Comentários
Jéssica Ohara Jéssica Ohara Author
Title: [PRIMEIRAS IMPRESSÕES] THE ACT
Author: Jéssica Ohara
Rating 5 of 5 Des:
Eu conheci a história de Dee Dee e Gipsy Blancharde através da icônica matéria do Buzzffed de 2016: " Dee Dee queria que sua filh...


Eu conheci a história de Dee Dee e Gipsy Blancharde através da icônica matéria do Buzzffed de 2016: "Dee Dee queria que sua filha fosse doente, Gypsy queria a sua mãe morta". Fiquei muito impressionada com esse caso: Dee Dee criou uma ilusão de que sua filha era doente e viveu uma vida inteira de mentiras e mudanças para manter a farsa. No processo, sua filha Gypsy foi criada como uma menina com necessidades especiais e de saúde frágil, que ela não era, mas acabou se tornando, ao longo dos anos, pelo uso excessivo de remédios, tratamentos e pelo trauma causado por DeeDee. Se essa história tivesse aparecido primeiro na televisão, como uma série de ficção, ninguém levaria a sério, pelo alto grau de improbabilidade que pensávamos que um caso assim tinha para acontecer, mas, senhor, como nós estávamos enganados.

The Act pretende contar a vida da família a partir do momento que as coisas começaram a desandar na ilusão de DeeDee, pois sua filha iniciou a descoberta de que não era doente e estava sendo feita de vitima por sua mãe. O primeiro capítulo começa com a mudança das duas para a nova casa, que conseguiram após o furacão Katrina. A primeira cena, uma entrevista para a TV relatando a felicidade em se mudar, deixa clara a necessidade da Dee Dee de simpatia e atenção pública.

A maior parte das pessoas que vai assistir The Act já tem um noção da história e do desenrolar dos fatos, inclusive a série já começa mostrando um pouco do destino da Dee Dee. Logo, será um enredo levado principalmente pelas atuações e olha, não tem nenhuma crítica que possa ser feita a elas. Não ia muito com a cara da Joey King, mas depois de vê-la encarnando Gypsy, só posso aplaudir essa menina até gastar as mãos. 

Não preciso falar muito da Patricia Arquete, porque de uma deusa não é preciso se falar nada, só contemplar. A química entre ela e a Joey não poderia ser melhor, os olhares, os pequenos gestos, até a expressão corporal das duas combina. A Chloë Sevigny também está fantástica como Mel, ela é o contraponto da Dee Dee, desconfiada e combativa, ela não cai tão fácil na história triste.

Apesar de ser uma série de episódios de quarenta minutos, com um história conhecida, nesse episódio duplo foi fácil se envolver, a trama flui e é bem convincente. Quero ver como eles vão desenvolver plots que sempre me intrigaram como o porque do pai ter sido tão banana e que porcarias de médicos foram esses?

Se você, como eu, sente nervoso com cenas que envolvam sofrimento físico, esteja preparado. A Gipsy passa por muitos procedimentos que já seriam ruins em pessoas que precisam, mas quando você sabe que eles foram desnecessários, só te deixa mais ansiosa. Tudo indica que Dee Dee tinha síndrome de Münchausen por procuração, uma doença psicológica que faz com que a pessoa faça o seu filho ou outra pessoa sob os seus cuidados parecer doente em busca de atenção médica. Esse é um resumo simplista, mas você pode ter mais informações aqui, aqui e aqui. Se vocês também quiserem dar uma lida na matéria podem ver aqui.

Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top