Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: [REVIEW] PREACHER - 2ª TEMPORADA
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
Em seu segundo ano, Preacher se consolida como uma das principais adaptações de quadrinhos da TV. Sem se preocupar com limites, o show a...

Em seu segundo ano, Preacher se consolida como uma das principais adaptações de quadrinhos da TV. Sem se preocupar com limites, o show apresenta quase tudo do material de Garth Ennis, o que não é pouca coisa!

Em um mundo no qual aparece uma nova adaptação de quadrinhos à cada espirro de uma pessoa com renite na primavera, acabamos nos contentando com o mediano. Com isso, obras fracas passam na média ao mesmo tempo em que não sabemos reconhecer quando algo é realmente bom. E então, se aparece algo que foge do padrão, bem, o susto é ainda maior.

Em seu primeiro ano, Preacher jogou o jogo seguro. Sem pensar em se expandir, ficou restrito ao seu universo, desenvolvendo bem seus protagonistas e nos preparando para o futuro. Agora o balde foi chutado e ele estava cheio de m****. 

A série finalmente chegou à road trip que é nas HQs, com paradas em alguns lugares para criar grandes histórias. Nessa temporada, tivemos duas grandes histórias com os 3 protagonistas, ao mesmo tempo que Eugene passava por um belo aperto no inferno.

A busca por Deus, que é o foco dos quadrinhos, segue aqui e com uma bela enfase. Jesse está cada vez mais seguro de seu poder e quer usá-lo para confrontar o Todo Poderoso. Mas a jornada não é fácil. Foi interessante ver como a série não se importou em falar do principal ícone da principal religião do mundo. Na verdade, a série parece não se importar com nada.

A saga do Santo dos Assassinos seguiu firme e forte, com o confronto decisivo entre ele e o pastor, além de causar belos pesadelos em Tulipa. E podemos esperar por mais do Santo, é um personagem importante e com um belo papel a representar no futuro.

Já a chegada de Herr Starr era esperada e muito bem vinda. O principal antagonista do Pastor finalmente foi visto como ele é, um homem sem escrúpulos, nem limites, que apenas visa atingir um objetivo. Muito de sua história ainda será trabalhada, ainda mais com o trunfo que ele tem sobre Jesse. Não é nem necessário comentar o barulho causado pelo episódio no qual Jesus aparece fazendo sexo em todas as posições imagináveis, além do seu nada inteligente herdeiro (que é um belo exemplo do que aconteceria no futuro dos Targaryens...)

Claro que o foco da série sempre será a relação dos 3 protagonistas. Tanto que me pergunto como será a representação de um dos arcos mais pesados das HQs, quando Jesse segue um caminho diferente deles. Porém o show parece estar preparando o caminho para isso, ao mesmo tempo que nos prepara para conhecermos o passado do Pastor.

E Eugene? Coitado de Eugene. O Cara-de-Cú passou toda a temporada no inferno, local para o qual Jesse o mandou. Lá ele mostra que é um cara muito bom e por isso não merecia estar lá. E adivinha quem vai ajudá-lo? Isso mesmo, Hitler! Que ótima história foi essa! E ainda pode ficar melhor!

Uma série que bebe sem pudor de seu material fonte, por mais controverso que ele seja. Afinal, mostrar Deus como um item de um fetiche sexual pode causar muitas repercussões. Que venham os processos, abaixo-assinados e, é claro, a  3ª temporada!




Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top