Comentários
Jéssica Ohara Jéssica Ohara Author
Title: AS ÁGUAS-VIVAS NÃO SABEM DE SI: A LUZ DA PROFUNDEZA DO OCEANO
Author: Jéssica Ohara
Rating 5 of 5 Des:
A três mil metros de profundidade, o oceano é um mundo sem luz, cheio das mais curiosas formas de vida e em sua maior parte inexpl...



A três mil metros de profundidade, o oceano é um mundo sem luz, cheio das mais curiosas formas de vida e em sua maior parte inexplorado para quem vive na superfície. É nesse ambiente que mergulha Corina, flutuando no escuro como um astronauta no espaço, do jeito que gosta: cercada de água. Mas também perseguida pela sensação de que não deveria estar ali. Está sendo observada? Corina faz parte de uma equipe que pesquisa os arredores de uma zona hidrotermal com o objetivo de testar trajes especiais de mergulho. Cinco pessoas trabalhando isoladas, da superfície e umas das outras, numa estação a trezentos metros de profundidade. Como o abismo diante delas, escuro e insondável, cada uma dessas pessoas tem algo a esconder. Incapaz de afogar uma doença que pode pôr tudo a perder, Corina se vê obrigada a enfrentar seus dilemas e os dos colegas, em uma expedição liderada por um cientista com uma obsessão: encontrar inteligência no fundo do oceano. Uma história sobre mergulhar na solidão e ao mesmo tempo se cercar das vozes que pulsam no oceano. Uma história que convida a suspender o fôlego e a ouvir. Uma história que lança a inquietante dúvida: se as águas-vivas não sabem de si, sobre o que sabem então?




“O Mar pincha para o alto as nossas perdas, o arrastão em
[frangalhos,
E o Equipamento de mortos estrangeiros. O mar tem muitas
[vozes,
Muitos deuses e muitas vozes.”
Quatro quartetos. T.S. Eliot

Um dos meus objetivos em 2019 é ler mais literatura nacional, não só por uma questão de valorizar o que temos, mas porque é boa demais. Eu tive muita sorte e não li os clássicos brasileiros fora de uma obrigação escolar, mas sim por incentivo dos meus pais. Então, faz muito tempo que o meu coração já está aberto para a nossa produção, mas eu não sou a maior leitora de ficção cientifica que existe e As Águas-Vivas não sabem de si tinha esse apelo em toda a resenha que eu tinha visto antes. Ganhar esse livro no amigo oculto do final do ano foi o que eu precisava para ampliar minha zona de conforto.

Aline Valek nos conta a história de Corina, uma mergulhadora profissional que é convidada por um velho amigo a participar de um projeto de pesquisa que exploraria as profundezas para testar roupas de mergulho superpotentes. Mas essa só parece uma desculpa para todos ali seguirem seus objetivos pessoais que são muito diferentes do que está sendo colocado nos relatórios enviados para a base.

Eu gosto muito de livros que falam sobre o oceano ou aventuras no mar, aquela imensidão tem um fascínio que só sabe quem já olhou pra ela. Valek conseguiu trazer todo esse mistério e atração com um toque a mais, já que os personagens estavam em alta profundidade, experiência que poucas pessoas têm a chance de ter.

Cada uma das personagens guarda um segredo e os conflitos por causa dessas coisas não-ditas começam a surgir. Dizer que Corina tem uma personalidade forte é um pouco incorreto, ela não é intragável ou super teimosa, mas obstinada, ela vê aquela missão como a última oportunidade dela de fazer aquilo que ela sempre amou. Susana é uma profissional perfeita, sempre prevendo todos os riscos e um pouco apavorada por eles. Arraia é amigo de Corina há muitos anos, eles trabalharam juntos e compartilharam muitas barras. Martin e Mauricio representam os efeitos de uma academia que precisa se provar a todo instante. 

Enquanto lia esse livro, às vezes, tinha a nítida sensação de que estava mergulhando, de que ia junto com Corina e Arraia nas expedições, eu podia sentir o mar a minha volta. E também, mergulhava dentro de cada personalidade, cada medo, atrás de algo que preenchesse um vazio, de algo que não existe mais.

AUTOR(A): Aline Valek
PÁGINAS: 296
EDITORA: Rocco
LANÇAMENTO: 2016
ONDE COMPRAR: Aqui
Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top