Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: THOR - O RAGNAROK NA "FÓRMULA MARVEL"
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
Sempre fui um crítico da "Fórmula Marvel" . Aquele padrão no qual os filmes da Casa das Ideias se inserem, com uma estrutura...

Sempre fui um crítico da "Fórmula Marvel". Aquele padrão no qual os filmes da Casa das Ideias se inserem, com uma estrutura bem definida que gera dinheiro, mas também pouca liberdade para ousar. Seguidores assíduos do "time que está ganhando não se mexe", demorou para o Estúdio aceitar criar filmes diferentes. Thor: Ragnarok, é um deles.

O Deus do Trovão precisou passar por dois filmes terrivelmente fracos para só então ganhar algo que minimamente divirta. Entenda, ainda acho que esse Thor está longe de ser o Poderoso Herói dos quadrinhos, mas pelo menos ele agora tem uma cara. E ser uma comédia, não é um problema.

Chris Hemsworth tem um dom para a comédia. Desde sua participação em As Caças-Fantasmas, passando pelo seu "Mockmentary" de Team Thor, ele sempre mostrou que essa é uma grande qualidade dele. Qualidade essa que ficava esquecida nos filmes da Marvel. Sempre ofuscado por seu irmão Loki, brilhantemente interpretado por Tom Hiddlestom, parecia que nunca veríamos uma boa atuação nesse papel. 

Taika Waitiki é um diretor com uma veia humorística própria, isso já havia ficado evidente em Uma Fuga para a Liberdade (Hunt For The Wilderpeople). O medo sempre foi a Marvel limitar sua capacidade. Pois bem, isso não acontece. Thor: Ragnarok é uma comédia, recheada de cores, tiradas inteligentes e piadas com um ótimo timing, como deve ser.

Aqui acompanhamos o film de Asgard. O Ragnarok é o apocalipse nórdico e o filme deixa isso claro, mas não da maneira que esperávamos, o que acaba sendo muito bom. Ao inserir a vilã Hela, filha abandonada de Odin e Rainha dos Mortos, podia parecer que ela seria a grande causadora do fim épico, mas o filme tinha muito o que mostrar.

E é isso que torna o filme frenético. Nunca temos uma folga na trama, tudo está sempre acontecendo em grande velocidade. Temos material pDoutor Estranho foi ótima e com um timing excelente, mostrando que cada vez mais a Marvel sabe como unir o universo.
ara pelo menos dois filmes separados, mas quis o destino (ou os direitos dos personagens) que tudo estivesse junto. A participação do

Agora sem dúvida o grande foco é o Hulk. O Gigante Esmeralda rouba a cena, com a parte do meio do filme servindo como um filme próprio, o seu Planeta Hulk. Finalmente temos o grandalhão falando (como sempre devia ter acontecido) e lutando com toda sua força. Se o filme é o ponto final para a construção de Thor, o Deus do Trovão, também o é para Hulk.

O filme serve para consolidar Thor como um Deus. Ele não tem mais seu martelo. Não tem mais seu olho. Mas ele tem seus poderes, que sempre foram sub-aproveitados. Aqui ele funciona como um herói, entendendo que salvar seu povo e salvar sua terra, são coisas diferentes. A estratégia criada é inteligente e digna de um líder. E a participação de Surtur, por mais que pudesse ser maior, ainda alegrou seus fãs.


O filme conclui a história pessoal do Deus Nódico. Agora só lhe resta se resolver com Thanos. E com os outros Vingadores. Rumo à Guerra Infinita.

Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top