Comentários
Mylla Santos Mylla Santos Author
Title: [LIVROS] RESENHA - GAROTA EM PEDAÇOS
Author: Mylla Santos
Rating 5 of 5 Des:
Além de enfrentar anos de bullying na escola, Charlotte Davis perde o pai e a melhor amiga, precisando então lidar com essa dor e c...

Além de enfrentar anos de bullying na escola, Charlotte Davis perde o pai e a melhor amiga, precisando então lidar com essa dor e com as consequências do Transtorno do Controle do Impulso - um distúrbio que leva as pessoas a se automutilarem. "Viver não é fácil". Quando o plano de saúde de sua mãe suspende seu tratamento numa clínica psiquiátrica - para onde foi após se cortar até quase ficar sem vida -, Charlotte Davis troca a gelada Minneapolis pela ensolarada Tucson, no Arizona (EUA), na tentativa de superar seus medos e decepções. Apesar do esforço em acertar, nessa nova fase da vida ela acaba se envolvendo com uma série de tipos não muito inspiradores.

Cansada de se alimentar do sofrimento, a jovem se imbui de uma enorme força de vontade e decide viver e não mais sobreviver. Para fugir do círculo vicioso da dor, Charlotte usa seu talento para o desenho e foca em algo produtivo, embarcando de cabeça no mundo das artes. Esse é o caminho que ela traça em busca da cura para as feridas deixadas por suas perdas e os cortes profundos e reais que imprimiu em seu corpo.

Kathleen Glasgow faz sua estreia como escritora com o livro Garota em Pedaços, considerado um dos “Livros do ano” da Amazon/EUA de 2016 e da revista Teen Vogue e Best-seller do The New York Times, mantém contato com seus leitores pelo twitter. No final do livro temos uma nota da autora. Nela, Kathleen nos fala o que a motivou escrever esse livro: assim como Charlotte, Kathleen se automutilava e carrega as cicatrizes até hoje. Por muito tempo ela relutou em falar sobre isso, até que, ao encontrar uma mulher igual a ela no ônibus e exitar em falar que também tem essas cicatrizes, se sente mal pelo ocorrido e toma coragem para escrever sobre o assunto. Saber que ela passou por isso me surpreendeu e deu um tom de realidade nas descrições feitas no livro. É por esses e outros motivos que é sempre bom ler a nota do autor. 

Anos atrás, eu não queria escrever a história das minhas cicatrizes, nem sobre como é ser uma garota com cicatrizes, porque já é difícil o suficiente ser apenas uma garota no mundo. Experimente só ser uma garota com cicatrizes na pele, neste mundo.
Deixei aquela garota sair do ônibus sem lhe dizer nada. E não devia ter feito isso. Eu devia ter mostrado para ela que, ainda que presa nas profundezas dela mesma, ela não estava sozinha.

O livro é dividido em 3 partes. Ele se inicia com Charlotte na clínica e a primeira parte é como se fossem anotações feitas por ela, portanto os capítulos são curtos, variando de algumas páginas até um parágrafo. Isso traz um dinamismo pra história e torna a leitura rápida. Ela divide seu quarto na clínica com Louisa, uma menina que tem cicatrizes iguais as dela. Durante sua estada na clínica ela tem acompanhamento psicológico e terapias em grupo, porém ela evita interagir com as outras meninas e é chamada de Sue Silenciosa. 

As garotas aqui, elas tentam me fazer falar. Querem saber: que história você tem para contar, raio de luar? Conte cada pedacinho, passarinho. 
Eu cortei toas as minhas palavras fora. Meu coração estava cheio demais delas.

Charlotte passou por muitos momentos difíceis em sua vida, muitos mesmo, ao longo do livro vamos descobrindo cada um e, para mim, alguns foram impactantes. Ela sempre se sentiu deslocada e não se sentia aceita, carrega muitas dores dentro de si. A perda do pai foi um trauma pra ela, pois tinha uma boa relação com ele e sempre teve uma relação conturbada com a mãe, a perda da amiga foi outra coisa que a marcou e, além disso, Charlotte se sente culpada pelo que aconteceu com ela e essa sua culpa só aumenta a dor que carrega. Para aliviar todas as dores, ela se automutila, porém as vezes isso não é o suficiente.

E estranhamente, quando você começa a se cortar porque está se sentindo tão bosta e humilhada, seu corpo começa a liberar aquela merda do sentimento bom chamado endorfina, e você então se sente tão doidona que o mundo é como algodão-doce no melhor e mais colorido parque de diversões do mundo, só que sangrento e cheio de infecção.

Ao chegar a Tucson ela tem um local temporário para ficar, mas precisa encontrar um lugar para trabalhar e assim conseguir se manter. Também vai precisar de muita força de vontade para se manter na linha e continuar o processo que iniciou na clínica, mas rápido percebe que não vai ser nada fácil e que seu passado não vai ficar para trás, infelizmente muitas coisas ruins ainda iriam acontecer. No livro também mostra alguns outros problemas vividos por outros personagens e como eles lidam/superam esses problemas, serve para mostrar que todos têm problemas e estão enfrentando suas lutas pessoais. Charlotte tem sua arte como seu apoio, é outro jeito para diminuir a dor e, ao contrário dos outros, esse não é destrutivo. Possui muito talento como desenhista e as pessoas reconhecem isso, seria bom que no livro tivesse esses desenhos, iria acrescentar muito a história.

Acho que você está tendo um tipo diferente de coração partido. Talvez coração partido por estar no mundo quando não sabe como estar nele. Isso faz algum sentido?

Ao longo do livro fiz várias marcações, Charlotte conquistou minha empatia. Acompanhar sua luta sem poder ajudar é algo agonizante e apreensivo, a todo momento fiquei torcendo para que tivesse um final feliz, pois depois de tudo que passou ela merecia momentos bons. Na capa do livro, frente e verso, têm marcas de riscos em alto relevo que lembram os cortes que ela faz no corpo, nos capítulos também existem esses riscos, porém são pretos e sem alto relevo, mas têm o mesmo propósito, achei essa ideia ótima. As letras na capa estão borradas e remetem aos desenhos de Charlotte que eram feitos com carvão, outra ótima ideia.

Sou Frankenstein. Sou a garota cicatriz.


TÍTULO: Garota em Pedaços
TÍTULO ORIGINAL: Girl in Pieces
AUTORA: Kathleen Glasgow
EDITORA: Outro Planeta
PÁGINAS: 384
ANO: 2017
ONDE COMPRAR: Amazon
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top