Comentários
Dessa Piccinini Dessa Piccinini Author
Title: [LIVROS] RESENHA - CRUELDADE
Author: Dessa Piccinini
Rating 5 of 5 Des:
O mundo de Gwendolyn Bloom vira de cabeça para baixo quando seu pai desaparece durante uma viagem de trabalho. Ela logo descobre que e...

O mundo de Gwendolyn Bloom vira de cabeça para baixo quando seu pai desaparece durante uma viagem de trabalho. Ela logo descobre que ele não é o homem que, por dezessete anos, achou que fosse — e essa é só a primeira de muitas revelações que Gwendolyn terá pela frente. Sem poder contar com a ajuda de mais ninguém para encontrá-lo, a garota parte em uma jornada tão perigosa quanto alucinante, seguindo os rastros do pai pela Europa. Porém, para se infiltrar — e sobreviver — em um novo mundo cheio de maldade e perversão, ela precisará deixar toda a sua vida para trás, assumir uma nova identidade e se tornar alguém tão cruel quanto seus piores inimigos.

Esse livro é literalmente tiro, porrada e bomba. E sangue. E veneno. Mas não sei se todos vão apreciar Crueldade como eu fiz. 

A uma primeira vista, Gwendolyn Bloom é filha de um diplomata americano que passou sua vida viajando para vários países. Fala cinco línguas fluentemente, não se encaixa no mundo Classe A que é forçada a conviver devido o trabalho do pai e, mesmo tendo uma personalidade forte, tem medo. Medo de reagir ao tapa de uma colega, medo das coisas monstruosas do mundo. 

O medo vem do assassinato da mãe na Argélia. Ela não sabe, e não deseja saber, o que aconteceu com mãe quando foi morta. Desde então, vive com seu paidrasto, aprendendo a levar a vida de um jeito discreto. 

Tudo isso acaba no dia que o pai de Gwen desaparece em Paris. E gente, não há tantas reviravoltas no livro, ou talvez eu tenha visto filmes e séries sobre a CIA mais do que o normal das pessoas, mas que o pai dela era um espião eu já esperava. Afinal, ele não é o que parece/diz exatamente o que ele é. De toda forma, ele ser um espião não é um spoiler, afinal, é  o catalisador da desaventura de Gwen. 

A personagem chega a uma bifurcação: ir morar com a tia que não vê desde a morte da mãe ou ir para Paris e encontrar o pai, já que a própria agência não está fazendo o trabalho direito? 

Com a ajuda de um vizinho não tão pacato assim, uma mulher que pode chamar de Yeal e os instintos de uma garota de 17 anos, Gwen se torna Sofia e Sofia deseja vingança e não irá parar até encontrar o pai - entrando em um passeio pelas rua mais obscuras da Europa.

Eu adoro uma boa história de espionagem. Vilões horrendos, traficantes de mulheres e drogas, identidades inventadas, o não sei se posso confiar em você. Mas quando nós as vemos, ela é protagonizada por um agente treinado, alguém que passou por anos em um treinamento. Gwen teve algumas semanas em Paris com Yeal, anos de ginástica olímpica e os instintos de sobrevivência do ser humano. E talvez tenha sido isso que, em alguns momentos, me deixou duvidando da credibilidade da personagem principal: até um mês atrás você era uma garota comum de 17 anos, agora uma espiã altamente mortal que chega a um lugar onde nenhum outro chegou? 

Então, se você espera algo muito crível, talvez... Bem, não que não seja. O livro tem grandes espaçamentos de tempo que não estão ali. Tenho certeza que passar dias e mais dias treinando Krav Maga o dia todo deve te deixar pronta para lutar contra os mais despreparados. E, ninguém é idiota até certos pontos... Eu só precisava de algo mais, algo que não gritasse: poder do protagonista em certos momentos. 

Além disso, se você é como eu e já assistiu Covert Affairs e outras séries por aí, eu duvido que não chegue a algumas conclusões antes mesmo de elas serem necessárias. Foi algo bem automático em alguns momentos, saber quem estava por trás de tudo. 

Parece que eu não gostei do livro, mas bem pelo contrário. Li ele em uns dois dias e realmente adorei a leitura. Foi divertida, me prendeu, me deixou curiosa para o que se espera nos próximos livros... Ao todo o conjunto da obra tem seu valor, até porque o autor fez algo que eu não esperava: ele tirou a inocência de Gwen. Nada de: eu não sou assim. Eu não sou assassina. Eu não sou traidora. Ela destrói vidas ao longo de sua busca, pessoas comuns e pessoas más. E ela não se importa. Acho que esse talvez seja o grande acerto do livro. Eu esperava uma protagonista certinha, cheia de habilidades que iria tirá-la de todas as enrascadas para que no fim ela ligasse para a polícia e prendesse todos os vilões. E não foi bem assim que as coisas aconteceram. 

É um livro interessante. Ao contraponto que me incomodou com a força da protagonista, me encantou com a capacidade de manchar sua personalidade pela crueldade e pela vingança. E, de forma alguma, a história é parada. Portanto, não há como negar que me diverti, a história é interessante e, acredito, o resto dos leitores irão se divertir também. Eu fui capaz de deixar de lado e aceitar o protagonismo da personagem, como faço em animes, séries, filmes e até outros livros. Mergulhei de cabeça no que Scott estava propondo e, ao final, saí surpreendida e positivamente curiosa com o que ele tem guardado para a personagem principal. 

Crueldade é o que promete, um livro sobre a perda da inocência, sobre como encontrar o seu limite. E de como ultrapassá-lo em busca de seus objetivos. 

Autor: Scott Bergstrom
Páginas: 376
Editora: Seguinte
Lançamento: 2017

Livro cedido pela Editora Seguinte para resenha


Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top