Comentários
Lilian Zin Lilian Zin Author
Title: [REVIEW] NCIS - S14E16: A MANY SPLENDORED THING
Author: Lilian Zin
Rating 5 of 5 Des:
  “Each time you go rogue, there's a price to pay. And it's not cheap.” – Leroy Jethro Gibbs Só eu achei esse episódio um pou...
 “Each time you go rogue, there's a price to pay. And it's not cheap.” – Leroy Jethro Gibbs

Só eu achei esse episódio um pouco estranho? Quer dizer, já sabia que ia ter a ver com toda a situação de Chen, que Bishop não ia sossegar de jeito nenhum, mas não achei que iria acabar tão rápido assim. Geralmente reclamo muito de as histórias com os grandes vilões serem muito curtas. As únicas exceções foram o Ari, que durou por quase duas temporadas, e o La Grenouille, mesmo que ele não fosse tão vilão assim. Quer dizer, tudo ligado ao Chen foi bem estranho.

Primeiro porque, do nada, ele era muito perigoso, como foi mostrado em Willoughby (S14E11). Só nesse episódio é que ficou um pouco mais claro o motivo de todo esse “perigo” que ele é: Kai já fez negócios com um warlord sírio, responsável por financiar várias células terroristas. O problema todo gira em torno do fato de que ele virou informante da CIA, impedindo sua prisão. Só achei que a Congressista poderia ter tido um pouquinho mais de consideração com o Lee (sim, todo mundo sabia que eles iam acabar juntos) e, assim que ela saísse da reunião, ligasse para ele para contar sobre a nova posição de Chen. E é aí que a coisa fica boa.


A equipe tinha que investigar o suicídio da Tenente-Comandante Turner, que, é claro, não iria ser tão simples assim. O problema começa quando eles conseguem rastrear quem fez a ameaça a ela para o mesmo lugar em que Bishop e Reeves estão seguindo uma pista sobre Chen. Nem preciso falar o quanto eu estava torcendo para eles levarem uma bronca das grandes. Mas aí depois eu lembrei: lá na 10ª temporada, quando a Jackie Vance e o Eli David foram mortos pelo Bodnar, ninguém brigou com a Ziva por ela estar perseguindo ele em todo lugar possível. Inclusive, quase toda a equipe até ajudou. Bishop recebeu ordens para se afastar, mas David também. Sei que são circunstâncias diferentes, principalmente porque Ellie estava usando o tempo em que estava trabalhando para seguir pistas, além de fazer Reeves desobedecer às ordens que tinha recebido e colocar seu emprego em risco.

A questão é: se não fosse pela desobediência de ambos, o caso não teria sido fechado. E por caso não digo apenas o assassinato de Turner, mas também toda a história de Willoughby. Ou será que não? Porque minhas apostas estão naquele informante de Chen. Mas enfim, voltando a falar de Clayton: ele é um amor, dá vontade de abraçar e proteger para sempre, porém ele tem que ver que o medo que ele sente de Gibbs não está sendo o suficiente, já que, mesmo assim, ele continuou falando tudo sobre o caso para Bishop. Fiquei com muito medo de Vance acabar demitindo ele, mas acho que isso não vai acontecer, pelo menos por enquanto. Espero que agora ele deixe de ser tão ingênuo.


Quanto à Bishop: rainha. Ela simplesmente arrasou nesse episódio e eu estou extremamente feliz pelo resultado e pelo quanto ela cresceu, ainda mais depois da morte de Qasim. Ver que ela realmente não está ligando para as consequências das atitudes dela em relação a Chen mostra o quanto ela amava o namorado. Chego a suspeitar que ela o amava mais do que amava Jake, porque ela pode perder o emprego, mas pelo menos matou o responsável por seu sofrimento. Estava revendo Viral (S13E06) essa semana e toda aquela apreensão em descobrir se Malloy estava vivo ou não mostra o quão intensas são as emoções de Ellie. Mas ela não iria pegar um avião para Dubai para ir atrás do então marido.

E Qasim estava trazendo o que Bish tem de melhor: essas emoções. Desde o divórcio, ela começou a esconder todos os sentimentos, usando seu cérebro para tudo, transformando todas as coisas simples em complexos códigos binários e probabilidades matemáticas. Aqueles flashbacks com os encontros dos dois e o pedido de casamento que ele fez para ela (!!!) foram essenciais para deixar tudo ainda melhor e causar ainda mais impacto nas decisões tomadas pela agente. Depois desse episódio, fiquei com ainda mais raiva pela decisão dos roteiristas de terem matado ele. Ellie poderia estar feliz e noiva, mas, aparentemente, para que os personagens possam crescer e ter uma história interessante, alguém próximo a eles tem que morrer.

O resto da equipe apareceu pouco. O destaque ficou mais para Nick ensinando a equipe a arte do pickpocketing, habilidade já mostrada em Off the Grid (S14E12). É claro que aquilo não iria ser uma cena isolada só para mostrar que Nick pode pegar o relógio do McGee quantas vezes quiser e fiquei bem feliz quando vi que Bishop usou a técnica de forma certinha. Agora o mais impressionante mesmo foi Quinn pegando o distintivo de Torres do nada. E Gibbs repetindo o ato.

P.S.: Depois de 14 anos é que comecei a me perguntar: como assim existe uma saída para as escadas pelo laboratório de balística da Abby? Para mim a única entrada/saída era a principal. Bem estranho.

“You're right about everything. I know I overanalyze things. My mom says it's because I prefer to think rather than feel. Yes, I use my brain to push people away. I don't want to push you away. But I'm just not ready. I'm not saying I won't be one day.” – Eleanor Raye Bishop
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top