Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: O NÃO TÃO BELO SONO DAS MULHERES E O TERRÍVEL FUTURO DOS HOMENS
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
Pelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se des...


Pelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se despertadas, se o casulo é rasgado e os corpos expostos, as mulheres se tornam bestiais, reagindo com fúria cega antes de voltar a dormir. Em poucos dias, quase cem por cento da população mundial feminina pegou no sono. Sozinhos e desesperados, os homens se dividem entre os que fariam de tudo para proteger as mulheres adormecidas e aqueles que querem aproveitar a crise para instaurar o caos. Grupos de homens formam as “Brigadas do Maçarico”,incendeiam em massa casulos, e em diversas partes do mundo guerras parecem prestes a eclodir. Mas na pequena cidade de Dooling as autoridades locais precisam lidar com o único caso de imunidade à doença do sono: Evie Black, uma mulher misteriosa com poderes inexplicáveis. Escrito por Stephen King e Owen King, Belas Adormecidas é um livro provocativo, dramático e corajoso, que aborda temas cada vez mais urgentes e relevantes.


Em sua primeira parceria com seu filho, o Senhor King apresenta uma mudança drástica no mundo, com suas tão pesadas consequências, na tentativa de nos fazer refletir sobre as causas e problemas do nosso presente.

A situação é simples: as mulheres estão adormecendo e sendo envolvidas em casulos. Sem nenhum aviso e sem preparação. Essa é a premissa e parte do interessante ponto de que nenhum de nós está realmente preparado para o imprevisível. Se de uma hora para outra algo que foge ao nosso controle ocorre, não sabemos como reagir. 

As mulheres passam a dormir e ninguém sabe como isso acontece ou como evitar. As reações não são planejadas aqui e isso causa problemas. Nos orgulhamos de sermos uma raça pensante, que cria coisas e somos racionais. Bem, King deixa claro que nem todos somos assim. Alguns irão tentar reagir de uma maneira lógica. Mas para muito, são as emoções que regem o nosso ser.

O pior é que se elas são acordadas, coisas terríveis podem acontecer. O medo então se instaura entre os homens e as mulheres ainda despertas. O medo enfim é a grande tônica desse livro, com as consequências de vários medos, pessoais ou mundiais, se colidindo.

A escolha de uma cidade como Dooling para ser o epicentro de tudo é apenas uma tentativa de mostrar o problema em uma ambiente controlado. A partir disso, temos os problemas pessoais, como traições controle de raiva sendo suprimidos pelo bem maior. E aqui, cada uma acredita que sua solução é melhor.

Nesse mundo do King, temos a mais clara imagem dos problemas masculinos nos conflitos humanos. Ele deixa claro que em nenhum momento podemos esperar que os homens encontrem uma solução racional e tranquila para o que está acontecendo. Seu papel na construção na humanidade os coloca como seres que pensam ter todas as respostas, enquanto suas mulheres devem se curvar às suas soluções. O problema? Em um mundo sem mulheres, em poucos anos, eles não existiriam mais!

Ao mesmo tempo, as mulheres seguem acordando em um outro Lugar. Nesse Lugar elas podem ter a chance de seguir em frente e construir um novo mundo. Com elas no comando, poderiam educar seus filhos homens para serem pessoas melhores e assim ermos um mundo melhor. Longe do livro coloca-las como perfeitas, mas elas estariam mais próximas da solução assim.

Entre conflitos pessoais e decisões que podem mudar mundos, Belas Adormecidas é uma história complexa, sobre como o mundo precisa de um equilíbrio para seguir em frente. Afinal, não queremos que esse equilíbrio nos seja imposto, não é mesmo?

Título: Belas Adormecidas
Autor: Stephen King e Owen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 728
Ano: 2017
Onde Comprar: Amazon

Livro cedido pela editora para resenha.
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top