Comentários
Jéssica Ohara Jéssica Ohara Author
Title: LER, LEMBRAR E OUVIR: CONTANDO HISTÓRIAS EM OUTUBRO
Author: Jéssica Ohara
Rating 5 of 5 Des:
Todas as listas do ano vão sair com fé. Outubro é o melhor mês sim e bato em quem discordar. Não é só porque foi meu aniversário, lon...


Todas as listas do ano vão sair com fé. Outubro é o melhor mês sim e bato em quem discordar. Não é só porque foi meu aniversário, longe disso. Mas tem coisa mais linda do que Outubro e suas histórias? E foi um mês de produção, ô se foi.

O Leandro resenhou O Buraco da Agulha, primeiro livro do Ken Follet, nem é preciso dizer que a grandiosidade desse autor já se encontrava em sua primeira obra. Para esse thriller de espionagem eu escolhi Vivaldi Storm - 2cellos. Impactado e sem reação são expressões perfeitas para descrever como o Leandro se sentiu em relação ao final da saga da Torre Negra, nada melhor para digerir esses sentimentos do que Flavin Installation - Jordan Kuspa.

A Ayla, fão número 1 de fantasias, resenhou A maldição da pedra, da linda da Cornelia Funke, pensando nesse ambiente transcendente, eu escolhi Transmission/Michaelion - Ibeyi. Fantasia e amor, fórmula perfeita para ficar grudada no livro, o que é bem a cara de Nora Roberts em seu Baía dos Suspiros, para essa linda história só A Cor é Rosa - Silva.

A Poly leu o clássico Vinte Mil Léguas Submarinas e amou, para essa aventura no fundo do mar que encantou gerações de escritores, eu escolhi Peter Pan - Arcade Fire. O segundo do mês foi A Missão Traiçoeira, segundo livro de uma trilogia de tirar o fôlego, espionagem, ação e amores, tudo junto e conflituoso, vou de Felenko Métis - Momo Wandel Soumah.

Meu outubro foi com dois livros que para sempre ficarão no meu coração. O primeiro é O amor dos homens avulsos, uma história muito doce, mas forte, que mexeu bastante comigo, ouvindo Ainda aqui sonhando - Leo Cavalcanti, consigo lembrar de todos os nuances da história. A guerra não tem rosto de mulher é um daqueles livros que te obriga a mudar a sua visão sobre a vida, o mundo e a violência, escolhi Hibridação - Kastrup.

Rose McGowan foi uma das primeiras a denunciar os assédios de Hollywood e a Yngrid resenhou sua forte biografia Coragem que é mais um alerta e incentivo para mulheres de todo o mundo, No choir - Florence and the Machine. Por fim, o Ruan, nossa mais recente adição ao blog, resenhou o recém-adaptado Uma dobra no tempo para o qual escolhi Battez-vous-Brigitte.

Foi! Vocês nos encontram aquiaqui e aqui. Não se esqueçam que a gente tem uma playlist no Spotify. Até daqui a pouco!


Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top