Comentários
Leandro Cardoso da Cruz Leandro Cardoso da Cruz Author
Title: O BURACO DA AGULHA: A ESPIONAGEM DITANDO OS RUMOS DA GUERRA
Author: Leandro Cardoso da Cruz
Rating 5 of 5 Des:
O ano é 1944. Os Aliados estão se preparando para desembarcar na Normandia e libertar os territórios ocupados por Hitler, na operaçã...


O ano é 1944. Os Aliados estão se preparando para desembarcar na Normandia e libertar os territórios ocupados por Hitler, na operação que entrou para a história como o Dia D. Para que a missão dê certo, eles precisam convencer os alemães de que a invasão acontecerá em outro lugar. Assim, criam um exército inteiro de mentira, incluindo tanques infláveis, aviões de papelão e bases sem parede. O objetivo é que ele seja fotografado pelos aviões de reconhecimento germânicos. O sucesso depende de o inimigo não descobrir o estratagema. Só que o melhor agente de Hitler, o Agulha, pode colocar tudo a perder. Caçado pelo serviço secreto britânico, ele deixa um rastro de mortes através da Grã-Bretanha enquanto tenta voltar para casa. Mas tudo foge a seu controle quando ele vai parar numa ilha castigada pela tempestade e vê seu destino nas mãos da mulher inesquecível que mora ali, cuja lealdade, se conquistada, poderá assegurar aos nazistas a vitória da guerra. Na obra-prima que lhe garantiu, há 40 anos, a entrada no cenário da literatura, Ken Follett fisga o leitor desde a primeira página, com uma trama repleta de suspense, intrigas e maquinações do coração humano.


Ken Follet é um mestre quando o assunto é espionagem. Eu mesmo já havia resenhado um de seus livros (Contagem Regressiva) e já sabia o que devia esperar. E mesmo assim, ler o romance que o lançou ao topo, trouxe um incrível nova perspectiva.

Em O Buraco da Agulha somos lançados em meio à 2ª Guerra Mundial. Com o conflito pendendo para os Aliados, a invasão da Europa Continental se torna uma necessidade. A grande chave do livro é nos jogar um pouco antes desse grande momento. Não estamos no Dia D, mas vemos o que é necessário para que ele tenha ocorrido.

Follet nos apresenta os personagens com maestria. Entendemos suas motivações e suas maneiras de agir. Desde todos os membros do "heróis" até o grande vilão (aqui sem aspas, afinal, a exceção à regra de que "todo mundo pode ser herói e vilão" são os nazistas). É incrível como ele consegue contar a história de David e Lucy de tal forma que ela funciona independente da grande trama, enquanto isso é necessário.

Outra mágica do livro é que, por mais que desejemos descobrir a conclusão e como todas as tramas vão convergir para o desfecho, a narrativa se constrói de tal forma que fiquemos sempre instigados a saber cada detalhe, por mais que isso adie o fim.

É uma grande virtude de Follet essa capacidade de cadenciar um livro. Acompanhamos o passo a passo de Faber, o dia-a-dia de Lucy e David e as investigações de Bloggs e Godliman. Tudo isso sem lentidão mas também se grande velocidade. Porém quando a perseguição se inicia, o ritmo raramente diminui e sentimos essa ansiedade.

O Buraco da Agulha nos entrega uma história rica, com assassinatos, traições e lutas épicas, dentro de seu microcosmo. E o mais impressionante é saber como essa pequeno universo poderia realmente influenciar o destino de milhões. Desde de um acidente de carro que destrói uma relação, até um morador de uma pensão que se mostra importante, chegando enfim em sentimentos no mais maligno dos homens, tudo isso torna possível que a o Dia D aconteça.

Se você está buscando um thriller de espionagem, com grandes personagens, figuras históricas e um quê de "isso realmente poderia ter acontecido", não deixe escapar esse lindo relançamento que a Arqueiro nos trouxe!

Título: O Buraco da Agulha
Autor: Ken Follet
Tradutor: Alves Calado
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Ano: 2018
Onde Comprar: Walmart

Livro cedido pela editora para resenha.
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top