Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: [PAPO DE SERIADOR] UMA CONVERSA SOBRE VIDA ACADÊMICA E SÉRIES DE TV
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
Consigo me lembrar perfeitamente da época da graduação onde eu era facilmente conhecida como a garota dos seriados. Quando professor...


Consigo me lembrar perfeitamente da época da graduação onde eu era facilmente conhecida como a garota dos seriados. Quando professores queriam usar séries como exemplo e não lembravam o nome, eu era a pessoa procurada para resolver essa questão. Eu assistia muitas séries. Muitas mesmo, não eram 4 nem 5, eram aproximadamente 30 séries ou mais. Quase todas em dia. Ativa nos grupos de séries do facebook (onde conheci muita gente que carrego comigo até hoje, grupos do facebook onde este blog nasceu à lindos 5 anos atrás (já faz tudo isso mesmo???).

Quando terminei minha graduação e comecei a estudar para entrar na pós, eu percebi que algo havia mudado. Eu simplesmente não conseguia mais assistir série nenhuma. Mesmo. Não importava que série era, se era o hype do momento ou não. E isso foi algo que aconteceu não apenas com séries, mas também com livros. Logo eu, que amo ler mais do que amo muitas coisas nessa vida...não conseguia pegar um livro e conclui-lo. Eu estava em um pico de estresse e cansaço mental que eu dormia quando tentava ler. Eu não conseguia focar em 45 minutos de episódio porque eu poderia estar fazendo alguma outra coisa. Eu deveria estar estudando. Eu deveria estar fazendo alguma coisa para meu futuro. Eu deveria. 

Então, eu fechava o episódio da série e voltava aos cadernos e resumos, mesmo já estando exausta demais para absorver qualquer coisa que eu estivesse lendo. E é sobre isso que eu quero conversar com vocês: A gente precisa aprender mais sobre equilíbrio. 

Antes de tudo e qualquer coisa, nós precisamos entender que a vida acadêmica deve sim ser nosso foco principal em determinados momentos. Você está cursando a faculdade para exercer sua profissão no futuro e você merece ser um bom profissional (não porque os outros querem, mas porque você merece isso). E isso é algo que exige esforço e dedicação. Exige, sim, entrega. Você precisa dar o máximo de si, mas isso não pode jamais custar sua saúde mental. Não pode custar que você deixe de fazer as coisas que você gosta porque você não encontrou tempo para isso. Isso chega a ser absurdo quando paramos para refletir, não é mesmo? 


Longe do ambiente acadêmico, eu aprendi muito também com aquilo que assistia. Aprendi sobre as relações humanas, sobre empatia, sobre esforço, sobre força, sobre dor e sobre alegria enquanto assistia séries. Assistir séries pode ser apenas um meio de distração mas, mesmo sem perceber, você aprende muito com elas e cresce como ser humano e isso, meus amigos, é muito importante. Crescer como ser humano é tão importante quanto sua vida acadêmica. A gente precisa disso e este é um exercício diário. 

Séries nos fazem criar laços. Nos fazem criar amizades que transcendem a tela de um computador e entram na força de um abraço. Tenho sorte (e acho que muitos de vocês também) de ter feito amizades maravilhosas enquanto conversavam sobre séries de tv e seus personagens favoritos. Muitas das minhas pessoas favoritas, das pessoas que mais me entendem na vida estavam, até pouco tempo atrás, distantes de mim. E são pessoas que eu jamais teria conhecido se não tivesse escolhido dar play no episódio da daquela série. Se não tivesse "encontrado tempo" para conversar sobre ela com alguém. Minha mãe costuma brincar que não importa o canto do Brasil que eu escolha viajar, eu teria uma casa para ficar. Sorte a minha, isso é verdade. Mas é verdade apenas porque essas pessoas entraram na minha através das séries. Quem foi que disse  que um seriador é solitário? 

Eu aprendi, e acho que muitos de vocês também, inglês com séries. Eu me lembro como ficava frustada por não entender nada das minhas séries e ser obrigada a esperar as legendas. Eu queria ver na hora. Nunca fiz curso de inglês na minha vida, e todo o inglês que sei (e até me viro bem) aprendi assistindo séries. Assistindo aos meus episódios favoritos das minhas séries favoritas. Quem foi que disse que séries são inúteis? 

A gente precisa começar a entender que não podemos dedicar 100% do nosso tempo para estar focado nos estudos. A gente precisa parar de se sentir culpado por assistir algo que apenas te distrai por 40 minutos. Nesse ambiente acadêmico que é tão exaustivo e que te cobra tanto, um alivio que te faça rir, chorar, te distrair e te fazer pensar em algo completamente aleatório por um período de tempo é tudo que nós precisamos. 

Conhecimento não é apenas o acadêmico. Já diz a sábia frase "Não adianta ter doutorado e não cumprimentar o porteiro". Conhecimento de mundo e das pessoas é algo que todos precisamos. No mais, use seus personagens favoritos e seus atores do coração para se inspirar (a menos que ele seja um vilão que mata pessoas. Neste caso, é melhor não se inspirar não). Eles chegaram até li porque lutaram por isso. E você também precisa lutar por aquilo que quer. Não estou falando para abandonar os estudos e só ver séries, afinal, nada cai do céu, na sua mão prontinho para você aproveitar. Estude. Estude muito sim, mas ciente que você precisa estar bem mentalmente para conseguir aproveitar os frutos quando colhê-los. 

Vamos deixar a culpa de lado e aceitar que está tudo bem parar por 45 minutos ou 90. Vamos aceitar que estamos dando nosso melhor. Vamos entender nossos limites e aceitar que assistir alguns episódios de série por semana não é o fim do mundo. Ler aquele livro de romance apenas por ler não é fim do mundo. Fazer qualquer coisa que te distraia um pouco não é o fim do mundo. Não é. 

Assistir 30 séries ao mesmo tempo é hoje uma realidade bem distante (mas fico feliz que aproveitei aquele período), mas escolher uma série gostosa ou uma série do seu ator favorito ainda cabe dentro do aceitável. E não é algo que eu estou mais disposta a abrir mão. Espero que vocês também não estejam.

Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top