Comentários
Lilian Zin Lilian Zin Author
Title: THE WEST WING E O MELHOR EPISÓDIO DE UMA SÉRIE QUE JÁ VI ATÉ HOJE
Author: Lilian Zin
Rating 5 of 5 Des:
  “You know, if you don't want to run again, I respect that. But if you don't run because you think it's gonna be too hard or...
 “You know, if you don't want to run again, I respect that. But if you don't run because you think it's gonna be too hard or you think you' re gonna Iose well, God, Jed, I don't even wanna know you.” – Mrs. Dolores Landingham

Quando comecei a ver The West Wing em 2016, fiquei simplesmente encantada com tudo relacionado à série. Na época eu já conhecia – e amava – o Rob Lowe e a Allison Janney, então para gostar do resto do cast não demorou muito. Mas, ao final de cada episódio assistido, era Martin Sheen que ficava na minha cabeça por um tempo. Fosse pelas palavras ou pela forma como seu personagem era interpretado, às vezes eu digo que comecei a ver a série por Sam Seaborn, mas decidi ficar – e por muito tempo – por Jed Bartlet.

A verdade é que sempre fui uma pessoa muito enrolada. Parei de ver a série ainda na primeira temporada em setembro de 2016, mas sempre me pegava sentindo falta de toda a movimentação da Ala Oeste da Casa Branca e seus funcionários. O empurrãozinho que faltava veio justamente de outro presidente dos EUA – Tom Kirkman, de Desginated Survivor. A partir daí, decidi que iria maratonar a série, mas, mesmo assim, tive que dar mais uma pausa. Meu motivo aqui hoje não é somente exaltar a série, mas sim falar de um episódio em particular: a season finale da segunda temporada. Na verdade, a segunda temporada toda foi cheia de episódios maravilhosos e atuações impecáveis, começando com In the Shadow of Two Gunmen, passando por Noël e fechando, com chave de ouro, com Two Cathedrals


Eu já vi muitas séries, inúmeros episódios, mas nunca fiquei tão impactada quanto quando acabei de assistir a esse. Tudo foi feito com tanta maestria que eu não sei nem por onde começo, sobre o que falo ou se simplesmente fico olhando para a tela do computador. A verdade é que Aaron Sorkin é um gênio. Primeiramente por ter escalado Martin Sheen para interpretar Bartlet. E depois por ter escrito um episódio tão icônico e emocionante. Confesso que tinha levado alguns pequenos spoilers do que aconteceria no episódio, mas nem isso tirou todo o brilhantismo ali presente.

Two Cathedrals começa de onde 18th and Potomac termina: a morte de Mrs. Landingham e como Jed lida com a situação ao mesmo tempo em que tem que cumprir com suas obrigações como presidente e ainda decidir se vai ou não querer tentar a reeleição. Como fundo disso, uma tempestade tropical chega em Washington, um fenômeno que, em Maio, nunca havia acontecido antes. Em meio a revelar sobre sua esclerose múltipla e lidar com a situação na embaixada americana no Haiti, Bartlet consegue encontrar formas de encarar seu luto e é aí que tudo fica maravilhoso.

Esse episódio foi o único na série toda que mostrou um pouco do passado do presidente. Mais especificamente quando ele estava na escola e conheceu Mrs. Landingham. O desenvolvimento da amizade dos dois é feito de forma tão simples e tão significativa, que, caso fosse mostrado anteriormente, o episódio não teria uma carga emocional tão grande quanto teve. Existem várias coisas ao longo dele que me fizeram parar e pensar em como alguém poderia ter escrito algo tão lindo e executado com tanta perfeição. Porém tenho duas cenas que serão para sempre minhas favoritas na história da televisão.



A primeira foi após o funeral de Mrs. Landingham, em que Jed pede para Leo tirar todo mundo da Catedral e deixá-lo ali, sozinho. Eu sabia o que vinha em seguida, mas mesmo assim, não é todo dia que se vê alguém caminhando em direção ao altar e brigando com Deus. Misturando inglês e latim, Martin Sheen estava impecável. É interessante também ver como ele traz fatos bons e ruins que aconteceram durante seu mandato e tenta entender o motivo por aquilo ter acontecido. Afinal de contas, ele criou três filhas, sempre se dedicou muito à igreja e ainda assim teve seu Deputy Chief of Staff quase morto durante um tiroteio. Até a tempestade é foco de suas reclamações. Para terminar, ele ainda acende um cigarro e apaga no chão da Catedral, como havia feito antes de conhecer Mrs. Landingham. É uma cena que arrepia do começo ao fim. Uma cena magnífica.

A outra cena é ainda mais emocionante. Antes de fazer o pronunciamento sobre sua doença, uma das portas da sala oval se abre, novamente. O que havia sido descrito por Charlie como uma corrente de vento, para mim foi um sinal. Quando ele chama por Mrs. Landingham, eu achava que ele iria se sentir ainda mais mal quando ninguém respondesse. Qual foi minha surpresa quando não apenas a porta abriu, mas também quando ela entra na sala rindo dele porque ele ainda não aprendeu a mexer no interfone? Não só isso, mas toda a conversa entre os dois, passando pelos números de tudo o que aconteceu durante seu mandato, até a confiança que ela deposita nele para que uma reeleição aconteça é algo que me encanta até hoje.

Para aqueles que assistem ou já assistiram à série, eu tenho certeza que esse é, sem sombra de dúvida, um dos episódios favoritos da grande maioria. Para aqueles que nunca assistiram ou têm alguma curiosidade pela série, Two Cathedrals é o maior incentivo possível para que isso aconteça.

“You're a son of a bitch, You know that? She bought her first new car and You hit her with a drunk driver. What? Was that supposed to be funny? "You can't conceive, nor can I, the appalling strangeness of the mercy of God," says Graham Greene. I don't know whose ass he was kissing there, 'cause I think You're just vindictive. What was Josh Lyman - a warning shot? That was my son. What did I ever do to Yours but praise His glory and praise His Name? There's a tropical storm that's gaining speed and power. They say we haven't had a storm this bad since You took out that tender ship of mine in the North Atlantic last year. Sixty-eight crew. You know what a tender ship does? Fixes the other ships. It doesn't even carry guns. It just goes around, fixes the other ships and delivers the mail. That's all it can do. Thank You, Lord. Yes, I lied. It was a sin. I've committed many sins. Have I displeased You, You feckless thug? 3.8 million new jobs, that wasn't good? Bailed out Mexico. Increased foreign trade. Thirty million new acres of land for conservation. Put Mendoza on the bench. We're not fighting a war. I've raised three children. That's not enough to buy me out of the doghouse? Am I really to believe that these are the actions of a loving God? A just God? A wise God? To Hell with Your punishments. I was Your servant here on Earth. I spread Your word and did Your work. To Hell with Your punishments. To Hell with You! You get Hoynes.” – Josiah ‘Jed’ Bartlet
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

  1. Caramba!

    Tenho um carinho enorme por essa série.

    Agradecido por ler esse texto. De verdade.

    Sempre que encontro conteúdo a respeito, corro logo pra ler.

    Vira e mexe tento revê-la mas não encontro pra assistir.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz, mesmo. Ainda pretendo escrever mais textos sobre essa série que se tornou uma das minhas favoritas facilmente. No legendas.tv os legenders do WWBrasil colocaram links para baixar os episódios.

      Excluir

 
Top