Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: [REVIEW] AMERICAN GODS - S01E08: COME TO JESUS [SEASON FINALE]
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
Com uma bela temporada de introdução e construção, American Gods fecha seu primeiro ano no topo, com expectativas ainda maiores para a ...

Com uma bela temporada de introdução e construção, American Gods fecha seu primeiro ano no topo, com expectativas ainda maiores para a sequência e a grande guerra que se aproxima!

Depois de uma pequena derrapada no episódio anterior, esse seguiu o padrão de início com uma história de algum dos deuses. E o narrador não podia ser melhor: Anansí! Enquanto ele fazia ternos para Wednesday e Shadow, a história de Bilquis é contada. Compreendemos ainda mais a deusa que já tinha dado as caras algumas vezes, além de entender que Tecnichal Boy tem alguma influência sobre a mesma.

Então a viagem segue rumo à uma mansão no Kentucky que estava em plena comemoração da Páscoa. Qualquer um com um pouco de conhecimento da cultura nórdica/pagã sabia o que viria e não fomos enganados, hora de conhcer Easter! Ou Ostara.

Foi possível ver também um monte de "Jesuses", em mais uma demonstração que nenhum deus é intocável dentro dessa história. A reação de Shadow à mentira de Wednesday frente ao que houve com Vulcano mostrou que existia um risco no papel que seu chefe desempenhava e que a sua conversão "ainda" não era total.

Ao mesmo tempo, se durante toda a viagem de Mad e Laura fomos levados à crer que eles estavam indo encontrar Anúbis (pelo menos eu pensei isso), descobrimos que eles também se dirigiam à Easter, esperando que ela ressuscitasse Laura. O problema é que a verdade é revelada: A Sra. Moon foi morta por um deus (ou a mando de um), sendo assim será um pouco mais difícil sua caminhada rumo à vida agora!

E então temos o gran finale, com a chegada da Media, também para conversa com Easter, afinal, a Páscoa depende muito da mídia. Com uma breve discussão entre Wednesday e os Novos Deuses, temos enfim a revelação do seu nome. Se haviam dúvidas ainda, ele é Odin, o Pai de Todos. Tudo estava bastante claro com sua cegueira de um olho, com seus corvos e até mesmo com seu nome, já que Wednesday deriva de Woden's Day (Dia de Odin). 

A conversão agora total de Shadow, a raiva acumulada de Laura, a decisão do Sr. World de que a guerra irá acontecer e a tomada de partido de Easter, roubando a Primavera, deixam pontas soltas que virão à ser amarradas no decorrer do próximo ano.  Até mesmo o papel de Bilquis precisa ser melhor entendido ainda.

American Gods se mostrou uma bela série em seu primeiro ano. Com uma construção lenta, mas bem feita. Com diversos protagonistas, não se fiando apenas em Wednesday e Shadow, mas também no carisma de Sweneey e Media por exemplo. Além da beleza caraterística das produções de Bryan Fuller e da maneira diferente de misturar passado e presente, só podemos esperar grandes feitos do próximo ano. Até 2018!


Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top