazendo a dança para ele, afinal, tradição é tradição. Neste episódio nós tivemos a fase nada fácil enfrentada pelo casal antes da cena inicial da série acontecer.

É aniversário de Jack mas, Rebecca está no pico do seu estresse e nem ao menos se lembra disso. Ela está estressada por estar carregando três pessoas dentro de si, por estar em processo de mudança e ter caixas por todo lado e por toda influência hormonal que a atinge e, vamos combinar? É perfeitamente compreensível. Jack, por outro lado, quer estar do lado da esposa e aproveitar cada momento com ela, mas ela o expulsa de casa para que ele não seja "mais uma coisa no meio do caminho". Rebecca sabe que Jack é o que mais se aproxima de homem perfeito. Ele a ama incondicionalmente e faria de tudo pelas crianças, mas, ela não tem controle sobre como se sente neste momento. Quando ela percebe o que fez, mais do que depressa, tenta consertar e acaba dando para Jack a pior melhor toalha do mundo e o pior melhor cupcake do mundo. Esse episódio retrata bem que o relacionamento deles não era perfeito e estava longe disso, mas o amor e presença incondicional de ambos fazia com que as coisas dessem certo, mesmo que parecesse tudo iria dar errado.

Neste episódio vimos um pouco de como Randall, ainda sem nome e recém abandonado, ajudou a salvar um casamento e como a medicina, o parto de Rebecca e a conversa com Jack ajudaram o Dr. K a se salvar. Ele havia perdido a esposa a um ano e ainda não havia aprendido a lidar com a perda, afinal, passar 53 anos ao lado de alguém e de repente não tê-la mais ali, todos os dias, não é algo fácil de se passar. A cena no túmulo é emocionante e foi quase mágico ver como o Dr. K, depois de tanto tempo, aprendeu com Jack e sua família a lição que ele mesmo ensinou:

“Não há limão tão azedo que você não possa transformar em algo parecido com limonada.”



PS: Se você chegou até aqui: eu amo você porque ler isso tudo não foi fácil.
PS 2: Mandy Moore é tão bonita que chega a doer, né?
PS 3: Quando vai aparecer um Jack na minha vida? Estamos no aguardo.
PS 4: A trilha sonora dessa série é maravilhosa e, se você tiver interesse em saber tudo que toca por lá, é só dar uma olhadinha aqui: Tunefind

PROMO DO PRÓXIMO EPISÓDIO


Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top