Comentários
Jéssica Ohara Jéssica Ohara Author
Title: VIDA QUERIDA: O COTIDIANO É COMO UM SOCO.
Author: Jéssica Ohara
Rating 5 of 5 Des:
Como nas demais coleções de contos da autora, mestre da forma breve, nos vemos diante de personagens que caminham nas beiradas da ...





Como nas demais coleções de contos da autora, mestre da forma breve, nos vemos diante de personagens que caminham nas beiradas da existência, arrancadas de seu cotidiano por golpes incisivos do destino e da loucura. Mas este 'Vida querida' tem um diferencial que o coloca num nível novo; a última parte do livro traz as quatro únicas narrativas autobiográficas já publicadas por Munro, que emprega toda a sua habilidade literária para rever sua vida, além de refletir sobre o ato de narrar, a ficção e os temas que regem sua obra - memória, trauma, morte. Vida - vida.


Eu queria começar essa resenha com uma afirmação do tipo “Ler Alice Munro é...”, mas é muito difícil escrever algo tão definitivo. Não de uma escritora que te surpreende a cada página, que ás vezes faz você chorar para no trecho seguinte te dar outro soco para chorar ainda mais. O que me encanta nela é que esse efeito dramático não é criado através de grandes acontecimentos, não, é só o cotidiano da vida que é difícil, pode ser traumático, pode ser entendiante, mas é a vida.

Em nenhum dos contos você encontrará uma concepção romântica do amor, com pessoas seguras de si e dos seus relacionamentos. Até nos mais duradouros há uma pontada de dúvida com o “e se”. E isso é bom, perceber que por mais banais que possam ser nossos relacionamentos, eles podem dar grandes histórias, tristes ou não, serão grandes histórias.

Não vou escolher um conto em especial para comentar. Principalmente, porque acho que eles formam uma espécie de narrativa, não que haja alguma ligação entre as histórias, mas é como se elas cobrissem um longo período de tempo das várias possibilidades de vida de uma pessoa. Os quatro últimos contos são autobiográficos, e foi nesse momento que eu pude dizer com toda força “mais que mulher”.  Ela destrincha sua própria vida e nos apresenta sem barreiras nem medos, tirando um pouco a aura do artista genial.

Vida querida é um bom nome. Contraditório em alguns contos, na verdade, em maior parte deles. Mas ainda assim preciso, não há um sentimento de ódio a vida entre os personagens, como se eles soubessem que no final é só isso que se teve. Os nosso pequenos egoísmos podem ser terríveis e transformarem-se em monstros, mas até aí qualquer um, não se é melhor ou pior do que ninguém.


AUTOR(A): Alice
PÁGINAS: 320
EDITORA: Companhia das Letras
LANÇAMENTO: 2013
ONDE COMPRAR: Aqui
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top