Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: [REVIEW] BLACK SAILS - 4ª TEMPORADA
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
A 4ª e última temporada de Black Sails  chega ao fim e deixa aquele sentimento bom de dever cumprido. Foram 38 episódios onde uma histór...

A 4ª e última temporada de Black Sails chega ao fim e deixa aquele sentimento bom de dever cumprido. Foram 38 episódios onde uma história foi prometida e contada, com uma grande qualidade técnica e narrativa. 


A trama da temporada estava toda focada na guerra prometida por Flint. Seria a tomada de Nassau pelos piratas, a expulsão da Inglaterra e consolidação de uma luta. Para tal, uma aliança frágil fora feita, entre Flint, Billy, Edward Teach, Madi (e os escravos da Ilha) e Long John Silver. E era frágil pois Billy odiava Flint e dependia de Silver, ao mesmo tempo que Madi e Silver haviam desenvolvido um relacionamento. Para coroar, Flint é aquele manipulador que todos amamos. 


Black Sails não é uma série que tem por costume matar todos os grandes protagonistas, mas alguns sofrem desse destino em prol da trama. Se no ano anterior Charles Vane havia sido o mártir, nesse último, muitos seguiriam seus passos. Admito que para mim, a despedida mais difícil foi a de Teach, o Barba Negra. Brutal, sanguenta, pesada. Foi algo para ser marcante, como um dos maiores piratas de todos merecia.


Do meu ponto de vista, Rogers não foi o vilão que poderia ter sido dessa vez. Na temporada passada ele foi construído de maneira magistral, mas tirando sua batalha com Teach e seu plano para retomar Nassau, pouco vi do grande personagem. Eleanor também acabou ficando em segundo plano, mas seu fim foi digno, mostrando a grande manipuladora que era, em um nível próximo de Flint.


A justificativa pelo secundarismo em alguns pontos está também no tom da temporada. Por ser a última, grandes finalizações estavam por vir. Muito se sustentou nas relações entre os personagens. Um aplauso especial vai para Jack e Anne. O que a Anne fez para se libertarem de Rogers, foi incrível. Além disso, todo o plano de Jack, com a ajuda de Max, foi tão bem arquitetado que mereceu o sucesso.


Não podemos esquecer o personagem que acompanhou toda a trama do início ao fim. Long John Silver, de cozinheiro para Rei. Me decepcionei com suas decisões na reta final da série, mas compreendo. Ele nunca quis esse peso nas costas, era uma luta de Flint e Teach, não dele. Seu amor por Madi falou mais alto.


Por fim, nos despedimos do Capitão Flint. Um homem manipulador, visionário e genial. Mas que no fim, era só isso, um homem, com uma motivação. Quando Silver "desfaz" o mito, sobra apenas Flint, que tinha uma perda muito grande para suportar e que movia seus passos. Encerrar a série com ele reencontrando Thomas foi perfeito! 


Black Sails se despede como uma grande produção, um tanto quanto esquecida, mas genial. Se ainda não viu, até fizemos um 10 Motivos para Assistir dela, só clicar AQUI. A viagem acabou, hora de baixar as velas e guardar o chapéu. Ou então...que tal seguir Jack Rackham e procurar o tesouro perdido?
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

  1. A série foi fantástica, incrível, uma das melhores que já vi. A narração, os diálogos, a construção dos personagens, design, figurino, efeitos tudo foi perfeito. Até entendo que precisava terminar assim, pelos fatos históricos e tal, mas realmente foi decepcionante da metade até o final desse último episodio. Foi bem corrido a 4° temporada, parece que a volta do Thomas foi um tapa buraco pro final, foi meio jogado, ao invés de ter uma certa apresentação.

    E pra mim é inacreditável aceitar que o Flint desistiria da causa, tão "fácil" assim. Na série inteira ele mostrou que não escolhia entre "A" e "B", ele simplesmente conseguia "AB". Então o final digno do personagem de tamanha grandeza, era justamente conseguir a guerra e o amor. Mesmo que James tenha se tornado Flint por causa das suas perdas, chega em um ponto que não é possível mais se desfazer da persona, não é um botãozinho que liga e desliga na hora que quer. A causa pirata já virou parte do ser dele, virou parte do que ele é. Pelo jeito do personagem, o minimo que se esperava é que ele resgatasse Thomas e o colocaria na causa, assim como o próprio Thomas queria desde o início. O capitão Flint, só iria conseguir morrer se James também morresse. No passado de James, além de tantas outras coisas, tem também um Flint, e assim como o punho não pode ser desligado da pessoa.

    Simplesmente esquecer tudo o que passou, tudo pelo que ele e os piratas lutaram, por tantos outros que deram a vida (Vane e tantas outras mortes por exemplo), por tudo aquilo que a causa se tornou, com certeza o significado dessa guerra é muito maior, até o Jack tava tentando compreender tal magnitude.

    A Madi foi a única que realmente entendeu o significado dessa causa e da guerra que estava por vir. O que no inicio era só um sentimento pirata, acabou se tornando um movimento de libertação, da união de pessoas tão diferentes sob uma mesma bandeira, em nome de uma Nassau e um mundo melhor.

    As opções eram finalizar a série, de forma mais histórica, como prelúdio ou de fazer um final MEMORÁVEL, IMPACTANTE e INESQUECÍVEL que honraria a memória de todos que passaram e deram a vida por Nassau. Porém, foram pelo lado mais fácil e preguiçoso.

    Se fosse pra ter tido outra temporada, com certeza deveria ser entre a 3ª e a 4ª.

    Em comparação, se o Bruce Wayne, descobrisse agora, que seus pais estão vivos, ele deixaria de ser o Batman? Pois é...

    ResponderExcluir

 
Top