Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: [DEBATE DDS] GAME OF THRONES É UMA FANFIC, MAS ISSO É UM PROBLEMA?
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
[ESSE TEXTO PODE CONTER SPOILERS PARA QUEM NÃO VIU A 7ª TEMPORADA] *O texto ficou bem grande, mas vale a pena, juro! Uma discus...

[ESSE TEXTO PODE CONTER SPOILERS PARA QUEM NÃO VIU A 7ª TEMPORADA]

*O texto ficou bem grande, mas vale a pena, juro!

Uma discussão tomou a internet durante a 7ª temporada de Game of Thrones, de um lado aqueles que gostaram do rumo mais acelerado que a série tomou, com grandes batalhas, encontros e definições, já do outro está o time dos que não gostou e acha que a série perdeu sua essência no caminho. Será que um dos lados está certo?

Já adianto que não serei totalmente imparcial, faço parte do segundo time. Porém, venho pensando se realmente foi essa desgraça toda que eu achava logo após ver os episódios. E esse texto é sobre isso, sobre eu tentando me convencer que talvez não exista problema na série ter se tornado o que se tornou. Ao mesmo tempo espero ajudar ao primeiro time a entender que não é um hater puro e simples.

Game of Thrones sempre uma série com uma média alta. É difícil encontrar alguém que realmente tenha assistido e odeia tudo o que viu. Baseada em um material fonte riquíssimo, o show sempre se baseou na boa e velha intriga de palácio, onde você nunca sabia quem iria se dar bem no "jogo dos tronos". Ser bonzinho só podia te levar à um lugar: o túmulo.

Tanto por isso vimos aqueles que sempre despontaram como os protagonistas se ferrando. Jon passou por poucas e boas, Daenerys também. Tyrion? Nem se fala. Isso sem falar em Sansa, Arya e Jaime. Me mantendo só nos que estão vivos não é? 

Desta forma a série sempre foi responsável por grandes reviravoltas, mortes inesperadas, derrotas incríveis e cenas de tirar o folego. Além disso, sempre houve todo um cuidado com o desenvolvimento dos personagens para chegarmos ao ápice que, até então, não sabíamos exatamente qual seria.

A grande pergunta: essa temporada manteve essa linha? Bem, vamos responder por partes.

DESENVOLVIMENTO DOS PERSONAGENS

Talvez esse ponto tenha sido o que mais me incomodou. No próximo tópico vou me ater às questões criativas, como os corvos velocistas, mas aqui está, para mim o maior problema.

Acompanhamos durante anos a série cuidar do desenvolvimento de cada núcleo, cada personagem importante. Vímos A evolução de Jon até se tornar o Rei do Norte, de Daenerys até vir à Westeros com seu exército, de Cersei até chegar ao trono. Tudo muito bem explicado. Porém nesse ano, devido à velocidade que a trama seguiu, isso ficou completamente de lado.

Focando talvez no ponto mais polêmico: o romance de Jon e Daenerys. O próprio George Martin deixou claro que o objetivo da história era colocar os dois frente à frente. Não duvido que quando os livros enfim ficarem prontos podemos ver um romance entre eles acontecendo em suas páginas. Porém tenho certeza que ele acontecerá de uma forma menos forçada. 

Justamente pela aceleração da temporada o que aconteceu foi que simplesmente tínhamos de aceitar que depois de perder um de seus filhos, a maior preocupação da Mãe dos Dragões era com Jon Snow. Que um rei, que no episódio anterior deixou claro que ela não podia mandar nele, ia chamar ela de "Dany", só porque ela foi salvá-lo. A falta de tempo impediu o desenvolvimento de algo que podia ser bem feito.

ACELERAÇÃO DA TRAMA

Aqui uma questão que me irritava durante a temporada, mas que depois passei a entender melhor. 

Pelo bem da história, reduzida à 7 episódios já pela questão financeira, a trama precisava acelerar. O material de Martin é tão rico que talvez 10 temporadas não seriam o suficiente. Porém ao fazer 6 temporadas bem construídas sobre um ritmo, acelerar na última é como você atestar que não sabe o que está fazendo.

Muito poderia ter sido trabalhado de forma diferente nos anos anteriores para que tudo seguisse um ritmo melhor, mas como isso não foi feito, parece que tudo aconteceu nesse ano. Se nos anos anteriores acompanhávamos apenas uma grande batalha por temporada, nessa teve no mínimo 3 em 7 episódios, com algumas sendo completamente reduzidas à poucas cenas pelo custo.

Além disso, vemos a trama pouco se importar com a velocidade dos deslocamentos. Se na primeira temporada levamos quase 4 episódios só para ver o Rei Robert e Ned indo de Winterfell à Porto Real, nesse ano todos iam e voltavam em um piscar de olhos. Dá pra aceitar? Dá. É fácil? Não.

ABSURDOS (OU LIBERDADES) CRIATIVAS

Finalizo então com o tema mais polêmico.

Game of Thrones não é a série mais crível possível todo o tempo. Deixando de lado a questão dragões/zumbis,  vemos um povo que não se revolta, deixando toda a trama para o nobres do reino. Meu lado historiador sempre viu um problema nisso. Porém o mais legal da série eram as traições e reviravoltas. E agora me digam, teve alguma nessa temporada?

Jon ser um Targaryen? Já sabíamos. E antes de criticar o Bran por não saber que o casamento entre Lyanna e Rhaegar era oficial (o que na verdade não deveria ser, pois para anular um casamento seria necessário um motivo forte e não apenas "amo outra") ele é o Corvo de Três Olhos, mas não é Onipresente.

Viseryon morrer? Ok, talvez a única morte meio surpreendente. Mas como os roteiristas resolveram fazer tudo o que os fãs queriam, essa era a única maneira de dar vida à teoria do Dragão de Gelo. E mesmo isso ficou encoberto com o absurdo de Daenerys nem derramar uma lágrima pelo filho, por Tio Benjen ser o maior Deus Ex-Machina da história e pelos Outros terem correntes gigantes para retirar o dragão da água. Preciso falar que no episódio seguinte é dito que eles não sabem nadar, mas no anterior alguém tem que ter nadado pra prender o dragão? Não preciso né.

Mesmo a morte de Mindinho já vinha sendo telegrafada. Admito que fui enganado ao pensar que Sansa estava voltando a ser idiota, mas na cena do julgamento tudo deixava claro que chegaria naquele resultado. Poderia também reclamar que ela não cumpriu a Lei do Norte, onde aquele que dá a sentença deve brandir a espada, mas né. Podia também falar da saudade do Fantasma, que aparentemente ficou em seu canil toda a temporada.

CONCLUSÕES

Pesando os prós e os contras, é possível reclamar de muita coisa, mas também aceitar e deixar passar várias. E esse é problema. Game of Thrones não é uma série que criava situações que você tinha de relevar. 

Quando uma série mantem um nível alto durante anos e do nada isso cai um pouco, gera um choque. Foi o que aconteceu nesse ano. A série nota 9,5 (desculpem fãs, mas 10 pra mim só Breaking Bad e Sopranos) caiu pra 8. A média ainda é 8,75, deixando ela à frente da maioria das coisas que tem na TV hoje em dia, mas não diminui o choque de realidade.

O título do texto se refere ao fato da série tem se tornado uma fanfic. De verdade, é mais uma polêmica barata de minha parte. Por mais que muitos tenham deixado de aprovar a série, duvido que alguém não vá assistir o ano final em 2019. Mas passo a esperar ainda mais que aquele senhor termine os seus livros, para eu descobrir se a série que me desagradou mesmo, ou se ele criou um universo que não teria um fim satisfatório de qualquer jeito.

De toda forma, comentem, debatam, opinem, briguem, me xinguem. Vocês concordam? Discordam?

Até 2019 fãs de Game of Thrones!
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top