Comentários
Tatiana Dantas Tatiana Dantas Author
Title: [PAPO DE SERIADOR] 13 REASONS WHY - SERIA UM PORQUÊ?
Author: Tatiana Dantas
Rating 5 of 5 Des:
[ALERTA DE GATILHO SOBRE DEPRESSÃO E SUICÍDIO.] [CONTÉM SPOILERS] Precisamos falar sobre 13 Reasons Why,  sobre Hannah Baker e...s...


[ALERTA DE GATILHO SOBRE DEPRESSÃO E SUICÍDIO.]
[CONTÉM SPOILERS]

Precisamos falar sobre 13 Reasons Why, sobre Hannah Baker e...sobre você também.


13 Reasons Why é uma série americana produzida pela Netflix baseada no livro homônimo escrito por Jay Asher. Foi adaptada por Brian Yorkey e Diana Son, com direção de Tom McCarthy e produtora executiva Selena Gomez, lançada dia 31 de Março.


Já se passaram alguns dias após finalizar essa difícil maratona e tive muitas fases. O Hype, o vício e a bad.

Na primeira fase saí indicando pra todo mundo, gritando o quanto o MUNDO precisava assistir essa série, sua importância, sua mensagem, sua genialidade em roteiro bem adaptado.
Meu vício só fazia falar sobre isso, pensar sobre isso e pesquisar sobre o que a série queria passar.
Por fim veio a bad, a tristeza profunda após o episódio 13. E quando digo profunda, foi a ponto de não ter vontade de sequer sair da cama.

Eu confesso que a intenção da postagem de início era indicar a série, e continua sendo, mas, acho que para pessoas que tem atitudes semelhantes aos porquês. As pessoas que passam/passaram coisas como a Hannah, se ainda estão vulneráveis, eu não indico de forma alguma a série.

"Mas Tati você amou a série, só falava dela, como assim não indica para todos?"
Pois bem, eu amei a série, me acrescentou muito, faz refletirmos nossas ações e em como elas podem afetar o próximo. Que algo que pra mim pode ser irrelevante para o outro pode ser uma tempestade, então, na dúvida, seja sempre gentil. Não julgue ninguém, respeite as pessoas e a forma como elas vivem suas vidas.
Todos os alertas da série são incríveis e impactantes. E a intenção é impactar mesmo, chocar, sacudir, porque é algo muito falado, mas pouco levado realmente em conta antes de coisas ruins acontecerem.
Se você é preconceituoso, comete bullying, julga, é machista, faz deboche, expõe as pessoas na internet ridicularizando elas, difama, agride, entre tantas coisas negativas que a lista infelizmente é bem imensa: VOCÊ DEVE VER ESSA SÉRIE.

Se você não sofre (ou SABE que não sofre) uma depressão, que as coisas que você assiste e lê não tem uma mudança drástica no seu dia a dia, não te influencia de forma forte, se você nunca tentou ou sequer pensa em suicídio, veja.
É muito importante essa conscientização em cima de dores invisíveis, de como aparências e um "tá tudo bem" enganam. Que é preciso ver além da superfície, que é preciso se policiar para não ser um porquê de alguém.

Pais que não mantém um diálogo com seus filhos, principalmente na fase da adolescência também é muito importante assistir, educadores, enfim, quase todos deveriam fazer essa maratona. Para ver os sinais de uma depressão, de algo errado, e proteger alguém de um possível suicídio, de mostrar que tirar a vida NÃO É E NUNCA SERÁ UMA SOLUÇÃO. E que não é frescura, não é para chamar atenção, ela apenas quer matar aquela dor, ela não vê sentido ou importância em existir, ela muitas vezes de fato não quer morrer, quer matar a dor, quer deixar de existir para deixar de sentir sozinha aquela dor que vai além do que os olhos podem ver. Por isso é uma maratona importante para você enxergar os sinais de pessoas que você ama a sua volta e ajudar. As vezes apenas mostrar que está ali, faz toda a diferença.

Mas repito, é uma série para QUASE todos assistirem. Por que quase?

Li algumas críticas negativas, refleti, e o que posso afirmar para vocês é a minha experiência como seriadora. E imagino que algumas pessoas vão se identificar, mas espero que não muitas.
Eu a alguns anos fui diagnosticada com depressão de moderada à grave, agorafobia, ansiedade e tentativas de suicídio. Agora estou bem melhor, quer dizer...estava.
A maratona de 13 Reasons Why  causou um impacto absurdo no meu dia a dia, eu chorei do piloto da série ao final. A semelhança com coisas que Hannah passou eram absurdas, e além da Hannah teve a Jéssica, que as pessoas estavam tão focadas dela ser um porquê que é muito pouco falado o absurdo que ela passou também. E mesmo eu tendo consciência de que era uma série, de que o elenco estava bem, de que tudo que passei está no passado, que estou segura em casa, mesmo sabendo disso: doeu, e doeu absurdos. Ou seja, ao mesmo tempo que a série pode ser um alerta, ela pode ser um gatilho.

Todos nós temos gatilhos emocionais. Você com certeza sabe como é quando alguém faz um comentário em tom de “brincadeira”, que pode não significar nada para outras pessoas, mas te deixa totalmente desestabilizado pelo o resto do dia. Você se sente desta forma quando alguém expressa qualquer desaprovação sobre você. De repente, você se sente deslocado e tendo um ataque de ansiedade, depressão, culpa ou vergonha. Soa Familiar?
A Hannah passa por diversos exemplos de situações, abrindo um leque de gatilhos para os espectadores, fazendo relembrar situações dolorosas já superadas ou esquecidas. E é como diz a frase 'relembrar é viver'. E reviver isso vem a tona a tal da bad. 

A proporção de mal estar no meu feed de notícias em redes sociais era absurdo, era preocupante, não ouvi ninguém dizer que a série fez bem. Li pessoas se conscientizarem com os porquês e vendo que precisa ter mais empatia, mas mesmo assim, se sentindo mal.
Tudo bem que é um drama, é forte, tem os avisos antes dos episódios finais de gatilho sobre suicídio, estupro, violência, mas quem já está no episódio 9, angustiado, curioso, vai parar? Duvido.

O que faltou na série para aliviar esses gatilhos? Esperança.
Além de você torcer pra magicamente a Hannah aparecer viva, alguém ter salvado ela, alguém ter ajudado a Jéssica, alguém ter mudado... o que te dão? Mais um suicídio. Não fica claro que foi isso, tem o suspense no Tyler, apesar de particularmente achar que o Alex não será alvo dele justamente por ter sido gentil. O Alex vai ao decorrer dos episódios mostrando culpa, apatia, depressão, todos os sinais que precisa de ajuda pelo peso que o suicídio e fitas da Hannah causaram nele. E qual ajuda a série nos oferece? Mais um suicídio como saída e alerta para a negligência da escola com o que estava acontecendo.

Então, além dos porquês que mexem tanto com quem assiste, cada personagem ou momento mexendo de alguma forma, a própria série é um porquê. Ao menos pra mim e para algumas pessoas do meu convívio foi. Para vocês sentirem a gravidade, uma pessoa do meu círculo de amigos, que passa pelos mesmos transtornos que eu, escreveu uma carta de suicídio com os 13 porquês, caso um dia faça algo. O quão preocupante isso é? Reflitam.

É uma série que em termos de qualidade, roteiro, atuações, muito boa. A proposta é bonita, a intenção é boa, mas ela é uma bomba relógio. Assim como tantas outras obras, tem sempre que assistir com cautela, porque a vida imita a arte muitas vezes, e o que ela está imitando é um grande problema. Como tem coisas muito boas que inspiram a vida, tem coisas tristes que se a pessoa não estiver em um momento bom em sua vida, vai causar mais dor para ela.

Vocês acham que estou exagerando? que é apenas uma série?
Vejam Being Erica que está totalmente perdida, foi ridicularizada na sua época de escola, passou pelo luto, mas ensina que a vida é importante, que você com ajuda pode superar.
Unbreakable Kimmy Schmidt, ela passa um trauma imenso e a série mesmo tendo como proposta ser uma comédia, mostra ela lidando com os traumas, buscando ajuda.
O que vocês tem que entender que não espere 13 porquês para buscar ajuda! Não tem nada de errado em buscar ajuda, a vida pode não estar fazendo sentido para você agora, mas você irá achar seu lugar no mundo, você pode não sentir isso, e é difícil mesmo enxergar, mas você importa pra alguém, tenha certeza disso.

A dor da Hannah importa, os porquês são relevantes sim, afinal cada um sabe o quanto de fardo seu ombro pode aguentar. E não é porque um aguenta mais coisas que o outro seja fraco, tudo tem efeito de forma diferente para pessoas diferentes. Mas quando coloco outras séries, outras dores como parâmetro, é o fim, o desfecho que me incomoda. Suicídio não deve ser romantizado, não deve ter voz, não é a solução, não cabe a alunos que também estão tão perdidos quanto os outros adolescentes impedirem. Eles podem parar de serem péssimas pessoas, mas não cabia ao Clay impedir por mais que amasse ela, ela nunca se abriu completamente para ele.

Os sinais que ela demonstrou foram importantes, mas foram dados para as pessoas erradas, e buscar ajuda, o maior número que for, ter se aberto com os pais que a amavam tanto, buscado um psicólogo. E não por ter um conselheiro ruim, decidir que a vida não valia mesmo a pena, que era a única saída. A série é ótima em mostrar que tudo foi um acúmulo de coisas que a levaram fazer isso, que cada ação ou negligência poderia, PODERIA, ter evitado isso, mas isso também não é uma certeza.
Como alguém que já tentou o suicídio afirmo que as vezes as pessoas a nossa volta emanam muito amor mas estamos machucados demais para notar, e as vezes enxergamos o que queremos ver.

Porém a fita 12 foi de um peso extremo na vida dela, os danos que um estupro pode causar são absurdos, mas a série falhou mais uma vez aí. O que ela fez após o estupro? Guardou pra ela. Realidade de TANTAS pessoas que vivem a sombra da culpa, medo e vergonha de fazer uma denúncia. Ela contou para o conselheiro, que mesmo tendo zero empatia no acolhimento, deu a opção dela fazer uma denúncia. Ela fez? Não.
O que uma jovem que passou pelo mesmo vendo aquilo, sem instrução, se sentindo mal, assistindo isso fará após um abuso? Isso mesmo, nada.
Claro que eu entendi que a série quis mostrar que tudo que a Hannah estava fazendo era errado, que ela tinha que pedir ajuda, etc etc... Eu sei enxergar isso, mas um adolescente sem maturidade e discernimento, sem se abrir com os pais, terá essa visão?

A série cresceu o número de buscas no CVV - Centro de Valorização da Vida que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio. E fico feliz por isso, por ter pessoas que viram a série e se abriram a oportunidade de buscar ajuda. Ela trás uma conscientização pra um tema de extrema importância, mas se não for vista com cuidado, pode se tornar um porquê, pode fazer mal, pode ser um gatilho.

Já tem dias que terminei e ainda me sinto profundamente mal, reviveu coisas em mim que não gostaria, então espero que não reviva em você também. Caso esteja se sentindo mal, por favor entenda a REAL mensagem da série, mesmo que passada de forma errada ou subentendida de que o suicídio NÃO é a solução e que você não precisa carregar esse fardo sozinho.

Caso esteja se sentindo muito mal após a maratona, ou independente da maratona esteja se sentindo mal entre nesse site CVV ou ligue 141, para apoio emocional e prevenção ao suicídio.

E para os demais:
Não faça bullying
Não aponte
Não descrimine
Não julgue
Não despreze
Não espalhe rumores
Não condene
Não seja conivente.


POR FAVOR NÃO SEJA UM PORQUÊ. 
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

  1. Acredito que essa foi uma das criticas mais consistentes que li sobre a série. Ainda não terminei de assisti-la, mas já sei praticamente tudo o que vai acontecer haha. Também me senti muito mal depois de assistir alguns episódios, mesmo nunca tendo tido depressão ou ideações suicidas.
    Me senti profundamente angustiada ao ler comentários nas redes sociais sobre a série em que as pessoas a defendem cegamente, sem realmente refletir sobre o seu significado. Li também vários artigos de opinião de psicólogos, em que praticamente todos a apontavam como gatilho, mas as pessoas insistem em endeusar e achar que todo mundo que assistir vai tirar a mesma lição. A série é boa, e tem muitos pontos positivos, mas há também pontos negativos que são muito importantes e tem que ser discutidos.
    Sobre o aumento de buscas pelo CVV, tenho refletido nos últimos dias, será que parte dessas buscas não se deve por causa da série? Não no sentido de que tenha incentivado a procurar ajuda mas de que tenha causado essas instabilidades emocionais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também pensei isso, que as ligações aumentaram justamente pelos gatilhos que a série trás, é um tema de extrema importância, mas exposto de forma um pouco irresponsável, a intenção é chocar, mas tem que pensar em quem está frágil e possa ver a série.

      Excluir

 
Top