Comentários
Michelle Louise Michelle Louise Author
Title: A HORA DO LOBISOMEM: TODO MÊS A LUZ CHEIA APARECE, TODO MÊS ELE ATACA...
Author: Michelle Louise
Rating 5 of 5 Des:
UMA CRIATURA CHEGOU A TARKER’S MILLS. A HORA DELA É AGORA, O LUGAR DELA É AQUI. O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovi...



UMA CRIATURA CHEGOU A TARKER’S MILLS. A HORA DELA É AGORA, O LUGAR DELA É AQUI.

O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto. Agora,a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’s Mills, surgem novas cenas de terror inimaginável. Quem será o próximo? Quando a lua cresce no céu,um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada. Um clássico de Stephen King,com as ilustrações originais de Bernie Wrightson.


Eu sou completamente apaixonada por Stephen King e pela forma como ele consegue, como poucos, compor suas histórias, personagens e enredos de uma maneira que fica difícil largar quase qualquer livro dele. 

A hora do lobisomem é um dos clássicos do mestre do terror  e, até pouco tempo, era uma raridade em terras brasileiras. Possuindo uma única edição lançada em 1987 pela editora L&PM, estava praticamente impossível encontrar esse livro até pouco tempo atrás. A editora Companhia das Letras, no seu selo Suma de letras, tem nos presenteado com obras do tio King em edições maravilhosas a um certo tempo. Porém, a coleção "Biblioteca Stephen King" ultrapassou todos os limites. Dentro dessa coleção, a editora tem relançado grandes clássicos de Stephen King, em edições de capa dura, emborrachada e com gravuras em alto relevo, ou seja, edições para colecionador e leitor nenhum botar defeito. 


A hora do lobisomem acontece numa pacata cidade do Maine (é claro), chamada Tarker's Mills. O estilo da escrita presente nessa obra é bem diferente de tudo que já li do autor, o que já é bastante perceptível dado o tamanho do livro! Para quem estava acostumado com livros grossos e um grande desenvolvimento dos personagens, prepare-se para sair dessa zona de conforto que Stephen te proporcionava. Aqui a história acontece em menos de 160 páginas mas o suspense e o clima de mistério que são marcas registradas do autor ainda estão aqui. 


A estrutura da história se baseia em 12 capítulos, sendo que cada capítulo dessa história é baseado em um mês do ano, como se fosse realmente um pequeno calendário. Cada mês traz consigo uma nova lua cheia e ela, por sua vez, traz consigo um novo ataque do lobisomem que mata uma pessoa por capítulo de maneira bastante sangrenta. 

Para uma leitora como eu, que gosta de se aprofundar nos personagens, essa obra pode dividir opiniões. A narrativa acelerada, como se fossem minicontos (que não se conectam assim, logo de cara), acaba por não aprofundar em personagem algum o que faz com que você não se apague a praticamente ninguém. Talvez a exceção seja, de fato, o pequeno menino Marty que acaba sendo o personagem que permanece mais tempo com o leitor, porém, cada personagem, dentro do seu capítulo, tem como se apresentar ao público, dos deixando quase que com água na boca para conhecê-los mais.


Stephen King, é claro, não poupa nas descrições a cerca dos ataques dessa fera e, para completar essa descrição completa que faz você imaginar exatamente o que está acontecendo, cada capítulo conta com uma ilustração de Bernie Wrightson que são absolutamente sensacionais tornando, mesmo que rápida, a narrativa ainda aterrorizante. Não há romantização no lobisomem de Stephen King: ele é uma fera que gosta de sangue, que gosta de matar, e vai fazer isso das piores formas possíveis. 

A grande sacada do livro é ir te guiando aos poucos para a grande descoberta: a identidade do lobisomem, o rosto do homem quando a lua cheia não brilha alto no céu. Não que seja uma revelação impossível de ser descoberta de antemão, já que em alguns momentos da narrativa já é possível descobrir pistas de quem é o homem por trás da besta. 


Ainda que este não seja um dos melhores livros de Stephen King é interessante perceber que, mesmo fugindo de tudo que você está acostumado com o autor, ele consegue te manter cativado na leitura. Perto de clássicos calhamaços do autor como "It" e "A Dança da Morte", A hora do lobisomem é um bom livro para quem quer ter nas mãos um livro que te prenda e que, ainda assim, você consiga terminá-lo em apenas um dia ou dois. 

Além de todas as ilustrações no decorrer desta história  há, ainda, no final do livro a presença de 4 ilustradores brasileiros que relatam qual a sua cena favorita deste livro, explicando brevemente o porquê e, de quebra, nos brindando com suas versões ilustradas destas cenas. No todo, o cuidado na edição do livro para fazer parte dessa coleção é de deixar qualquer queixo caído. 

A hora do lobisomem não é apenas um livro lindo para se ter na estante mas é, também, uma leitura que vale muito a pena.



PS: A coleção "Biblioteca Stephen King" já conta com três títulos: Cujo, A Hora do Lobisomem e O Iluminado. O próximo lançamento será "A Incendiária". 

A Hora do Lobisomem

Autor: Stephen King
Páginas: 152
Editora: Suma de Letras
Lançamento: 2017
Compre aqui.





Livro cedido pela Editora Suma de Letras para resenha 


Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top