Comentários
Jéssica Ohara Jéssica Ohara Author
Title: [CRÍTICA] PRIMEIRA TEMPORADA - MÃE SÓ TEM DUAS
Author: Jéssica Ohara
Rating 5 of 5 Des:
Há muito tempo que eu estava precisando ver uma série levinha, algo me me fizesse fugir um pouco desse caos que nós estamos vivendo. Foi com...


Há muito tempo que eu estava precisando ver uma série levinha, algo me me fizesse fugir um pouco desse caos que nós estamos vivendo. Foi com esse objetivo que eu comecei Mãe Só Tem Duas, afinal nada melhor que um dramalhão mexicano, com direito a troca de bebês, para fazer a gente entrar em outra realidade. Eu posso dizer que me surpreendi com a qualidade da série, eu estava esperando por algo passável e me foi entregue uma série que prende e discute assuntos tabus.



A história é sobre Ana e Mariana, duas mulheres completamente diferentes que por uma situação do destino tiveram suas filhas no mesmo hospital. O problema começa com a enfermeira do berçário trocando as bebês por um erro e dessa forma Mariana recebe a que seria Regina e Ana a que seria Valentina. Obviamente as duas mães se estranham assim que se conhecem, já criando um clima de inimizade entre ambas.

O erro só é descoberto quatro meses depois e as duas famílias já estão apegadas nas crianças. Começa  aquele drama gostoso que quem cresceu novela mexicana conhece e gosta. Com aquela dor de trocar as crianças e as dúvidas sobre serem ou não boas mães. A diferença de Mãe Só tem Duas está nos assuntos que normalmente em novelas tradicionais não entrariam. Mariana foi abandonada pelo namorado quando ela estava com cinco meses, o homem se arrepende depois, mas ela está magoada com razão e acaba se envolvendo durante  a gravidez com a sua amiga Elena.




Como se aborda a questão LGBTQIA+ é um dos pontos altos da série, tudo é trabalhado com bastante naturalidade desde as descobertas até os enfrentamentos. Eu gostei muito sobre como a Mariana abraçou sua bissexualidade sem se questionar, até mesmo pelo meio familiar de liberdade que sempre esteve e como até por isso ela enfrenta com muita força as críticas. Na verdade, o que a deixa mais balançada na sua relação com a Helena é a gravidez e a responsabilidade de criar uma criança do que qualquer outra coisa.

A Ana é uma mulher independente e bem controladora, depois nós entendemos que é devido ao meio extremamente competitivo que ela vive. Como uma executiva de uma multinacional, muitas vezes sua opinião  é desvalidada por ser uma mulher e por essa razão ela tem que se impor, tendo até que ser bastante dura. A grande questão é que toda essa dureza é levada pra dentro de casa e suas relações familiares são prejudicadas.




Eu gostei muito como na série, os estereótipos  não são seguidos. A culpa das situações não fica toda em cima das mulheres, tem sim clichês, mas há um cuidado em mostrar que todo mundo pode ser falho em algum momento. Estou louca pra segunda temporada e torcendo pros meus ships serem reais.

Vocês podem ver Mãe só tem duas na Netflix :) 

Não se esqueçam que vocês nos encontram aquiaqui e aqui.

PROMO PRIMEIRA TEMPORADA


Reações:

Sobre o Autor

Postar um comentário Blogger

 
Top